| Toda Forma de Amor | Reflexão madura e original sobre a solidão

Fui assistir a Beginners (desculpem, mas ignoro esse péssimo título nacional) esperando um tipo de filme completamente diferente do que vi. Eu esperava um longa mais concreto, no estilo do I Love you Phillip Morris (O Golpista do Ano, com Jim Carrey), mas o que encontrei é uma intrínseca reflexao sobre a vida e a solidão, comandada pelo diretor Mike Mills, que também assina o roteiro – inspirado em acontecimentos de  sua vida, de acordo com ele.

Ao longo do filme todo, pode-se perceber que é um trabalho muito pessoal. A trama, cheia de flashbacks e cortes, acompanha Oliver (Ewan McGregor) em dois momentos de sua vida: quando é surpreendido ao descobrir que seu pai (Christopher Plummer), além de ter um câncer terminal, abraça sua homossexualidade em plena meia-idade e quando inicia um romance com Anna (Mélanie Laurent).

O elemento-chave do longa é sua execução. Abordando três linhas temporais do mesmo indivíduo, o filme vai e volta no tempo – muitas vezes os flashbacks vêm em momentos apropriados (como por exemplo, a cena em que a mãe de Oliver lhe explica sobre a catarse, logo interrompida pelo Oliver adulto pichando um muro com seu amigo), mas em outras parece vir como uma colagem, mas todas contribuem para mostrar a formação de caráter do protagonista. Um elemento fantástico, é como Mills trabalha com a memória de Oliver (quando seu pai revela ser gay, a cena é tocada diversas vezes, enquanto o personagem  tenta se lembrar como seu pai se vestia) e usa de elementos visuais criativos – que vão de fotos de uma época determinada até documentos em fundo preto.

Abraçando a solidão de seu protagonista, Ewan McGregor faz um ótimo trabalho com Oliver. Trabalhando como designer gráfico, o roteiro explora como o personagem é capaz de se afastar das pessoas com facilidade (Às vezes posso ficar parado num lugar e me afastar das pessoas) e como ele tenta mudar isso ao conhecer Anna, vivida pela graciosa e divertida Mélanie Laurent. Mas é mesmo Christopher Plummer quem rouba a cena como o pai recém-assumido de Oliver; o ator esbanja carisma e muita expressividade, merecendo o Oscar pelo qual é cotado no momento…

Escrito e executado com maestria, Beginners (Toda Forma de Amor, como preferir) é uma experiência diferente que proporciona um olhar original e tocante sobre a vida de um indivíduo. Contando com um elenco espetacular, o longa é um dos mais originais do ano e sua linda mensagem sobre a solidão é algo com que eu pude me identificar bastante.

Anúncios

2 Respostas to “| Toda Forma de Amor | Reflexão madura e original sobre a solidão”

  1. Gostei muito do seu site!
    Eu mesma sou uma entusiasta da sétima arte, não chego a me considerar uma cinéfila, mas não vivo sem um filme.
    Baixei Beginers esperando também algo diferente, mas tive uma agradável surpresa. Meus amigos acharam monótono mas eu gostei bastante.
    Só mais uma coisinha, é impressão minha ou esse filme passa uma vibe meio Amèlie Poulain?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: