| Capitão América – O Primeiro Vingador | Agrada pelo retrô, mas erra como seus antecessores


O Patriota: O Capitão América e seu parceiro Bucky em ação

2011 tem sido um ano de testes para a Marvel Studios, e um aquecimento para o grande projeto do estúdio, Os Vingadores. E esse tem sido também o problema que atinge seus filmes recentes: a preocupação excessiva com o longa da super-equipe, que supera o desejo de fazer um bom filme.

A trama volta na Segunda Guerra Mundial e acompanha o jovem Steve Rogers que, fisicamente fraco mas imensamente corajoso, entra em um programa do governo que o transforma em um super-humano. Assim, ele assume a identidade do Capitão América e ajuda os americanos a deter o abominável Caveira Vermelha.

Se a trama já soa bem retrô e traz lembrança daqueles filmes exibidos em matinês nos anos 70, o diretor Joe Johnston faz um trabalho razoável ao aplicar este tom à aventura. Repleto de referências (que aí incluem quadrinhos e cinema), O Primeiro Vingador traz uma boa nostalgia em certos momentos – com os cenários antiquados e personagens absurdos -, mas não apresenta uma trama concreta e que sobreviva sozinha.

Convenhamos, o Capitão é um personagem dificílimo de ser adaptado (vender um personagem que veste a bandeira dos Estados Unidos no mercado internacional é complicado), mas fico aliviado pelo tema do patriotrismo ser tratado de forma leve (uma boa adaptação por exemplo, é que o Capitão era um garoto-propaganda antes de virar herói) e sem exageros do nível de Michael Bay. O acerto foi concentrar-se no homem dentro da roupa.

E é certamente este o ponto alto do filme: a jornada de Rogers. Chris Evans interpreta o herói com grande carisma e inspiração (superando a maioria de seus trabalhos anteriores), ganhando o carinho do público com sua bondade. Aliás, aplausos para os excelentes efeitos visuais que deixaram Evans magricela e baixinho (a mesma tecnologia usada em Benjamin Button).


Hugo Weaving em uma bem aplicada maquiagem para viver o Caveira Vermelha

Com um belo leque de coadjuvantes de luxo, o roteiro de Christopher Markus e Stephen McFeely não consegue encontrar equilíbrio entre eles e muito menos relacioná-los bem. A relação entre Rogers e Peggy Carter (Hayley Atwell, boa presença), por exemplo é mal explorada e apressada; exatamente como aconteceu em Thor, mas se lá o problema era o humor exagerado, aqui são os clichês (que incluem até aquele descartável momento de ciúmes).

Quem se destaca porém, é Hugo Weaving. Com enorme talento para viver os mais bizarros e caricatos antagonistas e vilões, o ator aparece a maior parte do tempo atrás de uma chamativa maquiagem para viver o Caveira Vermelha. Ele é um nazista estereótipo, mas com características um tanto exageradas – a começar por seu exército (brega e cafona) da Hydra, que armam-se com lança-chamas e armas de raios (completamente implausível). E quem vai se esquecer do tosco”Hail Hydra”?

É bacana também ver o sr. Howard Stark (sim, sim é o pai do Homem-de-Ferro) ter um certo destaque na trama. Dominic Cooper assume o mesmo estilo do personagem de Robert Downey Jr, lembrando até um pouco o Howard Hughes. Gostei também do Tommy Lee Jones como o carrancudo General Phillips, que tem as melhores piadas do filme.

Com uma bela fotografia e razoáveis cenas de ação (a mais interessante sendo a luta do escudo), Capitão América é outro filme que falha por concentrar-se mais em Os Vingadores do que em sua própria história (reparem o final tosco e sem amarras do longa), mas que agrada por seu tom retrô.

Os Vingadores já estragou três filmes da Marvel Studios. É bom que o aguardado filme valha por quatro.

Obs: O 3D convertido do filme é descartável, acrescentando muito pouco ao filme.

Obs 2: Após os créditos, há o trailer de Os Vingadores.

Leia esta crítica em inglês.

Anúncios

3 Respostas to “| Capitão América – O Primeiro Vingador | Agrada pelo retrô, mas erra como seus antecessores”

  1. […] trama continua os eventos mostrados em Homem-de-Ferro 2, O Incrível Hulk, Thor e Capitão América – O Primeiro Vingador, tendo ponto de partida quando o perverso Loki (Tom Hiddleston) invade a Terra e rouba um poderoso […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: