| Os Muppets | Retorno divertido aos cultuados fantoches


Jason Segel e Amy Adams acompanham fantoches Muppets em Los Angeles

Eu não sou muito familiarizado com Os Muppets (uma das únicas coisas que me vem a memória são as paródias a filmes e inúmeros especiais de Natal). Por esse motivo, talvez Os Muppets – nova entrada cinematográfica dos cultuados fantoches – não tenha me agradado tanto quanto outros inúmeros críticos lá fora. É um longa divertidíssimo, bem feito e executado, mas percebe-se que aqueles que já eram fãs dos personagens tem uma experiência melhor.

A trama ambienta-se num momento corretíssimo: Os Muppets estão esquecidos pelo público e, visando salvar seu antigo estúdio em Hollywood, são reunidos pelo sapo Kermit para organizar um sensacional retorno; contando com a ajuda dos humanos Gary (Jason Segel) e Mary (Amy Adams). Tudo isso enquanto um ambicioso empresário de petróleo (Chris Cooper) tenta frustrar o plano dos fantoches.

Escrito pelo próprio Segel e Nicholas Stoller, o roteiro acerta na ambientalização e todo o desenrolar da trama. Mesmo que previsível e focalizada no público infantil em diversos momentos (principalmente a conclusão), a ideia de trazer os Muppets de volta ao estrelato realmente funciona, tanto para os fãs quanto os “novatos” na mitologia. O genial mesmo são as piadas metalinguísticas (como a “viagem pelo mapa”, recurso narrativo típico dos filmes de Indiana Jones) que sempre tornam a experiência mais interessante.

Sem dúvida o grande atrativo do longa, os fantoches são fantásticos. Manuseados por uma equipe extremamente talentosa, todos os personagens apresentam suas próprias características e personalidades distintas – todos muito carismáticos. A começar pelo jovem Walter, que logo nos segundos iniciais de projeção ganha o carinho e admiração do público por sua inocência e por partilhar tantas semelhanças com um ser humano de verdade. E ao desenrolar da história, somos apresentados a inúmeros personagens que ganham vida através de fantoches (meus favoritos são Fozzie e o bateirista maluco, Animal). Sobre atores de carne e osso, Segel e Adams formam um casal bonitinho (mas exagerado em alguns momentos) e diversas participações especiais brotam de todos os cantos.

Infelizmente, a Walt Disney do Brasil trouxe um esmagadora maioria de cópias dubladas do filme para as salas do país. Isso certamente prejudicou minha sessão, já que o longa é composto por alguns números musicais (que ao visto são muito bem ensaiados e colocados dentro da história), que simplesmente perdem seu efeito por não apresentar as vozes originais de seus intérpretes soando muito artificiais.

Mesmo que infantil e bobinho em alguns momentos, Os Muppets é uma diversão inocente e agradável. Repito: provavelmente funciona melhor para aqueles que já são familiarizados com o material (há diversas referências ao antigo programa de TV), mas nem por isso vai deixar de ganhar novos admiradores. Eu, por exemplo.

Anúncios

Uma resposta to “| Os Muppets | Retorno divertido aos cultuados fantoches”

  1. Assistia muppets na minha infância, agora tenho motivos para ver este filme.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: