Arquivo para ben stiller

| Uma Noite no Museu 3: O Segredo da Tumba | Crítica

Posted in Aventura, Cinema, Críticas de 2015 with tags , , , , , , , , , , , , on 2 de janeiro de 2015 by Lucas Nascimento

2.5

NightattheMuseumTheSecretoftheTomb
Dan Stevens é Sir Lancelot e Ben Stiller é Larry Daley

Eu gosto bastante dos primeiros exemplares da agora trilogia Uma Noite no Museu. São duas aventuras assumidamente familiares e até infantis, mas que trazem divertidas citações históricas e uma sensação nostálgica que me faz pensar no hit da Sessão da Tarde Jumanji. Com um terceiro filme que eu não fazia ideia de que ia ser lançado, Shawn Levy e sua turma ficam aquém das expectativas com O Segredo da Tumba.

A trama começa quando a Tábua de Ahkmenrah, artefato egípcio responsável por dar vida às obras do museu, começa a falhar, afetando a existência de todas as figuras icônicas que agora são a atração principal do estabelecimento. O vigia noturno Larry Daley (Ben Stiller) precisa então viajar até Londres, onde o Museu Britânico teria a chave para consertar a situação.

É espantoso que O Segredo da Tumba seja inferior aos anteriores, já que é basicamente o mesmo filme; a mesma fórmula. Até me divirto ao imaginar o tratamento Anjos da Lei aqui na franquia, criando infinitas continuações (“Uma Noite no Museu 8: Deu a Louca no MASP”, “Uma Noite no Museu 12: I Love Louvre” ou “Uma Noite no Museu 27: O Enigma de Madame Tussauds”), já que a estrutura permaneceria a mesma, independente do cenário. Aqui, a dupla de roteiristas David Guion e Michael Handelman apela se vez ao infantilóide, piadas com barulho de boca, caretas e britânicos. Nada muito empolgante. Sem falar que assustadoramente incita a zoofilia.

Aqui, as novas figuras históricas não são tão carismáticas (além de serem poucas adições), limitando-se a um inspirado Dan Stevens como Lancelot, que aceita completamente a palhaçada em que está metido. A sempre irritante Rebel Wilson permanece portadora do estereótipo da “mulher gorda” e Ben Kinglsey tem uma participação esquecível. O grande destaque de elenco inédito fica com duas cameos divertidas, que envolvem uma inesperada piada com X-Men.

Não que o filme não tenha seus momentos, sejam eles quando Ben Stiller se transforma num implacável herói de ação para enfrentar um dragão de múltiplas cabeças com Lancelot, uma pequena visita a Pompeia ou uma luta dentro do quadro paradoxal de M. C. Escher (que também inspirou o design onírico de A Origem). Ver também Robin Williams em um papel que explora suas habilidades como comediante, é sempre agradável, e triste por sabermos que é uma de suas performances finais.

Uma Noite no Museu 3: O Segredo da Tumba não é a conclusão que a série merecia, fadada à piadas infantis e poucas novidades realmente empolgantes. Tem seus méritos, mas é uma infeliz decepção.

Obs: A dedicatória a Robin Williams talvez seja o momento mais emocionante de toda a projeção.

Anúncios

Insert Coin: Especial SCOTT PILGRIM CONTRA O MUNDO

Posted in Especiais with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25 de outubro de 2010 by Lucas Nascimento

Depois de passar pelo perigo de não estrear nos cinemas brasileiros, Scott Pilgrim contra o Mundo chegou, prometendo ser um dos grandes filmes do ano, mesmo que ninguém o veja. Acompanhe o especial.

Publicada em 6 volumes nos EUA e em 3 aqui no Brasil (o volume 2 está pra sair), a série Scott Pilgrim é uma das melhores HQs que já tive o prazer de ler; a trama é simplesmente… Uau! Contando com elementos de videogame, perfis no meio da história e onomatopeias malucas, percebe-se que o autor Bryan Lee O’Malley se divertiu muito desenvolvendo o gibi; e quem se diverte mais ainda é o leitor.

O traço e a coloração em preto e branco lembram um pouco mangá, mas não seguem a mesma estrutura narrativa.

Desde a finalização do primeiro volume da série (Scott Pilgrim’s Precious little life), já era existente o desejo de uma adaptação para o cinema. Apesar de discordar no início, Bryan O’ Malley apoiou o projeto, dando sugestões e anotações. Na época, o diretor Edgar Wright acabava de terminar Todo Mundo Quase Morto.

As filmagens começaram em Março de 2009, em Toronto no Canadá (onde se passa a trama no quadrinho) e terminaram em Agosto do mesmo ano. O trabalho foi a pós-produção, repleta de efeitos visuais. Assim como em Kick-Ass, a saga ainda não havia chegado ao fim, por isso o final do filme é diferente do da HQ.

O filme estreiou em Agosto nos EUA, tendo uma arrecadação muito fraca nas bilheterias, o que quase cancelou a estreia do longa no Brasil. Não fosse a mobilização no Twitter, provavelmente este especial não estaria aqui agora, muito menos o filme.

Scott Pilgrim (Michael Cera)

Canadense de 20 e poucos anos, vida boa, baixista de uma banda de garagem e que passa a maior parte do tempo jogando videogames. Tudo muda quando Scott conhece Ramona Flowers, mas para ficar com ela, ele deve derrotar seus 7 Ex-Namorados do Mal.

Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winstead)

Misteriosa americana que acaba de se mudar para o Canadá, trabalha como entregadora da Amazon e logo desperta a atenção de Scott. Ela dá informações sobre seus ex-namorados.

Wallace Wells (Kieran Culkin)

Colega de quarto gay de Scott (e um dos mais divertidos personagens da saga), Wallace dá conselhos e ajuda a seu amigo, enquanto suporta seu vício em festas e videogames.

Knives Chau (Ellen Wong)

Antes de conhecer Ramona, Scott teve um pequeno namoro com a colegial Knives Chau, que se apaixonou por ele após ver um ensaio de sua banda. Quando Scott termina o namoro, tudo o que ela quer é vingança.

A Liga dos Sete Ex-Namorados do Mal

1. Matthew Patel (Satya Bhabha) : O namoro de Patel com Ramona começou no colégio, durando apenas uma semana. Ameaçando Scott, o sujeito conta com alguns poderes místicos.

2. Lucas Lee (Chris Evans): Skatista no colégio, Lee tornou-se astro de filmes de ação, sempre sucessos de bilheteria. Na luta contra Scott, conta com sua força bruta e equipe de dublês.

3. Todd Ingram (Brandon Routh): Baixista de uma banda de rock, Ingram possui poderes sobrenaturais graças a sua dieta Vegan (“ele fez academia vegan e tudo mais…”). É meio leigo.

4. Roxanne “Roxy” Ritchie (Mae Whitman): A única mulher da Liga, a meia-ninja Roxy foi parte de uma experiência “bi-curiosa” de Ramona.

5. e 6. Kyle & Ken Katayanagi (Shota Saito & Keita Saito): Gêmeos japoneses e famosos músicos, Ramona namorou os dois ao mesmo tempo.

7. Gideon Graves (Jason Schwartzman): Gênio maléfico, Gideon comanda a Liga dos Ex-Namorados e possui habilidades de luta avançadas.

Alguns memoráveis personagens nerds do cinema (e um grupo indispensável da TV).

McLovin

McLovin! Já virou ícone do século XXI, um dos mais divertidos e engraçados personagens que eu já vi. Armado com sua identida falsa e timidez, o adolescente se solta no fim do filme e, mesmo que sejam só alguns segundos, é o único que se dá bem.

George McFly

Um dos nerds mais bem caracterizados no cinema, o pai do herói Marty McFly, George, teve a sorte de conhecer uma bela moça e cresceu nerd (uma atuação excelente de Crispin Glover). Sua radical mudança, provocada por seu filho ao voltar no tempo, é inspiradora e real.

Dave Lizewski

O que faz um personagem recente e muito pouco conhecido aqui? Dave Lizewski, desengonçado e nerd não ficou apenas fantasiando com histórias de super-heróis; ele foi à luta!

Sheldon Cooper

Pela primeira vez no blog, uma homenagem a um personagem da televisão! Apesar de The Big Bang Theory não ser lá essas coisas, o intelectual arrogante Sheldon vale a visita. Sempre expondo sua opinião e a lógica dos eventos, é muito divertido e nerd de carteirinha. Ah, é claro, Bazzinga!

Scott Pilgrim teve que enfrentar 7 Ex-Namorados. O que mais os “romeus” do cinema já encararam, em nome do amor?

Quem vai Ficar com Mary?

Além de enfrentar diversos pretendentes (incluindo seu melhor amigo), o personagem de Ben Stiller sofre. É preso e confundido com um assassino, gasta muito dinheiro em pscicólogos e prende o zíper naquele santo lugar… Espartano esse cara.

Como se fosse a Primeira Vez

Realmente, ter que lembrar a garota que você namora todo dia de que eles se conhecem é real… Adam Sandler e Drew Barrymore lideram a agradável comédia, que é muito divertida.

Bem, o especial acaba aqui, mas não deixe de conferir a crítica de Scott Pilgrim contra o Mundo na Sexta-Feira. Até mais!

ATUALIZAÇÃO: A estreia do filme foi mudada para o dia 05/11 em SP.

Oscar 2010 cai no “Armário da dor”

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 8 de março de 2010 by Lucas Nascimento

Ontem aconteceu em Los Angeles a 82ª Entrega do Oscar. Quem acompanhou a transmissão ao vivo sabe quem ganhou. Bem, estou aqui para dar meus comentários e opiniões sobre os vencedores (houveram muitas injustiças!). Acompanhe.

  Alec Baldwin e Steve Martin tornaram a noite muito divertida

Depois de uma inesperada participação de Neil Patrick Harris, os apresentadores Alec Baldwin e Steve Martin lançaram muitas piadas e brincadeiras com os indicados ( a provocação com George Clooney foi hilária). Ainda fizeram uma paródia genial de Atividade Paranormal, que foi exibida após uma homenagem aos grandes filmes de terror.

   Jeff Bridges e Christoph Waltz com seus prêmios

Bem, sobre os prêmios. Primeiro quero começar falando sobre Roteiro Original… Alguém me explica, como que o roteiro mediano de Guerra ao Terror ganhou do brilhante e sensacional Bastardos Inglórios? O que Mark Boal escreveu de tão genial para bater Quentin Tarantino? É um absurdo, a injustiça da noite! Guerra ao Terror não merecia nem metade do que ganhou. O que me alegrou, foi ver Christoph Waltz levar a estatueta de Ator Coadjuvante; seu discurso foi elegante e simples, o cara merece. E como era esperado, Jeff Bridges levou sua estatueta de melhor ator.

  Sandra Bullock e Mo’Nique ganham seus primeiros Oscars

Mo’Nique era a favorita (e com justiça) por seu papel em Preciosa – Uma História de Esperança, e confirmou seu favoritismo ao levar o prêmio e ignorar o “discurso de 45 segundos”. Uma surpresa da noite foi a vitória do Roteiro Adaptado de Preciosa; Geoffrey Flethcer estava muito emocionado, ninguém esperava por essa. E temos Sandra Bullock, que ficou emocionada ao receber sua primeira estatueta. Curioso é que na noite anterior, ela tinha ganho um prêmio de Pior Atriz.

Avatar e Guerra ao Terror eram os grandes favoritos da noite, com cada um com 9 indicações. O resultado foi que Avatar faturou 3 prêmios (Direção de Arte, Efeitos Visuais e Fotografia) e Guerra ao Terror levou 6, incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor. Na minha opinião, Guerra ao Terror merecia apenas Montagem e Mixagem de Som, o resto seria ou de Avatar, ou Bastardos Inglórios (o grande injustiçado!). Mas sobre a disputa Bigelow-Cameron, a diretora até que mereceu, tornando-se a primeira mulher a ganhar o Oscar de Melhor Diretor, mas ainda acho o trabalho espetacular de James Cameron de criar mundos inteiros, bem superior. E Ben Stiller estava impagável como um “avatar”.

“The Hurt Locker” ou “Armário da Dor” (Título original de Guerra ao Terror) é uma expressão metafórica sobre o lugar em que uma pessoa se encontra ao falhar em uma tarefa. O Oscar bem que podia mudar um pouco e começar a premiar filmes empolgantes e mais agitados; filmes que dão prazer de assistir. Por isso, Avatar ou Bastardos Inglórios deveria ter levado. Para mim, o Oscar se encontra (já há algum tempo) dentro do Armário da Dor, e resta torcer para que ele crie juízo e saia de lá.