Arquivo para al pacino

| O Poderoso Chefão: Parte II | 40 Anos

Posted in Clássicos, Críticas de 2014, Drama with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 20 de setembro de 2014 by Lucas Nascimento

5.0

TheGodfatherPartII
Gerações: Al Pacino como Michael Corleone e Robert De Niro como seu pai, Vito

Poucas continuações têm o impacto de O Poderoso Chefão: Parte II. Aliás, pouquíssimos filmes são complexos, ricos e completos como O Poderoso Chefão Parte II, uma obra densa e que traz em cada frame de seus 200 minutos uma justificativa para que seja considerado um dos melhores da História da Cinema, e que Francis Ford Coppola é um gênio como poucos.

Mais uma vez assinada por Coppola e o autor Mario Puzo, a trama aqui se divide para mostrar dois períodos distintos: de um lado, temos a continuação direta aos eventos do original, trazend0 Michael (Al Pacino) cada vez mais poderoso como o Padrinho da família Corleone, precisando arriscar um valioso acordo quando sofre um violento atentado que revela a existência deu um traidor em sua organização. Do outro, vemos a humilde origem de Vito Corleone (Robert De Niro) como um imigrante da Sicília, e os pequenos passos que vai dando para montar seu império mafioso em Nova York.

Um dos fatores centrais para o brilhantismo de O Poderoso Chefão: Parte II reside na audaciosa decisão de Coppola em fazer não apenas uma sequência, mas também uma prequela, que, mesmo jamais conversando diretamente entre si (o que seria impossível, claro), servem para definir e contrastar os personagens que as protagonizam. Tanto pela escala quanto pelo maravilhoso trabalho de design de produção, não seria um absurdo dizer que são na verdade dois filmes – de época – diferentes costurados entre si, um mérito todo da primorosa montagem de Barry Malkin, Richard Marks e Peter Zinner, trinca que divide bem o ritmo das narrativas e as une com transições belíssimas, sempre provocando o efeito de que pai e filho “se encaram” durante a fusão das cenas.

Tal estrutura, nos permite estudar o quão diferentes são Michael e Vito.

GODFATHER2
Vito e os alencares da Família Corleone

Em um dos flashbacks, Vito encara imóvel o sofrimento de seu filho diante de uma pneumonia. Quase escondendo o rosto nas mãos ao mesmo tempo em que é incapaz de fazer algo para socorrê-lo ou mesmo segurar suas lágrimas (em uma atuação sutil e contida de De Niro), Coppola já estabelece de forma belíssima e de partir o coração os motivos que levam o personagem a agir ilicitamente, e que também justificam a ação violenta que Vito será forçado a tomar a seguir. E mesmo depois do brutal assassinato de Don Fanucci (uma cena magistral que por si só merece uma análise isolada), o diretor nos faz lembrar o que move Vito ao mostrá-lo caminhando pela multidão por um longo plano, até encontrar sua família e carinhosamente se juntar a ela; abraçando o recém-nascido Michael, e praticamente falando ao espectador que é tudo pela família. Cinema puro, onde as imagens transmitem muito mais do que o que se vê.

Já Michael revela-se sedento por poder, ainda que também aja para proteger sua família, ainda que aquela formada por mafiosos aparente lhe interessar mais. Mesmo que eventualmente se renda a instintos sombrios e imperdoáveis, Michael é também vítima do seu tempo, um que é muito mais complexo e sujo do que aquele mais ingênuo e menos organizado habitado por Vito, 40 anos atrás. Eu me pergunto se Vito seria capaz de manter seu negócio próspero durante a Guerra Fria, e também mantendo sua posição contra o tráfico de drogas.“Não é fácil ser o filho”, diz Michael para seu irmão Fredo (John Cazale) em certo ponto. Até sob as lentes do diretor de fotografia Gordon Willis, Michael é um ser humano muito mais sombrio, sempre banhando-o com escuridão.

GodfatherII
Michael enfrenta as acusações da Justiça Americana

Na pele das figuras opostas, temos um intenso Al Pacino e um cuidadoso Robert De Niro. Pacino impressiona com a quantidade de emoções que consegue transmitir ao mesmo tempo, como se Michael estivesse constantemente prestes a explodir; e quando o faz, tal como na brutal discussão com sua esposa Kay (Diane Keaton, coadjuvante de luxo), vemos tudo o que o ator é capaz de fazer. Já De Niro é eficaz ao preservar os maneirismos e trajetos do Vito de Marlon Brando no original, mas tem a oportunidade de tomar o personagem para si ao explorar ainda mais a paixão deste por sua família – com jestos simples, como aquele analisado alguns parágrafos acima – e divertir-se com pequenos momentos que antecipam quem este irá se tornar: como não se arrepiar na primeira vez em que Vito solta o icônico “farei uma oferta que ele não vai recusar?”.

Claro que além dos dois, temos um elenco coadjuvante sobrenatural. Além dos retornos de Robert Duvall, John Cazale, Diane Keaton e Talia Shire, temos a valiosa adição de Michael V. Gazzo como Frank Pantangeli, divertido e escandaloso mafioso italiano que diversas vezes surge como um bem vindo alívio cômico e o veterano diretor do Actor’s Studio Lee Strasberg, um dos responsáveis pela proliferação do Método Stanislavski nos EUA, na pele do gângster Hyman Roth, que já impressiona pela fortíssima presença de cena. Outro importante “coadjuvante” que sempre ameaça tomar a produção para si é o fantástico trabalho de Nino Rota e Carmine Coppola na trilha sonora original, que adota o tema icônico do primeiro filme quase como um hino religioso, fornecendo ainda mais impacto a cenas operáticas.

Eu poderia passar horas falando sobre O Poderoso Chefão: Parte II e as palavras continuariam a sair sem interrupção. O filme de Francis Ford Coppola é um grande clássico que explora com maestria todas as ferramentas únicas que a Sétima Arte disponibiliza, resultando em algo verdadeiramente único. Se é ou não superior ao primeiro filme é uma questão de preferência, mas na minha humilde opinião é facilmente um dos melhores filmes de todos os tempos.

Confira os indicados ao Framboesa de Ouro 2012

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , on 26 de fevereiro de 2012 by Lucas Nascimento

“Honrando” os piores filmes do ano passado, confira as indicações do Framboesa de Ouro 2012:

PIOR FILME

A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I

Cada um tem a Gêmea que Merece

Dotado Para Brilhar

Noite de Ano Novo

Transformers – O Lado Oculto da Lua

PIOR DIRETOR

Bill Condon – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I

Dennis Dugan – Cada um tem a Gêmea que Merece e Esposa de Mentirinha

Garry Marshall – Noite de Ano Novo

Michael Bay – Transformers – O Lado Oculto da Lua

Tom Brady – Dotado Para Brilhar

PIOR ATOR

Adam Sandler – Cada um tem a Gêmea que Merece e Esposa de Mentirinha

Nick Swardson – Dotado Para Brilhar

Nicolas Cage – Caça as Bruxas, Fúria Sobre Rodas e Reféns

Russell Brand – Arthur – O Milionário Irresistível

Taylor Lautner – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I e Sem Saída

PIOR ATRIZ

Adam Sandler – Cada um tem a Gêmea que Merece (como Jill)

Kristen Stewart – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I

Martin Lawrence – Vovó… Zona 3 – Tal Pai, Tal Filho (como Momma)

Sarah Jessica Parker – Não Sei Como Ela Consegue e Noite de Ano Novo

Sarah Palin – Sarah Palin – The Undefeated

PIOR ATOR COADJUVANTE

Al Pacino – Cada um tem a Gêmea que Merece

James Franco – Sua Alteza?

Ken Jeong – O Zelador Animal, Se Beber, Não Case! – Parte II, Transformers – O Lado Oculto da Lua e Vovó… Zona 3 – Tal Pai, Tal Filho

Nick Swardson – Dotado Para Brilhar e Esposa de Mentirinha

Patrick Dempsey – Transformers – O Lado Oculto da Lua

PIOR ATRIZ COADJUVANTE

Brandon T. Jackson – Vovó… Zona 3 – Tão Pai, Tal Filho (como Charmaine)

David Spade – Cada um tem a Gêmea que Merece (como Monica)

Katie Holmes – Cada um tem a Gêmea que Merece

Nicole Kidman – Esposa de Mentirinha

Rosie Huntington-Whiteley – Transformers – O Lado Oculto da Lua

PIOR ROTEIRO

A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I

Cada Um Tem a Gêmea Que Merece

Dotado Para Brilhar

Noite de Ano Novo

Transformers – O Lado Oculto da Lua

PIOR REMAKE, PREQUEL, RIP-OFF OU SEQUÊNCIA

A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I

Cada um tem a Gêmea que Merece (remake/rip-off de Glen ou Glenda?)

Dotado Para Brilhar (rip-off de Boogie Nights – Prazer Sem Limites e Nasce Uma Estrela)

Se Beber, Não Case! – Parte II (sequência “e” remake)

PIOR CONJUNTO NA TELA

Todo o elenco de A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I

Todo o elenco de Cada Um Tem a Gêmea Que Merece

Todo o elenco de Dotado Para Brilhar

Todo o elenco de Noite de Ano Novo

Todo o elenco de Transformers – O Lado Oculto da Lua

PIOR DUPLA

Adam Sandler & Jennifer Aniston ou Brooklyn Decker – Esposa de Mentirinha

Adam Sandler & Katie Holmes ou Al Pacino ou Adam Sandler – Cada um tem a Gêmea que Merece

Kristen Stewart & Taylor Lautner ou Robert Pattinson – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I

Nicolas Cage & Qualquer pessoa com quem ele tenha contracenado em qualquer um de seus três filmes em 2011 – Caça as Bruxas, Fúria Sobre Rodas e Reféns

Shia LeBeouf & Rosie Huntington-Whiteley – Transformers – O Lado Oculto da Lua

Os “vencedores” serão anunciados no dia 1º de Abril.

Globo de Ouro 2011 – Transmissão ao Vivo

Posted in Prêmios, Transmissão ao Vivo with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 16 de janeiro de 2011 by Lucas Nascimento

Vamos nessa, acompanhe aqui a transmissão ao vivo do Globo de Ouro 2011:

23:01h – Cheguei em cima da hora. Ricky Gervais apresentando a festa de novo e cheio das piadas; o cara é demais.

23:03h – Mais uma vez: Ricky Gervais é demais; sacaneando Charlie Sheen e Sex and the City.

23:05h – E vem aí a linda Scarlett Johanssom para apresentar Melhor Ator Coadjuvante. Christian Bale deve levar essa fácil.

23:06h – Aí está: Christian Bale ganha Melhor Ator Coadjuvante, por O Vencedor.

23:08h –  Que barba não, sr. Wayne?

23:10h – Não vejo muitas séries de TV, mas vem aí Melhor Série de TV Dramática.

23:12h – E ganha Kate Sagal, por Sons of Anarchy. Desconheço a série, mas lembro da atriz pelo ótimo Married with Children.

23:13h –  Intervalo comercial, bom pra respirar. Blogar, twittar e assistir ao evento ao mesmo tempo não é fácil…

23:16h –  E voltamos, com Juliane Moore e Kevin Spacey, apresentando Melhor Minissérie ou Telefilme.

23:18h – Ganha Carlos, que tem quase 6 horas de duração e foi exibido no Festival do Rio ano passado.

23:19h – Estou pensando em ver esse Carlos, a repercussão crítica foi muito boa…

23:21h – E vem aí “o pai do Ashton Kutcher”, Bruce Willis para apresentar seu filme, RED – Aposentados e Perigosos.

23:22h – Não assisti RED, mas acho que Kick-Ass ou Scott Pilgrim deveria levar ter levado a indicação.

23:23h –  Agora, Melhor Ator Coadjuvante em Telefilme ou Minissérie.

23:24h – Chris Collfer, por Glee.

23:26h –  Intervalo comercial.

23:30h – Voltou o Globo de Ouro.

23:31h –  Digo mais uma vez: Alice não merecia essa indicação.

23:33h – Vem aí Milla Jovovich e Kevin Bacon para apresentar Melhor Ator em Série Dramática. Assisti só o piloto do Boardwalk Empire, mas acho que Steve Buscemi merece.

23:35h – Boa! Steve Buscemi leva Melhor Ator em Série Dramática, por Boardwalk Empire.

23:37h – Agora, o de Melhor Série Dramática.

23:38h –  E ganhou Boardwalk Empire. Acho que é merecido, mas queria que o The Walking Dead ganhasse.

23:40h –  E mais intervalos comerciais, perfeito pra descansar.

23:43h –  Voltamos, com Andrew Garfield apresentando A Rede Social, grande favorito da noite.

23:45h – Alec Baldwin e Jennifer Lopez (lindíssima) apresentando Canção Original. Sinceramente, não ouvi nenhuma dos indicados.

23:47h –  E leva “You Haven’t seen the last of me”, da Cher do filme Burlesque.

23:48h –  Agora, Trilha Sonora! Torço furiosamente por A Origem que é sensacional.

23:50h –  E Trent Reznor e Atticus Ross ganham por A Rede Social. A trilha é ótima, mas Hans Zimmer é superior.

23:51h – Mais intervalos comerciais.

23:53h – A Origem infelizmente não vai levar nada… Injusto.

23:55h –  E a transmissão continua!

23:56h – Hailee Steinfeld e o babaca Justin Bieber apresentam Melhor Filme de Animação. Obviamente, Toy Story 3 vai levar.

23:57h – Toy Story 3 ganha merecidamente. Ótima animação, Pixar é imbatível.

23:59h – Robert Downey Jr. arrasando no palco.

00:02h –  Agora Melhor Atriz em Filme de Comédia ou Musical. É da Annette Bening, certeza.

00:03h –  Annette Bening ganha, por Minhas Mães e Meu Pai.

 00:o5h – Preciso ver esse filme né…

00:06h – Brake!

00:09h – Voltamos!

00:10h – Ironicamente, Sylvester Stallone apresenta O Vencedor.

00:11h – Agora, Melhor  Ator em Telefilme ou Minissérie. Al Pacino, claro né?

00:12h – Al Pacino, por You Don’t Know Jack.

00:15h – Agora, Melhor Atriz em Telefilme ou Minissérie.

00:16h – Claire Danes, por Temple Gardin.

00:18h – Mais intervalos.

00:23h – De volta!

00:24h –  Zac Efron apresenta Minhas Mães e Meu Pai.

00:26h –  Steve Carrell e Tina Fey vão apresentar Melhor Roteiro. A Rede Social vai levar, com certeza. O texto do Aaron Sorkin é impecável.

00:27h – A Rede Social ganha Melhor Roteiro.

00:28h – A Rede Social de fato merece esse prêmio.

00:30h – Capitão America e Thor apresentam Melhor Atriz em Série, Minissérie e Telefilme. Jane Lynch ganhou, por Glee.

oo:31h – Mais intervalos comerciais.

00:35h – E voltamos mais uma vez! Agora teremos mais categorias de cinema, que é o foco do blog, afinal…

00:36h –  Robert Pattinson e Olivia Wilde apresentam Melhor Filme Estrangeiro.

00:37h – In a Better World ganha Melhor Filme Estrangeiro. Não conheço, realmente preciso ver mais filmes europeus…

00:39h – Helen Mirren apresenta O Discurso do Rei. Irônico (mais uma vez), já que ela interpretou a Rainha Elizabeth em A Rainha. Ganhou o Oscar, aliás.

00:40h – Agora, Melhor Atriz em Série de Comédia. Será que a Tina Fey ganha de novo?

00:42h – Laura Liney, por The Big C. A série parece boa, estou pensando em assistir… Ah, intervalos!

00:46h – De volta. Com Jane Fonda apresentando Burlesque. Passo longe desse aí…

00:47h – Agora, Melhor Ator em Série de Tv de Comédia. Alec Baldwin vai ganhar de novo? Ou o cara do Glee?

00:49h – Opa, Jim Parsons ganha MERECIDAMENTE pelo seu sensacional trabalho em The Big Bang Theory.

00:50h – Agora, Melhor Atriz Coadjuvante em Cinema. Melissa Leo, acho…

00:51h –  Melissa Leo, por O Vencedor.

00:53h – Brake mais uma vez!

00:58h – Voltamos. Com Matt Damon entregando Prêmio Especial para Robert DeNiro.

01:00h – Robert DeNiro se destaca em O Poderoso Chefão 2 e Taxi Driver. Grandes filmes…

01:04h – Essa homenagem ao DeNiro foi espetacular. O cara é foda.

01:08h – Mais um intervalo comercial.

01:13h – Estamos de volta… A linda Megan Fox vai apresentar O Turista.

01:14h – Annette Bening apresentando Melhor Diretor. Fincher ganha, mas Nolan merecia DEMAIS!

01:15h –  David Fincher ganha Melhor Diretor, por A Rede Social.

01:16h – Um diretor excepcional que nem o Christopher Nolan ainda vai ganhar o seu… Muito em breve.

01:18h –  Agora, Melhor Série de Comédia. Glee, certo?

01:19h –  Isso aí, Glee ganha Melhor Série de Comédia.

01:20h – Brake time!

01:23h – Voltamos, com Alicia Keys apresentando Cisne Negro.

01:25h – Halle Berry apresentando Melhor Ator em Comédia ou Musical. Johnny Depp ou Jonnhy Depp?

01:26h –  Ufa, nenhum dos dois: Paul Giamatti, por Barney’s Version.

01:28h – Mais um intervalo. Isso mesmo, MAIS um.

01:32h – Voltamos com Joseph Gordon Levitt apresentando o melhor filme de 2010: A Origem.

01:33h – O boa-praça Jeff Bridges apresenta Melhor Atriz em Filme de Drama. Vai Portman!

01:34h –  YES! Natalie Portman ganha Melhor Atriz em Drama, por Cisne Negro.

01:38h – Com muito sarcasmo, Ricky Gervais recebe Tom Hanks e Tim Allen, que apresentarão Melhor Filme de Comédia ou Musical.

01:40h – E O vencedor é… Minhas Mães e Meu Pai.

01:42h – Faltando apenas 2 categorias, intervalos comerciais.

01:46h – Voltamos, Sandra Bullock vai apresentar Melhor Ator em Filme de Drama. Colin Firth, óbvio.

01:47h – Aí está: Colin Firth ganha, por O Discurso do Rei.

01:50h –  Só falta UMA categoria e colocam intervalo comercial? Tudo bem que está bem na cara, mas…

01:54h – Voltamos, com Michael Douglas (que venceu o câncer) apresenta Melhor Filme de Drama. A Rede Social né…

01:56h – Melhor Filme de Drama, A Rede Social.

01:58h – Bem, chegamos ao fim. A Rede Social levou quase tudo e promete ser o grande filme do Oscar 2011, apesar de A Origem ser superior, mais ousado e original. David Fincher merece o prêmio pelo ótimo filme que dirigiu, mas também pela sua carreira impecável (exclua Alien 3) e tenho certeza de que Christopher Nolan ainda vai ganhar seus merecidos prêmios – já deu pra perceber que sou fã do sujeito…

02:00h – Ainda não vi O Discurso do Rei, Cisne Negro e o Vencedor, mas aposto na qualidade de suas performances. Resta aguardar pelos próximos prêmios.

Agradeço a todos que acompanharam a transmissão aqui no blog e, aguardem, porque no Oscar vou fazer a mesma coisa. Até mais e boa-noite…

Diretores: Christopher Nolan

Posted in Diretores with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28 de julho de 2010 by Lucas Nascimento

Os filmes da carreira do diretor Christopher Nolan.

Following (1998)

Com orçamento independente e técnicas de filmagens bem simplórias, o primeiro filme de Nolan é uma interessante (e paranoica) história de um escritor que segue pessoasa fim de buscar inspirações para seus trabalhos. Chama a atenção pela narrativa intrincada (marca típica do cineasta) e a fotografia em preto e branco.

Amnésia (2000)

Um dos filmes mais surpreendentes e complexos já feitos. Famoso pela “narrativa ao contrário”, Amnésia é um thriller inteligente e poderoso, um quebra-cabeças peculiar e complicado. Assistir só uma vez não é o suficiente para entender o roteiro brilhante dos irmãos Nolan. Nem mesmo se for ao contrário.

Insônia (2002)

Remake de um filme de 1997, é um thriller muito engenhoso e inteligente. As performances de Al Pacino e Robin Williams estão espetaculares e o tom atmosférico é bem sombrio, o Alaska apresenta-se como o cenário perfeito para a trama, com um desfecho sensacional.

Batman Begins (2005)

Indo atrás do material original do homem-morcego, Nolan dá um novo ar ao Batman, mudando radicalmente a estrutura e o visual de um filme de super-heróis. Ótimas atuações, roteiro esperto e uma produção extremamente caprichada. Nem precisa mencionar que a reinvenção do Morcego inspirou toda Hollywood.

O Grande Truque (2006)

A cruel e sombria disputa entre dois mágicos… A premissa já é ótima, o filme de fato aproveita-a e toma rumos muito além do imaginável, reviravoltas e alcança um final bizarro e completamente inesperado. Tem ótimas performances de Hugh Jackman e Christian Bale.

Batman – O Cavaleiro das Trevas (2008)

Como juntar atuações excepcionais, roteiro inteligente que te faz refletir, esquemas policiais inteligentes e cenas de ação espetaculares, pra não cair na monotomia e conseguir um filmaço? É o que o segundo filme da reinvenção do homem morcego faz. Nolan cria o melhor filme da década passada e mostra que super-heróis não são mais só dinheiro e ação; eles também querem dizer algo.

A Origem (2010)

Com uma das ideias mais originais dos últimos anos, Nolan alcança a perfeição ao tecer uma trama que apresenta ladrões do subconsciente, que usam de sonhos para roubar e implantar ideias na mente humana. Traz cenas de ação espetaculares e conceitos ambiciosos, além de um final enigmático que fez o mundo todo discutir.

Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012)

4.5

dkrises_84

As expectativas eram altíssimas para a conclusão da trilogia do Homem-Morcego após o sucesso do filme de 2008, mas Nolan conseguiu entregar um longa que, mesmo aquém dos anteriores, agrada nos mesmos quesitos de ação e drama. Pesando ainda mais no homem por trás da máscara, O Cavaleiro das Trevas Ressurge testa ao extremo os limites físicos do super-herói e explora com ousadia as possibilidades da mitologia de seu personagem. Resta saber se é mesmo o fim.

Interestelar (2014)

5.0

interstellar_22

Abraçando uma ficção científica que aprofunda-se em complexos conceitos de buracos de minhoca e dimensões paralelas, Interestelar revelou-se o filme mais divisivo do diretor. Quem ficou do time que gostou, se impressionou com uma aventura de proporções épicas, mas que não perde o coração de sua trama intimista ou o cuidado com seus personagens. Pode até ir longe demais em suas explicações, mas é um grande filme.