| Não Me Abandone Jamais | Drama pesado e surrealista


Quem vai pedir lasanha?: Carey Mulligan, Keira Knightley e Andrew Garfield

Não me Abandone Jamais é um filme interessante, que certamente é uma adaptação difícil do complexo livro de Kazuo Ishiguro, tratando de temas complicados e éticos, em diversas. Muita coisa acontece em apenas 95 minutos de projeção, para lado positivo e para negativo.

Em uma trama sugestiva e quase surreal, os amigos Kathy, Tommy e Ruth são internos de um rígido e misterioso internato da Inglaterra, que os rotula como “especiais”. Anos se passam e, adolescentes, devem entender o propósito de suas vidas e como o internato afetou-as.

Vendo trailer e cartazes, pode parecer mais um drama romântico melodramático, mas há muito mais escondido sob essa repentina definição. Uma camada de ficção-científica surrealista – mas, adequadamente sugestiva – é presente em toda a narrativa, oferecendo um tom frio que é mais evidente, e bem-sucedido, na meia-hora inicial do filme; quando acompanhamos as crianças do internato. Bom nos enquadramentos, o diretor Mark Romanek consegue transmitir a atmosfera peculiar da escola com simples detalhes; como a pulseira eletrônica e uso do vento em determinados momentos, culminando na chocante revelação sobre o objetivo do internato.

O roteiro de Alex Garland se destaca nesse primeiro bloco, entitulado “Hailsham”, por descrever com habilidade a rotina das crianças do internato e também o medo e expectativas sobre o que os aguarda do outro lado. A relação entre os jovens protagonistas é natural e espontânea, grande trabalho dos atores mirins – com destaque para Isobel Meikle-Small, que interpreta Kathy.

Do segundo bloco para frente, o filme não apresenta a mesma força de “Hailsham”. Agora crescidos, o trio é vivido por Carey Mulligan (cada vez melhor), Keira Knightley (forçada) e Andrew Garfield (carismático ao extremo), e uma espécie de triângulo amoroso é armado, mas que simplesmente não prende o espectador como as situações sugestivas do internato. Mas o tom de isolamento é excelente: destaque para a cena da lanchonete, onde os personagens apresentam grande medo em relação ao mundo exterior.

Ganhando mais força em seu dramático e pesado clímax, Não Me Abandone Jamais é um filme difícil, com temática interessante e toques surrealistas impressionantes. Quem espera um simples romance pode surpreender-se.

About these ads

2 Respostas to “| Não Me Abandone Jamais | Drama pesado e surrealista”

  1. vi esse filme semana passada, achei muito bom…e triste.

  2. [...] mais: | Não Me Abandone Jamais | Drama pesado e surrealista « Lucas Filmes Postado em: Drama   Tags: 'pesado',, abandone, drama, filmes, jamais, lucas, não, [...]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 269 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: