Arquivo para asa butterfield

Conheça os 5 finalistas para o novo Homem-Aranha

Posted in Notícias with tags , , , , , , , , on 22 de abril de 2015 by Lucas Nascimento

4129277-5150674694-Spide

Nem parece que faz pouco tempo que, lá em meados de 2010, Andrew Garfield era anunciado como o novo Homem-Aranha nos cinemas. Agora, o novo intérprete que estrelará os filmes da Marvel Studios/Sony está novamente próximo de ser escolhido, tendo agora 5 finalistas:

Asa Butterfield (A Invenção de Hugo Cabret)

asa

Timothee Chalamet (Interestelar)

timothee

Tom Holland (O Impossível)

tom

Liam James (The Killing)

liam

Nat Wolff (Cidades de Papel)

wolff

Todos atores eficientes, e consideravelmente mais jovens do que Garfield e Tobey Maguire. A Marvel não deve demorar para anunciar o escolhido…

É esperado que o Aranha faça sua estreia em Capitão América 3: Guerra Civil, em Maio de 2016. O filme solo, a ser escrito e dirigido por Drew Goddard, será lançado em 2017.

Anúncios

| A Invenção de Hugo Cabret | A deliciosa aventura 3D de Martin Scorsese

Posted in Aventura, Cinema, Críticas de 2012, Drama, Indicados ao Oscar with tags , , , , , , , , , , , , on 19 de fevereiro de 2012 by Lucas Nascimento

4.0


Asa Butterfield encarna o jovem Hugo Cabret

Martin Scorsese é um dos maiores diretores da História do Cinema, e um não pode ser chamado de cinéfilo sem ter visto alguma de suas obras-primas. Famoso por longas de gangsters e violência, ele explora território completamente novo em A Invenção de Hugo Cabret (pronuncia-se “Cabrê”), uma doce e inocente aventura infantil em 3D, onde o cineasta aprimora técnicas narrativas e ainda encontra espaço para homenagear a Sétima de Arte.

A trama é ambientada em uma Paris dos anos 30 cujo visual beira o fantástico (em um excelente trabalho do design de produção e efeitos visuais), onde encontramos o órfão Hugo Cabret (Asa Butterfield) morando entre as paredes do relógio de uma estação de trem. O jovem sobrevive por meio de furtos e escapadas, enquanto tenta consertar um enigmático autômato deixado por seu pai (Jude Law), e inicia uma amizade com Isabelle (Chloe Grace Moretz), que possui a chave para a resolução do mistério.

Assim como O Artista e Meia-Noite em Paris (ambos indicados para Melhor Filme no Oscar deste ano), Hugo é um ode ao passado, uma homenagem nostálgica sobre tempos mais simples e inesquecíveis. Escrito a partir do livro de Brian Selznick, o roteiro de John Logan é um texto maravilhoso que traz mensagens verdadeiramente inspiradoras em suas entrelinhas (especialmente na comparação feita por Hugo entre o mundo e uma máquina, e o conceito das peças extras) ao mesmo tempo em que traça histórias interessantes dentro desse mundo semi-fantasioso. Os diálogos fluem bem e sua trama é acessível para qualquer público, com um requisito claro: a paixão pelo cinema.

E Scorsese é um apaixonado por cinema. Ele usa o texto de Logan como guia e faz de Hugo algo propriamente pessoal, usando de velhas assinaturas (como a névoa, onipresente nos filmes do diretor, que ganha uma bela profundidade com o 3D) a passo que adota recursos mais modernos, como o ótimo travelling digital nos segundos iniciais – que oferecem uma imersão no cenário e na história como eu não via há muito tempo; eu realmente me senti dentro da estação de trem. A tal homenagem à Sétima Arte que você tanto tem ouvido falar é proporcionada, em sua maior parte, pela presença do icônico Georges Méliès (Ben Kingsley, ótimo); precursor no cinema de efeitos especiais, cuja vida e obra são relembradas aqui em uma sequência particularmente empolgante, (Viagem a Lua, longa mais famoso de sua filmografia tem um papel maior) que ainda conta com imagens dos filmes do próprio e de diversos outros (até de O Trem chegando na Estação, primeiro da História). É Scorsese e sua campanha para a preservação de películas em uma propaganda nada apelativa, muito pelo contrário, e sim convincente.

Todo o elenco também abraça o universo de Hugo Cabret. Asa Butterfield impressiona com seu carisma e dramaticidade ao viver o personagem-título, hipnotizando com seus olhos azuis da mesma forma que a sempre talentosa Chloe Grace Moretz esbanja um portentoso sotaque britânico, que cai bem com a empolgação inocente de sua personagem. Repleto de salientes coadjuvantes, Sacha Baron Cohen (o eterno Borat) talvez seja o melhor deles como o divertido inspetor da estação, cuja agressividade na perseguição a jovens órfãos é contrastada de forma dócil por sua timidez ao conversar com a florista Lisette (Emily Mortimer, de Ilha do Medo). Prestem atenção também à ligeira ponta de Martin Scorsese

A Invenção de Hugo Cabret é mais do que apenas o primeiro 3D de Martin Scorsese. É uma história sobre encontrarmos nossa função no mundo e como os sonhos podem ser capturados pela incomparável magia do cinema. É uma carta de amor para o cinéfilo dentro de todos nós.

Obs: A crítica já deve ter deixado bem claro mas, se possível, assista em 3D!

Primeira Olhada: HUGO

Posted in Primeira Olhada with tags , , , , , , , , , on 17 de julho de 2011 by Lucas Nascimento

O trailer do novo filme de Martin Scorsese saiu esta semana e parece completamente diferente de todos os outros trabalhos do genial diretor. Uma breve primeira olhada em Hugo (sim, já foi A Invenção de Hugo Cabret, Hugo Cabret e agora é simplesmente Hugo. Daqui há uns meses vão mudar pra H…).


A Paris de 1930, caprichada no contexto de Hugo Cabret

Começando pelo visual, ele parece bem interessante. Ambientado na década de 30, a cidade de Paris na visão do cineasta mescla um estilo realista com um mais fantasioso e, a julgar pelos enquadramentos e movimentos de câmera, o diretor promete usar bem a tecnologia 3D e contar de forma divertida a história do robô mensageiro encontrado por Hugo Cabret.


Divertidíssimo, Sacha Baron Cohen promete roubar o filme

Mas o melhor do trailer (em minha opinião) é o elenco. Asa Butterfield (O Menino do Pijama Listrado) é um jovem talentoso e deve ficar ainda melhor sob a supervisão de Scorsese, assim como a ótima Chloe Moretz (Deixe-me Entrar). E sem comentários quanto à Sacha Baron Cohen, que está divertidíssimo como o segurança de uma estação de trem, prometendo roubar a cena.


Os talentosos Asa Butterfield e Chloe Moretz sob a direção de Scorsese

Quanto à trama, é inegável que ela seja mais voltada ao público infantil mas, assim como aconteceu com Steven Spielberg, Scorsese pode manter seu invejável dom de contador de histórias e entregar um bom filme que pode até agradar todos os públicos.

Afinal, é Scorsese, certo?

Trailer:

Hugo estreia em 20 de Janeiro no Brasil.

Próximo da Fila: Martin Scorsese (I)

Posted in Próximo da Fila with tags , , , , , , , , , , , , on 1 de maio de 2011 by Lucas Nascimento

O próximo filme de Martin Scorsese é, sem dúvida, o mais peculiar e inusitado de toda sua carreira: um filme de fantasia para família em 3D, adaptado do livro A Invenção de Hugo Cabret de Brian Selznick.

O título foi reduzido para Hugo Cabret e conta a história de Hugo, um menino órfão que mora numa estação de trem na Paris dos anos 30 e parte para resolver um mistério envolvendo seu pai e um enigmático robô mensageiro.

As filmagens em 3D já terminaram e a pós-produção está a mil por hora. No elenco, temos Asa Butterfield (O Menino do Pijama Listrado) como Hugo, Chloe Moretz (Deixe-me Entrar, Kick-Ass) como Isabelle e coadjuvantes de peso que incluem Jude Law, Christopher Lee, Ben Kingsley, Sacha Baron Cohen (o eterno Borat) e uma ponta de Johnny Depp.

Parece um filme interessante e vale a pena ver se Scorsese adequa-se ao gênero. Vamos aguardar.

Hugo Cabret estreia em 23 de Novembro nos EUA