| 2012 | O mundo é destruído mais uma vez

Bom 

2012  Mar em fúria: Visual impecável da inundação do Himalaia

Se tem alguém que sabe como destruir o mundo, esse alguém é Roland Emmerich. Em seu mais novo projeto catástrofe entitulado 2012, ele faz uma reciclagem de tudo o que já havia feito em seus filmes anteriores, deixando os efeitos visuais e as cenas de destruição ainda melhores. Mas ele não escapa de elementos que parecem assombrar todos os filmes do gênero, como a reação do governo e as múltiplas tramas paralelas.

Na trama, a humanidade se desepera quando o mundo começa a acabar e se rachar, devido a um superaquecimento no núcleo do planeta. Nesse cenário, temos o escritor de ficção científica Jackson, que lutará para salvar sua família.

Bom, vamos à análise. 2012 é um bom filme, não há dúvida disso. É divertido, possui muita adrenalina e ótimos efeitos visuais. No entanto, ele é muito comprido e não escapa de muitos tropeços já familiares no gênero, vamos ao principal deles: Por que o espectador têm que acompanhar tanto a reação do governo quanto ao fim do mundo? Além de não interessar nem um pouco, é geralmente uma desculpa para mais um elemento, o patriotrismo, a vontade de passar uma imagem boa dos EUA. Outro defeito: As tramas paralelas são realmente desnecessárias, e eu acho que arranjar uma explicação para o fim do mundo não é uma boa idéia. Convenhamos, não seria melhor se, no filme, o mundo acabasse sem um motivo especificado, no melhor estilo Os Pássaros? Assistir assim seria mais perturbador.

2012 - California destruction  A destruição da Califórnia é a melhor cena do filme

Agora vamos ao que interessa: As cenas de catástrofes. O que posso dizer, o Rio de Janeiro aparece pouco, com uma dublagem vergonhosa enquanto a Califórnia recebe uma cena de ação de tirar o fôlego, com efeitos visuais excelentes e muita adrenalina, principalmente quando Jackson e sua família fogem em um avião pela cidade sendo destruída. Os atores até que não fazem feio, John Cusack e Amanda Peet convencem, mas quem rouba a cena é o adoidado locutor de rádio Charlie, vivido por Woody Harelson.

O filme se desenrola até um clímax diferente, que eu achei um tanto exagerado. A idéia do governo construir uma espécie de “arca de Noé” ficou meio estranho, ainda mais porque a cena parece uma mistura de 20.000 léguas submarinas com Jornada nas estrelas.

Resumindo, 2012 é um bom filme, mas não escapa de típicos erros desse tipo de gênero, como a desnecessária e detalhada reação do Governo americano. Mas vale pelas cenas de ação e os impressionantes efeitos visuais.

Nota: 7,0

Assisti: No Cinema

Data: 14/11/09

Anúncios

3 Respostas to “| 2012 | O mundo é destruído mais uma vez”

  1. Ei lucas esse filme foi bom mais eu esperava bem mais do filme,tirando os efeitos que são muito bons!

  2. Cara, a materia ta muito boa mal vejo a hora de ve esse filme

  3. eu amoo d paixão esse filme.. é mto loco.. parabens Roland Emmerich!!..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: