| Guerra ao Terror | Versão realista da Guerra no Iraque

  Perigo real e imediato: O duro trabalho de localizar e desarmar bombas

A guerra no Iraque não gerou filmes tão bons como a Guerra do Vietnã em sua época. Guerra ao Terror, fita de 2008 lançado diretamente em DVD aqui no Brasil, é uma exceção. O filme mostra a realidade nua e crua dos soldados no Iraque, gerando ótimas performances, momentos tensos e emoções fortes. Mas a tempestade de críticas positivas e favoritismo para alguns prêmios não me foi justificada.

Na trama, um grupo de soldados americanos enfrentam os desafios do combate no Iraque, restando apenas 38 dias até o fim da missão. A especialidade da equipe é desarmar bombas. O filme mostra a crua realidade por trás dos combates.

Guerra ao Terror foi elogiadíssimo. Em todos os outros sites que vi, recebia as maiores notas e muitos comentários positivos, além de ser um dos favoritos para o Oscar. Não entendi toda essa tempestade em cima do filme. É um ótimo longa, muito bem dirigido, montado, possui cenas em slow-motion a lá Zack Snyder e muitos momentos dramáticos, mas não é nada além de um simples filme de guerra que consegue mostrar a realidade e o medo dos soldados. O roteiro é bem escrito, possui diálogos memoráveis e uma interessante citação de Chris Hedges, mas em certos momentos parece apenas mais um filme de ação.

O elenco é carismático na medida certa, não deixando cair no exagero ou na inexpressão. Quem lidera os soldados é o Sargento William James, vivido magistralmente pelo pouco conhecido Jeremy Renner, que transmite o ar de calma e, ao mesmo tempo, desespero que o personagem exige. Anthony Mackey se sai muito bem como o Sgt. JT, mas seu talento é muito mais aproveitado nas cenas com Renner. A cena do suco e o último diálogo dos dois é de ficar na memória. De resto, o elenco está excelente com destaque para a pequena participação de Ralph Fiennes.

Não há muito o que falar sobre Guerra ao Terror, mas resumindo; é um filme muito bom, possui performances impressionantes, visual aterrador e uma guerra mostrada com grande realismo. Mas isso não justifica todo o favoritismo em cima do filme, muito menos o transforma em uma obra-prima.

Anúncios

2 Respostas to “| Guerra ao Terror | Versão realista da Guerra no Iraque”

  1. […] Por toda a parte, críticos falavam: Guerra ao Terror é um dos melhores filmes da década. Quando o assisti pela primeira vez, não achei nada além de um bom filme de ação com pinceladas de drama e muita tensão. Ao reassistí-lo, comecei a perceber melhor o que o filme queria mostrar, qual era seu objetivo e a explicação para o título The Hurt Locker. Minha opinião em torno do filme mudou, mas, mesmo assim, ainda não acho que seja esse o filme que merece ganhar o Oscar máximo e nem que seja tão genial e brilhante como todos dizem. É o filme superestimado da noite. Crítica completa. […]

  2. […] Eu realmente não vejo isso em outros filmes do Oscar que sofreram tais críticas (como Guerra ao Terror, Argo ou A Hora Mais Escura, por motivos óbvios), mas o filme de Eastwood está constantemente […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: