| Bruna Surfistinha | Prejudicado por roteiro medíocre


The Girl with the Scorpion Tattoo: Deborah Secco lindíssima

Fazer um filme cuja protagonista seja uma garota de programa certamente proporciona momentos sexuais, mas o longa não pode sobreviver apenas por tais elementos – caso contrário, vídeos da Bruna real quebrariam o galho -, precisando de uma trama sustentável. O roteiro até tenta, mas não desempenha seu papel tão bem como a beleza de Deborah Secco.

O longa gira em torno da jovem Raquel Pacheco, que foge de casa e busca exílio em uma casa de prostituição. Suas “habilidades profissionais” lhe garantem uma carreira solo sob o codinome de Bruna Surfistinha, fazendo grande sucesso ao compartilhar suas experiências em um blog.

O roteiro, baseado no livro de Pacheco, deixa muitas coisas inexplicáveis. Por exemplo, o texto escrito a três mãos não consegue justificar, precisamente, o motivo pelo qual Raquel escolheu a prostituição. Os diálogos são competentes, mas repletos de tentativas frustradas de fazer humor (como palavrões bizarros que a maioria do público adora…) e criar frases marcantes; sem falar nos personagens clichês, nos exageros e na estereotipada presença do vício em drogas.

No entanto, merece créditos o diretor estreante Marcus Baldini. Dentre a bagunça do roteiro, o cineasta consegue criar bons planos e enquadramentos, puramente artísticos, raramente transpõe alguma característica que contribua à narrativa; o uso do plano desfocado é interessante, mas o diretor usa-o constantemente e ele acaba perdendo sua função.

Mas todas essas características – roteiro, direção – perdem se comparados ao trabalho feito por Deborah Secco. Absurdamente linda, não se assemelha com a Raquel Pacheco verdadeira (considere isso um presente ao público masculino) mas entrega uma performance sólida e dramática, com muito carisma e também ousadia nas picantes cenas de sexo – destaque para seu excelente reação durante o primeiro programa da personagem.

Falhando também no tom (humor e drama misturam-se de forma confusa), Bruna Surfistinha é um filme decente (não em seu conteúdo, claro), que apresenta uma boa performance de Deborah Secco, mas que sofre com seu mediano roteiro e suas incogruências dramáticas.

Anúncios

3 Respostas to “| Bruna Surfistinha | Prejudicado por roteiro medíocre”

  1. Eduardo 244 Says:

    EU acho que voce falou bem,mais para mim o filme ficou otimo ,eu me diverti assistindo com a minha mulher .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: