Arquivo para drive

Primeiro trailer de ONLY GOD FORGIVES

Posted in Trailers with tags , , , , , , on 3 de abril de 2013 by Lucas Nascimento

ogf

A reunião do astro Ryan Gosling e do diretor dinamarquês Nicolas Winding Refn, depois do ótimo Drive, ganhou seu primeiro trailer para maiores. Ambientado na Tailândia, Only God Forgives traz o confronto entre um tenente da polícia e um chefão da máfia em meio ao mundo sujo do boxe. Estilizada, a prévia traz belíssimos planos e imagens. Confira:

Música no trailer: “Tur Kue Kwam Fun”, do Proud

Only God Forgives ainda não tem previsão de estreia no Brasil.

Anúncios

| Drive | Um anti-herói para se nunca esquecer

Posted in Ação, Cinema, Críticas de 2012, Drama, Indicados ao Oscar with tags , , , , , , , , , , on 10 de março de 2012 by Lucas Nascimento


O Motorista ou o Piloto? Ou simplesmente, Driver?

Não sabemos muito sobre o personagem de Ryan Gosling em Drive. Ele é silencioso, habilidoso com carros, simpático com seus vizinhos e também incrivelmente violento. Ele não participa de roubos ou assaltos, ele dirige. Sua função é tão fundamental, que nem o nome do Motorista nós descobrimos, mas o diretor Nicolas Winding Refn consegue manter o filme interessante todo o tempo, graças à sua inspirada direção.

A trama é sobre o Motorista misterioso comentado acima. Ele trabalha como dublê de filmes de ação em Hollywood, enquanto à noite ele age como piloto de fuga para roubos criminosos e atividades do gênero. Tudo muda quando ele se envolve com sua vizinha Irene (Carey Mulligan), e o marido da mesma, que o coloca dentro de um golpe envolvendo dois perigosíssimos criminosos.

Não há nada de novo ou revolucionário quanto ao roteiro de Drive, assinado por Hossein Amini (que adapta o livro de mesmo nome, de James Sallis), que segue uma estrutura básica e formulaica. Temos bons personagens e diálogos eficientes, mas o que realmente se destaca é a brilhante execução fornecida pelo diretor dinamarquês – merecidamente premiado em Cannes por seu trabalho, e injustamente esnobado pelo Oscar deste ano. Refn adota o Motorista como alma e centro do filme, e mesmo quando embarcamos em uma cena de perseguição, a câmera predomina no interior do veículo do protagonista – cujos olhos sempre são perceptíveis pelo retrovisor, numa esperta homenagem à Taxi Driver.

O estilo de Refn prepondera durante grande parte da projeção – o cineasta acerta ao não exagerar nos maneirismos, como fez Zack Snyder em seu Sucker Punch – Mundo Surreal – e rende momentos que já podem se considerar marcantes. A primeira cena já é um exemplo de inteligência e agilidade, onde conhecemos o protagonista, entendemos seu trabalho e a técnica com que realiza suas escapadas noturnas; e mal ouvimos uma palavra, já que a boa trilha de Cliff Martinez estabelece bem o clima, a passo que a trilha sonora instrumental oitentista (a indústria anda nostálgica, não?) fortalece e entretém determinadas cenas (como o uso da canção “Oh my love”, de Riz Ortolani, em uma situação-chave). E o que dizer daquela cena monstra do elevador? Linda, tensa, romântica e assustadoramente violenta. Ah sim, Drive não perdoa em seus frenesis de sangue e disparos de shotguns, e o fato de estas se darem de forma inesperada transforma a experiência em algo mais urgente e tenso (parabéns aos responsáveis pela edição de som).

Quanto ao elenco, Ryan Gosling abraça toda a persona calma do Motorista, contribuindo para a imagem subjetiva do personagem. É interessante ver como ele contracena com a inocente Irene (Carey Mulligan, fofa) ou com o companheiro Shannon (Bryan Cranston) e também que por mais que o Motorista seja agressivo, não há figura mais maldosa do que o Bernie Rose de Albert Brooks, ou o Nino de Ron Perlman, ambos surgindo como antagonistas memoráveis.

Muito estilo, boas músicas e momentos de tirar o fôlego e ainda sabemos muito pouco sobre o Motorista. Ele usa veste uma jaqueta bacana, mastiga um palito de dente, usa uma máscara inesquecível para completar um serviço e, principalmebnte, ele dirige/conduz toda a trama.

O Motorista de Drive acaba de entrar para a História.

Esta semana nos cinemas… (02/03)

Posted in Esta Semana nos cinemas with tags , , , , , , , , , on 1 de março de 2012 by Lucas Nascimento

Uma vampira vingativa, sátira de Crepúsculo, um porco falante, um dublê de Hollywood e adolescentes super-poderosos marcam as estreias desta semana nos cinemas do Brasil:

Anjos da Noite 4 – O Despertar

Sinopse: Após acordar de um coma de mais de 10 anos, Selene vê que o mundo mudou muito desde que “apagou”. Os humanos descobriram a existência dos vampiros e lobisomens e passaram a caçar essas raças.

Censura: 16 anos

Vontade de ver: 2/5

A Saga Molusco: Anoitecer

Sinopse: Sátira da saga Crepúsculo, que mostra Bella, o vampiro branquelo Edward e o lobisomem gorducho Jacob como você nunca viu antes. Bella está às voltas com o aguardado casamento com Edward, uma possível gravidez do primeiro filho e também com as trapalhadas de Jacob, o amigo de todas as horas, mas que não larga do pé dela.

Censura: 14 anos

Vontade de ver: 0/5

Billi Pig

Sinopse: A aspirante de atriz Marivalda, seu marido Wanderley, um corretor de seguros falido e um falso padre fazem de tudo para se dar bem da vida. Em tom de comédia, um porco que fala é o grande conselheiro de Marivalda, que a adverte sobre as trapaças e confusões que o marido arranja. Uma grande recompensa em dinheiro está em jogo e agora os três terão que correr atrás do milagre prometido.

Censura: 12 anos

Vontade de ver: 1/5

Drive

Sinopse: Ryan Gosling interpreta um piloto profissional que trabalha em cenas de perseguição de carros em Hollywood. Além disso, ele usa sua habilidade e precisão no volante como motorista em assaltos. Dentro do seu mundo solitário ele conhece Irene, cujo marido sairá da prisão em poucos dias. Disposto a ajudar essa família a pagar uma antiga dívida, ele se dividirá entre usar todas as suas habilidades para salva-lá ou embarcar em uma fulminante paixão.

Censura: 16 anos

Vontade de ver: 5/5

Poder sem Limites

Sinopse: Após ingerir uma subtância misteriosa, três amigos são surpreendidos ao ganhar super poderes. De início eles os usam para brincar com conhecidos, mas aos poucos ganham a sensação de impunidade e passam a realizar feitos maiores. Sentindo-se invulneráveis, eles ultrapassam qualquer limite quando uma pessoa é morta.

Censura: 12 anos

Vontade de ver: 5/5

Essas são suas opções da semana. Boa sessão!

Esse é Mesmo o Oscar 2012? | VOLUME III: Sons e Música

Posted in Especiais, Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 23 de fevereiro de 2012 by Lucas Nascimento

E chegamos ao volume 3 do especial Oscar 2012. Aqui, analisaremos as categorias de som e as musicais. Vamos nessa:

Uma explosão não é uma explosão se ela não tiver um som ensurdecedor, certo? Manipular o som criado ou capturado é uma tarefa complicada, mas o resultado pode ser impactante. Os indicados são:

Cavalo de Guerra | Richard Hymns e Gary Rydstrom

Não tem muito erro quando Steven Spielberg resolve visitar os campos de batalha de alguma guerra. Ambientando-se nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, as cenas de ação ganham um belo design de som, no qual – dentre canhões, explosões de gás mostarda e batidas de espadas – se destaca o galope do cavalo protagonista.

Drive | Lon Bender e Victor Ray Ennis

Eu assisti Drive e não assisti. Durante o voo para Nova York em minha viagem de Janeiro, assisti ao filme mas ainda acho que preciso assistí-lo na tela grande antes de comentar sobre ele (a tela era pequena, muitas cenas eram cortadas). Mas deu pra observar que o longa apresenta boas perseguições de carro, e que o som é bem manipulado quando a violência explode sem aviso – c0mo na briga no elevador, ou durante o ataque no hotel.

A Invenção de Hugo Cabret | Philip Stockton e Eugene Gearty

Os sons de Hugo são muito criativos. O que mais chama atenção, é o uso do som das engrenagens de relógio em quase todo o longa; fazendo apologia às inspiradas declarações do protagonista de que o mundo funciona como uma máquina. Mas vejam por exemplo, a cena do acidente de trem, onde a locomotiva atravessa a plataforma e os trilhos sem apresentar um barulho que corresponda à intensidade do evento. Bons sons, mas nada espetaculares.

Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres | Ren Klyce

Ren Klyce é um dos sonoplastas mais inventivos da atualidade. Colaborador habitual de David Fincher, aqui ele se diverte com os cenários e situações de Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres, principalmente o clima gelado de suas locações. O soprar do vento, por exemplo, torna-se quase um personagem com a inteligência com que é usado e também ferramenta de suspense – vide a arrepiante cena onde um dos personagens invade a casa de um suspeito, com o som do vento como som predominante.

Transformers – O Lado Oculto da Lua | Ethan Van der Ryn e Erik Aadahl

Explosões, explosões e explosões! Grande parte da sonoplastia de O Lado Oculto da Lua se resume a isso, mas ainda é possível encontrar inventividade na hora das transformações (com aqueles efeitos sonoros no melhor estilo Ben Burtt) e muiro, muito barulho. Costumam dizer que o filme mais barulhento é o vencedor da categoria – e Transformers CERTAMENTE é – mas não vai ser dessa vez…

FICOU DE FORA: Missão: Impossível – Protocolo Fantasma

O melhor filme de ação de 2011 deveria ter marcado presença aqui. Nem ao menos sua ótima edição de som foi lembrada, que dá maior intensidade aos socos e pancadas, constrói suspense durante a escalada no Burj Khalifa (o barulho do vento surge apropriadamente) e praticamente rouba toda a cena durante a perseguição em uma tempestade de areia. A sonoplastia é ótima.

APOSTA: A Invenção de Hugo Cabret

QUEM PODE VIRAR O JOGO: Cavalo de Guerra

Ok, o filme está pronto, editado, os efeitos visuais estão finalizados e os sons no lugar. Agora vem o grande desafio da pós-produção: juntar todos os efeitos sonoros com a trilha sonora, dando espaço a cada um deles de forma apropriada. Os indicados são:

Cavalo de Guerra | Gary Rydstrom, Andy Nelson, Tom Johnson e Stuart Wilson

A música de John Williams é o que completa o charme na sonoplastia de Cavalo de Guerra. Além das já comentadas cenas de batalha, vale destacar a cena em que o cavalo Joey se esforça para a arar a plantação de Albert, com o som da chuva  e de terra molhada ao fundo, enquanto a música vai pontuando adequadamente o momento.

O Homem que Mudou o Jogo | Deb Adair, Ron Bochar, Dave Giammarco e Ed Novick

É curioso ver O Homem que Mudou o Jogo indicado aqui. Talvez seja pela quantidade de diálogos (a Academia adora indicar longas com muitos diálogos), que são bem equilibrados e divididos, dando espaço também à flashbacks, números musicais da filha do protagonista (que ganham força em sua cena final) e o som esurdecedor das torcidas de times de beisebol. Não é um grande indicado, mas é um trabalho elegante.

A Invenção de Hugo Cabret | Tom Fleischman e John Midgley

Não vi grande coisa nos sons de Hugo Cabret. Com excessão do esperto uso das engrenagens de relógio (que comentei na sessão acima), trata-se de um bom trabalho de mixagem, onde a música de Howard Shore é bem aplicada e casa com o ritmo em questão de determinadas cenas. É notável também o cuidado e precisão durante as inúmeras sequências de flashback.

Ganhou o prêmio do CAS por Melhor Mixagem de Som

Millennium: Os Homens que não Amavam as Mulheres | David Parker, Michael Semanick, Ren Klyce e Bo Persson

Excepcional ao longo de toda a projeção, a mixagem de Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres é melhor do que a dos demais indicados. Tomemos como exemplo, a cena em que Lisbeth Salander visita seu tutor Bjurman para pedir dinheiro para um novo computador. Nela, a trilha perturbante de Trent Reznor e Atticus Ross mescla-se com o som de uma enceradeira ao fundo, alcançando um resultado ainda mais tenso e que torna a cena ainda pior. Genial, mas parece que os votantes da Academia não o reconhecerão…

Transformers – O Lado Oculto da Lua | Greg P. Russell, Gary Summers, Jeffrey J. Haboush e Peter J. Devlin

Ah sim, o grande responsável pelas dores de cabeça no cinema de 2011. Micheal Bay não perdoa e aumenta o volume da caixa na sua terceira entrada na franquia dos robôs. Explosões, música alta e tanta outras coisas que eu não me lembro (não tenho coragem de reassistir ao filme). Mas os sons são, como sempre, bem aplicados.

FICOU DE FORA: Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2

Considerando que este é o último longa de uma das maiores franquias cinematográficas da História, era de se esperar um burburinho maior em torno de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2. A mixagem de som, por exemplo, combina todos os efeitos sonoros da batalha de Hogwarts de forma controlada e emocional com a trilha sonora de Alexandre Desplat, dando espaço apenas para a música nos momentos mais dramáticos.

APOSTA: A Invenção de Hugo Cabret

QUEM PODE VIRAR: Cavalo de Guerra

Um longa-metragem não funciona da mesma maneira sem música. A trilha sonora ajuda a criar o tom, manter o ritmo e encher o espectador de emoção, complementando o que está na tela. Os indicados são:
(Clique no título do filme para ouvir a trilha sonora inteira)

As Aventuras de Tintim | John Williams

Com uma dupla indicação este ano, o grande John Williams alcança impressionantes 47 indicações ao Oscar em toda sua carreira. Suas composições em Tintim certamente são mais agradáveis e originais do que as de seu outro longa indicado, emitindo ecos profundos de alguns de seus melhores trabalhos (tais como Os Caçadores da Arca Perdida e Prenda-me se for Capaz) com uma bem-vinda pitada de jazz; principalmente no tema principal do filme e nos sons que dão pulso às ótimas cenas de ação. O melhor trabalho de Williams em anos.

Faixa Preferida: The Adventures of Tintin

O Artista | Ludovic Bource

Pode parecer repetição, mas em um filme mudo duas coisas falam alto: a expressividade dos atores e a trilha sonora. Com inspiração em temas que tornaram esse período do cinema tão icônico, Ludovic Bource proporciona algumas das maiores emoções em O Artista com seus inspirados acordes e composições. É uma trilha clássica e ao mesmo tempo inventiva, flertando com o divertido (George Valentin), o suspense (The World Talks) e o espetáculo (Peppy and George). Merece o prêmio.
Ganhou o Globo de Ouro de Melhor Trilha Sonora

Faixa Preferida: Peppy and George

Cavalo de Guerra | John Williams

Olha ele aí de novo! John Williams também está indicado pela trilha sonora de Cavalo de Guerra e, mesmo que não seja melhor do que a de Tintim, consegue despertar as emoções necessárias em seus apropriados momentos. É legal ver como Williams adotou a flauta como principal instrumento aqui.

Faixa Preferida: Reunion

O Espião que Sabia Demais | Alberto Iglesias

A trilha de Alberto Iglesias para o silencioso thriller de espionagem comandado por Tomas Alfredson pode ser definida em uma única palavra: elegante. Com um melancólico piano e calmos saxofones, a música transporta o espectador diretamente para a Guerra Fria, entrando em perfeita simbiose com os personagens e a trama do agente infiltrado. É uma música ambiente, definindo-o perfeitamente.

Faixa preferida: George Smiley

A Invenção de Hugo Cabret | Howard Shore

Sem pegar um projeto grandioso desde O Senhor dos Anéis, Howard Shore preenche A Invenção de Hugo Cabret com acordes musicais belíssimos. Predominantemente simpática, a música apresenta muita influência francesa – afinal a trama é ambientada na Paris dos anos 30 – e serve bem para o longa, capturando a aventura (The Chase), felicidade (The Invention of Dreams) e o mistério (The Clocks). Maravilhosa trilha sonora.

Faixa Preferida: A Train Arrives in the Station

FICOU DE FORA: Millennium: Os Homens que não Amavam as Mulheres | Trent Reznor & Atticus Ross

Vencedores da categoria no ano passado, a dupla Trent Reznor e Atticus Ross eleva seu estilo musical a outro nível. Se em A Rede Social a trilha capturava genialidade e solidão, aqui ela serve para criar uma atmosfera sombria e pesada em Os Homens que Não Amavam as Mulheres. O longa é centrado em ambientes frios, e os compositores utilizam de uma variedade de sons (bizarros, incomuns) para falar pelo gelo (Hidden in Snow), buscar vozes do passado (A Pair of Doves) e assombrar a tela (She Reminds me of You). CAGADA da Academia não indicá-los.

Melhor Faixa: The Heretics

APOSTA: O Artista

QUEM PODE VIRAR O JOGO: A Invenção de Hugo Cabret

Em 2012, a Academia simplesmente ligou o “foda-se” e colocou apenas dois indicados para Melhor Canção Original. Mais cedo ou mais tarde, aposto na extinção da categoria… Os indicados são:

“Man or Muppet” | Os Muppets

Uma das melhores cenas de Os Muppets, Bret McKenzie compõe a melancólica e hilária canção “Man or Muppet”, que surge no momento decisivo do longa. Além de brincar com os clichês desse tipo de situação, a cena ganha força com suas participações especiais.

Letra:

I reflect on my reflection
And I ask myself the question
What’s the right direction
to go
I don’t know

Am I a man
or am I a muppet
(Am I a muppet)
If I’m a muppet
then I’m a very manly muppet
(Very manly muppet)
Am I a muppet?
(Muppet)
Or am I a man?
(Am I a man)
If I’m a man that makes me a muppet of a man
(A muppet of a man)

I look into these eyes
And I don’t recognize
The one I see inside
It’s time for me to decide

Am I a man
Or am I a muppet?
(Am I a muppet)
If I’m a muppet
well I’m a very manly muppet
(Very manly muppet)
Am I a muppet
(Muppet)
Or am I a man?
(Am I a man)
If I’m a man that makes me a muppet of a man
(A muppet of a man)

Here I go again
My goal is runnin’ out of time
I think I made up my mind
Now I understand who I am

I’m a man

I’m a muppet
Yeah!

I’m a muppet of a man

I’m a very manly muppet

I’m a muppet-y man!

That’s what I am

“Real in Rio” | Rio

Indicação brasileira no Oscar! Sergio Mendes e o cantor baiano Carlinhos Brown enchem “Real in Rio” com acordes típicos brasileiros, que incluem a forte presença do samba, o som de passarinhos e da natureza. A música é bem divertida e praticamente dá o tom de Rio. Agora é 50% de chance para o Brasil faturar seu primeiro Oscar…

Letra:

All the birds of a feather
Do what they love most of all
We are the best at rhythm and laughter
That’s why we love carnaval

All so clear we can sing to
Sun and beaches they call
Dance to the music, passion and love
Show us the best you can do

Everyone here is on fire
Get up and join in the fun
Dance with a stranger, romance and danger
Magic could happen for real, in Rio
All by it self (it self)
You can’t see it coming
You can’t find it anywhere else (anywhere else)
It’s real, in Rio
Know something else (something else)
You can feel it happen
You can feel it all by yourself

All the birds of a feather
Do what they love most of all
Moon and the stars, strumming guitars
That’s why we love carnaval

Loving our life in the jungle
Everything’s wild and free
Never alone, ‘cause this is our home
Magic can happen for real, in Rio
All by it self (by it self)
You can’t see it coming
You can’t find it anywhere else

I’m a kako wero kinga kinga kinga kinga
Birds like me, ‘cause I’m a hot winga (there’s your hota winga aha)

Here everybody loves samba (I like the Samba)
Rhythm you feel in you heart (I’m the Samba master)
Beauty and love, what more could you want
Everything can be for real, in Rio
Here’s something else (something else)
You just feel it happening
You won’t find it anywhere else

FICOU DE FORA: “Couer Volant” | A Invenção de Hugo Cabret

Com toda a adoração da Academia por Hugo Cabret, chega a ser irracional a linda “Couer Volant” ter ficado de fora. A cantora francesa Zaz empresta sua voz maravilhosa enquanto o compositor Howard Shore fica a cargo da parte instrumental. Bem, só não vai dizer que foi por falta de vaga né?

Letra (em francês):

Animer, à la vie, les songes, les couleurs,
voir la lune, les étoiles, tout se retrouve à nouveau.
 
Serpentant les ruelles,
dans l’oubli, dans la peur,
petit génie aux doigts de fée,
fixant les heures,
ouvrant ses ailes,
un cœur qui pleurait, qui s’envole
l’amour a soigné ce qu’il manquait.
 
Elle était inconnue, curieuse et puis amie
un clin d’œil en offrande
petite sirène aux yeux de nuit
sa clé a porté le rêve vivant
un secret qu’ils partagent à présent.
 
Il était magicien d’images de poèmes
dompteur de rêves,
caché dans l’ombre,
seul avec son jeu brisé,
son cœur cassé
les choses en morceaux se réparent a nouveau.
 
Rêve …
N’oublie pas les rêves!
Rêve …

APOSTA: Man or Muppet

QUEM PODE VIRAR O JOGO (hehe): Real in Rio

Fim da parte 3! Fiquem ligados que amanhã publico a última postagem sobre o especial Oscar 2012, com as principais categorias.

Indicados ao Art Directors Guild Awards 2012

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , on 4 de janeiro de 2012 by Lucas Nascimento

Com o PGA ontem, agora temos o Art Directors Guild Awards, prêmio dos diretores de arte. Confira os indicados abaixo, com apostas em amarelo:

FILME DE ÉPOCA

Anônimo

O Artista

O Espião que Sabia Demais

Histórias Cruzadas

A Invenção de Hugo Cabret

FILME CONTEMPORÂNEO

Os Descendentes

Drive

MILLENNIUM: Os Homens que Não Amavam as Mulheres

Missão Madrinha de Casamento

Tão Forte, Tão Perto

FILME DE FANTASIA

As Aventuras de Tintim

Capitão América – O Primeiro Vingador

Cowboys & Aliens

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2

Piratas do Caribe – Navegando em Águas Misteriosas

Os vencedores serão anunciados em 4 de Fevereiro.

Preview 2012 – Antes que o Mundo Acabe

Posted in Preview with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 3 de janeiro de 2012 by Lucas Nascimento

Ano-novo, vida nova, filmes novos! 2012 chegou e preparei aqui um guia sobre os grandes lançamentos do ano, apontando motivos para vê-los ou ignorá-los. A lista consta com cerca de 70 filmes, mas LEMBREM-SE: AS DATAS DE LANÇAMENTOS SEMPRE ESTÃO SUJEITAS A ALTERAÇÕES. Você sabe, aquela velha história e, nesse caso, atualizarei o post frequentemente.

Enfim, que comece 2012 e que o mundo não acabe antes de conferirmos seus promissores lançamentos:

Cavalo de Guerra

O que é: Steven Spielberg voltando ao cinema-pipoca! Cavalo de Guerra é um épico de Primeira Guerra Mundial que mostra a amizade entre um fazendeiro e seu cavalo, e o horror da guerra quando o animal é mandado para o combate, forçando seu dono a acompanhá-lo.

Porque assistir: É Spielberg retornando ao cinema épico, e a produção do filme parece estar caprichada.

Desconfianças: Se for muito melodramático, será insuportável.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 6 de Janeiro

O Espião que Sabia Demais

O que é: Adaptação da obra de John Le Carré, traz uma história de espionagem ambientada na Guerra Fria, onde um espião aposentado (Gary Oldman) é chamado para descobrir um infiltrado no serviço de inteligência da Inglaterra.

Porque assistir: É do mesmo diretor de Deixa Ela EntrarTomas Alfredson – e traz um elenco grandioso – destacando o elogiado Gary Oldman – em uma trama sedutora (quem não adora a paranóia da Guerra Fria?).

Desconfianças: Hum. Se alguém souber de alguma, me avise.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 13 de Janeiro

Sherlock Holmes: O Jogo de Sombras

O que é: Continuação do sucesso de 2009 dirigido por Guy Ritchie, traz a dupla Holmes e Watson lutando para impedir um plano mortal do misterioso Professor Moriarty.

Porque assistir: O primeiro filme foi uma peça de entretenimento genuíno e descontraído, além de possuir Robert Downey Jr. em uma das melhores performances de sua carreira. O segundo filme promete ser maior, e a escolha de Moriarty como vilão é de longe mais interessante do que a do longa anterior.

Desconfianças: O roteiro deve ser melhor e as cenas de ação precisam ser mais controladas (no primeiro elas aparecem toda hora, de forma abrupta) e o mistério, melhor desenvolvido.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 13 de Janeiro

O Abrigo

O que é: Suspense que traz Michael Shannon como um homem que é perturbado por visões apocalípticas. Temendo que estas possam de fato se concretizar, ele começa a construir um abrigo em sua casa, assustando seus amigos e familiares com o comportamento.

Porque assistir: Shannon é um puta ator, e um papel de protagonista em um longa com uma premissa chamativa é exatamente o que ele precisa.

Desconfianças: Ah sim, mais um filme sobre o fim do mundo.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 13 de Janeiro ADIADO para 24 de Fevereiro

50%

O que é: Comédia-drama sobre um sujeito comum que descobre ter câncer e 50% de chance de sobrevivência. A trama explora sua relação com amigos, família e a forma com que lida com a situação.

Porque assistir: Fazer um filme de comédia com um tema tão delicado certamente merece uma visita, além de possuir um elenco chamativo.

Desconfianças: Repetindo: comédia e câncer não parecem ter muito a ver.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 18 de Janeiro (em DVD/Blu-ray)

As Aventuras de Tintim

O que é: A aguardada adaptação dos livros de Tintim, sob a direção de Steven Spielberg (olha ele de novo) e produção de Peter Jackson, utilizando captura de movimentos e filmagens em 3D estereoscópico. Este primeiro adaptará O Segredo do Licorne, onde o herói precisa desvendar o mistério acerca de um navio roubado.

Porque assistir: Quem nunca leu ou assistiu Tintim? As histórias são excelentes e a união de Spielberg e Jackson trabalhando juntos – com um ótimo elenco –  já é motivo para assistir, não importa o que seja.

Desconfianças: Eu, sinceramente, não consigo pensar em nenhuma.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 20 de Janeiro

Millennium – Os Homens que Não Amavam as Mulheres

O que é: Versão americana da trilogia best-seller Millennium de Stieg Larsson, dirigido por David Fincher. Traz o jornalista Mikael Blomkvist (Daniel Craig) e perturbada hacker Lisbeth Salander (Rooney Mara) investigando o misterioso desaparecimento de mais de 40 anos de uma jovem.

Porque assistir: David Fincher é um dos poucos diretores da atualidade que sabe realmente como se faz cinema e ele reuniu um grande elenco, liderado pela promissora Mara, para a adaptação de um excelente livro. O primeiro longa de uma trilogia (tomara!).

Desconfianças: Pra mim, nenhuma.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 27 de Janeiro

Precisamos Falar sobre o Kevin

O que é: Adaptação do livro de mesmo nome, mostra uma mãe que tenta lidar com o fato de seu filho Kevin, de 16 anos, ter sido responsável por uma chacina em sua escola.

Porque assistir: Apresenta um tema forte e que certamente merece atenção, além de prometer Tilda Swinton em um papel marcante.

Desconfianças: Mesmo sendo um tema forte, ele geralmente ganha tratamentos medianos. Espero que aqui seja diferente.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 27 de Janeiro

J. Edgar

O que é: Drama sobre a criação do FBI e seu fundador, J. Edgar Hoover, assim como sua conturbada vida pessoal.

Porque assistir: Leonardo DiCaprio promete uma performance inesquecível na pele do personagem-título, e a fundação do FBI é um tema que pode dar um bom filme.

Desconfianças: Eu sempre fico com um pé atrás quando o assunto é biografias, e o longa não teve a recepção aguardada nos EUA.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 27 de Janeiro

Os Descendentes

O que é: Um dos favoritos ao Oscar de Melhor Filme, é um frama de humor negro traz George Clooney como um pai viúvo que tenta se aproximar de suas filhas enquanto procura o homem com quem sua mulher tinha um caso.

Porque assistir: Foi bastante elogiado pela crítica estrangeira e promete trazer Clooney em um papel diferente.

Desconfianças: Quando um filme é movido por favoritismo – como é o caso de Os Descendentes – sempre desconfio se o mesmo de fato merece.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 27 de Janeiro

O Homem que Mudou o Jogo

O que é: Mais um filme que vai marcar presença no Oscar, acompanha o mundo do beisebol, mas precisamente o sistema “Moneyball” desenvolvido por um jovem analista (Jonah Hill) e posto na prática pelo técnico de um time falido (Brad Pitt), e como o novo esquema de jogo mudou o esporte para sempre.

Porque assistir: Promete Brad Pitt em sua melhor forma e traz dois nomes pesados na autoria do roteiro: Aaron Sorkin (A Rede Social) e Steven Zaillian (A Lista de Schindler).

Desconfianças: Muito poucas, a única revelante seria o medo do clichê dos filmes de esporte (como a mensagem de superação, etc).

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 3 de Fevereiro ADIADO para 17 de Fevereiro

Histórias Cruzadas

O que é: Drama de época que relata a relação entre mulheres brancas e negras.

Porque assistir: Tem um bom elenco e promete chamar a atenção na temporada de prêmios.

Desconfianças: Não estou vendo tanta coisa no longa, com excessão do elenco, que me chame a atenção. Parece o típico filme “feito para o Oscar”.

Vontade de ver: 2/5

Estreia: 3 de Fevereiro

À Toda Prova

O que é: Thriller de espionagem que traz uma agente de operações especiais que, após ser traída por sua equipe, busca vingança contra os responsáveis.

Porque assistir: Quem dirige é Steven Sorderbergh, e tem um ótimo elenco (Michael Fassbender, Ewan McGregor, Antonio Banderas e a lutadora de MMA Gina Carano no papel principal).

Desconfianças: Nada demais essa premissa. Já vimos histórias assim diversas vezes e de maneiras quase que idênticas.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 3 de Fevereiro

A Dama de Ferro

O que é: Mais uma cinebiografia, agora sobre a vida de Margaret Thatcher, a famosa “dama de ferro” que serviu como Primeiro-Ministro da do Reino Unido durante os tempos da Segunda Guerra Mundial.

Porque assistir: Meryl Streep promete (mais uma vez/como de costume) arrebentar no papel principal, certamente lhe rendendo uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz.

Desconfianças: A diretora do Mamma Mia! vai assumir?

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 17 de Fevereiro

Sete dias com Marilyn

O que é: Longa que captura alguns momentos da vida de Marilyn Monroe, com destaque para as filmagens de O Príncipe Encantado e a relação com Colin Clark.

Porque assistir: Nunca foi feito um filme sobre a icônica Marilyn Monroe e Michelle Williams ficou muito parecida com ela e promete uma performance inesquecível que, quem sabe, talvez leve o Oscar.

Desconfianças: É uma grande responsabilidade assumir um projeto desses e um diretor novato no cinema pode não ser a escolha certa.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 24 de Fevereiro ADIADO para 23 de Março

O Artista

O que é: Filme francês mudo e em preto e branco, que acompanha a queda do astro George Valentin (Jean Dujardin) quando o cinema falado entra em Hollywood, ao mesmo tempo em que sua namorada Peppy Miller (Bérénice Bejo) vai crescendo na indústria.

Porque assistir: É mudo e em preto e branco. Que audácia fazer um filme assim atualmente! Isso sem contar o favoritismo do filme no Oscar deste ano.

Desconfianças: A única desconfiança mesmo, é se o filme vai agradar ao público com sua radical execução. Eu já estou dentro.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 10 de Fevereiro

Star Wars – Episódio I: A Ameaça Fantasma (3D)

O que é: Relançamento em 3D do primeiro episódio da nova trilogia de Star Wars.

Porque assistir: Star Wars de volta aos cinemas! Já vale o ingresso.

Desconfianças: Além de A Ameaça Fantasma ser, de longe, o mais fraco longa da hexalogia de George Lucas, há o perigo de encontrarmos um 3D vagabundo – algo muito comum atualmente.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 10 de Fevereiro

A Mulher de Preto

O que é: Terror que traz Daniel Radcliffe tentando sair da sombra de Harry Potter. A história segue uma das clássicas estruturas de terror, com o ator interpretando um advogado que se muda para uma casa isolada, que é assombrada pelo espírito de uma mulher.

Porque assistir: Eu gostei bastante dos trailers, que prometem cenas de terror genuíno. Mas minha grande esperança reside na roteirista Jane Goldman (de Kick-Ass e X-Men: Primeira Classe), que tem se mostrado uma especialista no ramo.

Desconfianças: Será que é possível acrescentar alguma coisa ao já esgotado gênero de casas mal assombradas?

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 10 de Fevereiro

A Invenção de Hugo Cabret

O que é: Primeiro longa 3D de Martin Scorsese – e também o primeiro destinado a todos os públicos – mostra o jovem Hugo Cabret, um garoto que mora nas ruas da Paris dos anos 30, embarcando em uma aventura para descobrir o significado de um robô deixado por seu pai, e a mensagem que ele carrega.

Porque assistir: A recepção do filme lá fora foi impressionante, e ver Scorsese lidando com uma aventura infantil (e em 3D) realmente desperta interesse.

Desconfianças: Eu só espero que não seja voltado apenas ao público infantil.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 17 de Fevereiro

Motoqueiro Fantasma 2 – O Espírito da Vingança

O que é: Continuação do fracasso de 2007 (e por esse motivo, o segundo filme tem uma trama que independe no primeiro), traz o herói flamejante lutando contra demônios para impedir que um menino de 10 anos torne-se o anticristo.

Porque assistir: Quem assume a direção é a dupla Mark Neveldine e Brian Taylor (de Adrenalina), e os dois prometem trazer seu estilo radical e exagerado para o personagem, prometendo um espetáculo trash.

Desconfianças: O personagem em si é muito difícil de ser lidado, e o longa já nasce como a continuação de um filme ruim.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 17 de Fevereiro

Beleza Adormecida

O que é: Drama psico-sexual que mostra uma jovem embarcando num ramo muito peculiar da prostituição: o método “Bela Adormecida”, onde a mulher dorme enquanto os clientes satisfazem seus desejos.

Porque assistir: Emily Browning.

Desconfianças: Resta saber se o longa conseguirá se sustentar apenas com essa ideia.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 17 de Fevereiro

Anônimo

O que é: Roland Emmerich propõe um “e se…” intrigante: e se William Shakeaspeare na verdade fosse uma fraude e tivesse alguém por trás de seus textos?

Porque assistir: A premissa é chamativa e todo mundo adora uma boa conspiração, e envolvendo um dos maiores escritores da História? Merece uma visita.

Desconfianças: Emmerich só faz filmes-catástrofes (O Dia depois de Amanhã, 2012, entre outros) e não acho que ele seja a melhor escolha para um drama de época.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 17 de Fevereiro

Drive

O que é: Thriller de ação vencedor do prêmio de melhor direção no Festival de Cannes que traz Ryan Gosling como um dublê de Hollywood que, à noite, age como motorista de fuga em golpes criminosos. A situação complica quando ele se envolve em uma emboscada com gângsteres perigosos.

Porque assistir: Foi elogiado quase que unanimente no mundo todo e promete uma mistura interessante entre ação e inteligência.

Desconfianças: Nenhuma até agora…

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 24 de Fevereiro

Shame

O que é: Drama do diretor Steven McQueen que traz Michael Fassbender como um morador de Nova York viciado em sexo. Tudo muda quando sua irmã chega na cidade para morar com ele, mudando completamente sua vida.

Porque assistir: Os trailers prometem um drama adulto bem trabalhado (o tema de vício sexual é algo pouquíssimo explorado no cinema) e uma performance monstruosa de Michael Fassbender.

Desconfianças: Meu único receio em relação ao filme é se ele vai mesmo chegar no Brasil…

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 2 de Março

Jovens Adultos

O que é: Comédia de humor negro que reúne a roteirista Diablo Cody com o diretor Jason Reitman (mesma dupla de Juno), nas desventuras de uma escritora imatura e excêntrica (Charlize Theron) que reencontra um antigo ex-namorado, agora de casamento marcado, e tenta reconquistá-lo.

Porque assistir: Reitman e Cody fizeram bonito em Juno e Charlize Theron parece estar dando vida a mais uma personagem memorável.

Desconfianças: O tema de uma mulher crescida que tem hábitos imaturos já foi muito (muito) utilizado no cinema. Será que da pra tirar coisa nova?

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 2 de Março

Hansel & Gretel: Caçadores de Bruxas

O que é: A onda de versões dark de contos de fadas continua com o épico que traz João e Maria crescidos, agora caçadores de bruxas e criaturas.

Porque assistir: A ideia é bacana, e a escalação de Jeremy Renner e Gemma Arterton como os protagonistas é inspirada, podendo render uma boa química entre os dois.

Desconfianças: Só espero que não seja um Van Helsing da vida…

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 2 de Março  ADIADO PARA 11 de Janeiro de 2013.

Anjos da Noite: O Despertar

O que é: Quarto filme da franquia que traz uma guerra entre vampiros e lobisomens, dessa vez a vampira Selena descobre ter uma filha híbrida, e precisa lutar para protegê-la de um grupo de assassinos.

Porque assistir: Eu nem sou muito chegado na série, mas tem a Kate Beckinsale com roupa de couro apertada… Em 3D!

Desconfianças: Não gosto da série, então não sei apontar as desconfianças. Mas acredito que seja uma franquia que, depois do fracasso de seu antecessor, já deveria ter acabado.

Vontade de ver: 2/5

Estreia: 2 de Março

Poder sem Limites

O que é: Três amigos adolescentes descobrem ter poderes extraordinários, e passam a usá-los para seus próprios fins até que a situação foge do controle.

Porque assistir: O que chama a atenção é a narrativa, contada através da câmera de vídeo de um dos personagens (no estilo found footage).

Desconfianças: Tomara que o longa tenha uma história de verdade por trás desse marketing misterioso, e evite alguns clichês do gênero de super-heróis.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 9 de Março

O Corvo

O que é: Thriller que tenta repetir o que Guy Ritchie fez com Sherlock Holmes (ao lhe apresentar uma releitura), só que com o escritor/poeta Edgar Allan Poe no lugar. Na trama, ele se une a um detetive para caçar um serial killer que se inspira em suas próprias obras literárias.

Porque assistir: Serial Killers na Londres do século XVIII? Estou dentro.

Desconfianças: Transformar Poe em um detetive investigador é uma boa ideia, mas difícil de ser executada…

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 9 de Março (EUA)

John Carter

O que é: Aventura com toques de fantasia que mostra um veterano de guerra sendo abduzido e levado até Marte, onde precisará escapar daqueles que o mantém prisioneiro e libertar uma princesa.

Porque assistir: Quem comanda a adaptação é Andrew Stanton, responsável por Wall-E e Procurando Nemo, que – assim como seu colega Brad Bird, também da Pixar – embarca pela primeira vez em um projeto live action.

Desconfianças: A história não está me empolgando muito.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 9 de Março

Projeto X

O que é: Comédia no estilo narrativo do found footage (filmagem encontrada), mostra uma festa com diversos adolescentes de uma escola, e o que acontece quando ela foge do controle.

Porque assistir: A ideia de combinar uma ferramenta narrativa que antes só era adotada por longas de terror e uma trama cômica é bem original.

Desconfianças: Achei o trailer bem fraco e repleto de piadas sem graça.

Estreia: 16 de Março

Um Método Perigoso

O que é: Drama-thriller de David Cronenberg que explora a relação entre Sigmund Freud (Viggo Mortensen) e Carl Jung (Michael Fassbender), enquanto lidam com uma paciente perturbada e mudam o conceito da psicoanálise.

Porque assistir: A presença de Mortensen e Fassbender como protagonistas é de peso, e um encontro cinematográfico entre duas mentes brilhantes é algo que merece ser visto.

Desconfianças: Não tenho desconfianças específicas, mas não é um dos meus mais esperados do ano.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 23 de  Março

Jogos Vorazes

O que é: Adaptação de uma (complexa) série literária juvenil de, traz um grupo de jovens tentando sobreviver a uma competição de jogos perigosa da qual apenas um sairá vivo.

Porque assistir: Toda essa história de jogos de sobrevivência é bem interessante, e tem a talentosa Jennifer Lawrence como protagonista.

Desconfianças: Claramente tenta ser um substituto para Harry Potter, e não sei se essa complicada trama (cheia de personagens e distritos) vai pegar tão fácil aos não-adeptos da saga.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 23 de Março

Wrath of the Titans

O que é: Continuação do remake de Fúria de Titãs, traz Perseu lutando contra os Titãs e diversas criaturas mitológicas a fim de resgatar Zeus do submundo de Hades e salvar o planeta.

Porque assistir: Se você acompanhou alguma entrevista relacionada ao filme, pôde ver que todos os envolvidos perceberam os erros do filme anterior e prometem fazer algo muito melhor dessa vez. Pelo trailer, pode-se perceber uma gigantesca diferença entre Wrath e Clash.

Desconfianças: Pois é, Michael Bay também falou muitas vezes que Transformers 3 seria melhor do que os anteriores…

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 30 de Março

A Perseguição

O que é: Filme de sobrevivência que traz Liam Neeson como um homem que, ao sofrer um acidente de avião e cair no Alasca com sua equipe, precisa lutar para sobreviver em um ambiente hostil e uma matilha de lobos que sai a sua caça.

Porque assistir: Os trailers prometem um clima tenso e assustador ao filme.

Desconfianças: Não sei se Joe Carnahan (O Esquadrão Classe A) é a escolah certa para um longa tão atmosférico.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 30 de Março

Titanic 3D

O que é: Relançamento em 3D de Titanic, filme de James Cameron que venceu 11 Oscars e bateu recordes de bilheteria.

Porque assistir: Se você é fã do filme, com certeza vai querer revê-lo na tela grande. Quanto ao 3D, Cameron está trabalhando na conversão há um bom tempo, então não duvido de que será um resultado positivo.

Desconfianças: Nenhuma, quem viu o filme já sabe o que esperar. O arriscado mesmo é o 3D, que pode incomodar aqueles que não apreciam o formato – principalmente pela extensa duração do longa.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 4 de Abril

American Pie: O Reencontro

O que é: Quarto filme da série American Pie (eu não considero aquelas continuações escrotas que chegaram direto em home video) que promete reunir o elenco original da trilogia (Jason Biggs, Sean William Scott, Alyson Hannigan e companhia) em uma festa de 10 anos de formatura.

Porque assistir: Por causa do elenco, o principal motivo pelo sucesso dos três primeiros filmes. E Scott é engraçado pacas!

Desconfianças: Os personagens não são mais jovens (nem virgens), e agora so roteiristas terão que pensar em um novo tema que justifique a reunião do pessoal. E tem que ser um tema engraçado.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 20 de Abril

[REC]³: Genesis

O que é: Novo filme da franquia espanhola de zumbis-demônios, dessa vez promete mostrar a origem do vírus que se espalha nos primeiros filmes, ambientando-se em um casamento.

Porque assistir: Os dois primeiros filmes são excelentes e deve ser interessante acompanhar mais um, que agora promete combinar o found footage com filmagem tradicional.

Desconfianças: Mostrar a “origem do mal” é uma péssima ideia, porque estraga o elemento de desconhecido que o primeiro filme introduziu.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 20 de Abril (Espanha)

Os Vingadores

O que é: Ambicioso filme-evento da Marvel Studios que reúne Homem-de-Ferro, Thor, Capitão América e Hulk para enfrentar uma ameaça que pode destruir o planeta.

Porque assistir: Nunca antes tantos super-heróis foram reunidos num mesmo filme, e o resultado definitivamente merece ser conferido.

Desconfianças: Os Vingadores tem que ser um filme muito bom. Em consequência da realização do mesmo, outros três filmes sacrificaram sua história apenas para servir de “prequel” para o longa. A história e a química entre os personagens será fundamental aqui.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 27 de Abril

Anjos da Lei

O que é: Jonah Hill e Channing Tatum estrelam a nova versão da série de TV Anjos da Lei (21st Jump Street, que revelou Johnny Depp ao mundo), mas agora mudando o pano de fundo completamente. Aqui, eles são dois policiais que se infiltram em uma escola para investigar crimes cometidos por alunos.

Porque assistir: A química entre os dois protagonistas parece estar bem divertida, assim como o tom, que tem uma leve aura de Superbad – É Hoje!.

Desconfianças: Além do título, parece não ter nada a ver com a série.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 4 de Maio

Os Três Patetas

O que é: Os irmãos Farelly (Quem vai ficar com Mary?, Amor é cego) tentam reviver os inesquecíveis Três Patetas. A trama vai acompanhar desde o nascimento do trio até a vida adulta dos mesmos, sendo composto por três curtas de meia-hora cada.

Porque assistir: São realmente poucos motivos. Mas precisamos assistir antes de ter certeza de que é ruim.

Desconfianças: Achei o trailer horrível. Reviver Os Três Patetas é completamente desnecessário e o tipo do humor do filme não vai funcionar na época atual.

Vontade de ver: 1/5

Estreia: 4 de Maio

Sombras da Noite

O que é: Comédia gótica de Tim Burton, é a adaptação da série de TV Dark Shadows, que mostra a vida de uma família incomum que se surpreende quando um de seus antepassados, um vampiro sedento de sangue (Johnny Depp), acorda de sua cripta.

Porque assistir: Com todo o cinema pirando com vampiros, nada mais justo do que Tim Burton apresentar sua tomada nas criaturas e, conhecendo o estilo fantástico do diretor, o projeto pode vir a cair como uma luva.

Desconfianças: Só espero que não tenha aquele tom “novelesco” da série original.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 11 de Maio

O Ditador

O que é: Nova comédia com Sacha Baron Cohen, dessa vez apresentando um ditador do Oriente Médio que é deposto e mandado para os EUA (como é de costume com seus personagens). Mas ao contrário de Borat e Brüno, o longa do ditador não parece seguir a linha das “pegadinhas”.

Porque assistir: Sacha Baron Cohen é um dos comediantes mais engraçados da atualidade, e seu novo personagem promete ser tão memorável quanto Borat e Brüno.

Desconfianças: A grande graça dos trabalhos anteriores de Cohen residia no fato de que muitas piadas e gags não eram ensaidas e sim postas em práticas com indivíduos despreparados – uma pegadinha. Será que O Ditador vai fazer rir do mesmo jeito?

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 18 de Maio

Homens de Preto 3

O que é: Terceiro filme da franquia dos homens que juram proteger a Terra da escória alienígena, envolve o agente J (Will Smith), voltando no tempo para salvar K (Tommy Lee Jones, rejuvenescido por Josh Brolin). Agora, a ameaça que a dupla deverá enfrentar, ainda é um segredo.

Porque assistir: É sempre prazeroso observar a divertida química entre Smith e Jones, e o filme foi rodado em 3D, um bom elemento para a série.

Desconfianças: O segundo não foi lá grande coisa e tinha uma história bem mediana. O terceiro precisa apresentar uma trama que justifique a realização do longa, e superar seu anterior.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 25 de Maio

Branca de Neve e o Caçador

O que é: Adaptação em estilo épico-fantasia (seguindo os passos de Alice no País das Maravilhas de Tim Burton) do conto de fadas da Branca de Neve, onde o Caçador é contratado pela Rainha Má para encontrar a personagem-título e matá-la.

Porque assistir: O visual do filme parece bem trabalhado, assim como as mudanças na história – principalmente em colocar o Caçador para ir atrás da protagonista.

Desconfianças: Só quero ver como as cenas de ação épicas (mostradas brevemente no trailer) vão se encaixar aqui.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 1º de Junho

Prometheus

O que é: Prelúdio de Alien – O Oitavo Passageiro que traz Ridley Scott de volta à franquia. A trama, porém, ainda é mantida em segredo pelos produtores, mas tem relação com a busca de uma tripulação pela origem da vida no universo, e achado perigosíssimo que é encontrado.

Porque assistir: Só o fato de Ridley Scott estar retornando ao gênero que ele fez bonito no passado, no caso a ficção científica, ja vale o ingresso. Isso sem falar do ótimo elenco (que inclue Noomi Rapace, Charlize Theron e Michael Fassbender) que o diretor reuniu.

Desconfianças: Scott disse que o icônico alienígena que aparece nos filmes anteriores não marca presença aqui – mas isso ainda é um mero boato. Quero ver o que ele vai achar para substituí-lo.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 8 de Junho

Jack – O Matador de Gigantes

O que é: Bryan Singer dá vida nova à clássica história de João e o Pé de Feijão, mostrando um jovem fazendeiro que parte para uma terra de gigantes a fim de salvar uma princesa sequestrada.

Porque assistir: Singer é um bom diretor e sabe dar pulso a uma história e cenas de ação. Será interessante ver como ele trabalha com o 3-D.

Desconfianças: João e o Pé de Feijão? Sei lá, tem que mudar muita coisa na trama pra dar certo.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 15 de Junho

Carnage

O que é: Comédia de humor negro de Roman Polanski, adapta a peça God of Carnage de Yasmina Reza, onde dois casais discutem as ações de seus filhos quando um deles comete bullying ao outro.

Porque assistir: Eu pessoalmente adoro filmes ambientados em um único cenário (e uma discussão ácida entre dois casais parece bem interessante), além de Polanski ter Jodie Foster, Kate Winsley, John C. Reilly e Christoph “Landa” Waltz em o que parece ser um instigante exercicío de atuações.

Desconfianças: É a primeira vez que o diretor assume uma comédia. Será que vai?

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 29 de Junho

O Espetacular Homem-Aranha

O que é: Reboot em 3D da franquia Homem-Aranha, que vai voltar às origens do personagem e apresentar uma nova visão da história. Por exemplo, sai Mary Jane e entra Gwen Stacy, e o vilão da vez é o Lagarto.

Porque assistir: Pelos trailers, a nova abordagem à série parece ser mais sombria e bem mais interessante do que a anterior, trazendo também o ótimo Andrew Garfield no papel principal e a estonteante Emma Stone como a mocinha Gwen Stacy (isso mesmo, não tem Mary Jane).

Desconfianças: Os trailers prometem uma conspiração em torno do passado dos pais de Peter Parker. Isso é realmente necessário? Tomara que isso entre de forma relevante.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 3 de Julho

Valente

O que é: Animação ambientada no século X que traz uma jovem alienada de sua família que acaba por encontrar diversos perigos em sua terra, todos inspirados por contos dos Irmãos Grimm.

Porque assistir: É a Pixar!

Desconfianças: O épico é um terreno novo para o maior estúdio de animações da indústria. Resta saber se uma dupla de diretores novatos vai conseguir entregar uma boa história nesse cenário.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 20 de Julho

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge

O que é: Capítulo final na trilogia de Christopher Nolan sobre o Batman, traz o herói voltando à ativa, após um intervalo de 8 anos, para deter o monstruoso terrorista Bane, que promete trazer muito caos a Gotham City.

Porque assistir: Christopher Nolan é um gênio e sua conclusão para a saga do Morcego promete ser épica.

Desconfianças: Batman: O Cavaleiro das Trevas é o melhor filme de super-heróis de todos os tempos. Vai ser difícil superá-lo.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 27 de Julho

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros

O que é: Adaptação do amalucado livro que traz o ex-presidente dos EUA Abraham Lincoln saindo à caça de vampiros que assassinaram sua esposa, e que mudarão o rumo da Guerra Civil.

Porque assistir: Lincoln caçando vampiros. Isso vai ser no mínimo divertido, e tem o dedo de Tim Burton na produção e o russo Timour Berkmambetov (O Procurado) na direção.

Desconfianças: A premissa, mesmo que inubitavelmente divertida, é absurda e deve ser lidada com cuidado – aí eu digo, que não se leve a sério demais. E que não seja mais um Van Helsing da vida (2).

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 3 de Agosto

G. I. Joe 2: Retaliação

O que é: Filme que continua o mediano A Origem de Cobra, promete um tom bem mais maduro e sério, além de uma ação mais crível. Dessa vez, a equipe precisa agir por conta própria quando o governo dos EUA é dominado pela organização Cobra, e inicia uma guerra ao quebrar um acordo mundial a respeito de ogivas nucleares.

Porque assistir: De fato, a mudança de tom é clara – assistindo ao trailer, mal da pra relacionar os dois filmes – e a presença de Bruce Willis e The Rock deve dar um gás ao filme, assim como os roteiristas Paul Wernick e Rhett Reese (dupla de Zumbilândia) por trás da trama.

Desconfianças: Eu não sei o que esperar de Jon Chu, que dirigiu Justin Bieber: Never say Never.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 10 de Agosto

Os Mercenários 2

O que é: Continuação do filme do ano passado, traz Sylvester Stallone e sua equipe enfrentando uma ameaça causada pelo personagem de Bruce Willis.

Porque assistir: Stallone conseguiu mais astros da ação (Agora tem Van Damme, Chuck Norris e Schwarzenegger com participação maior!) e, acertadamente, largou a cadeira de diretor.

Desconfianças: Sei não, parece ser mais do mesmo…

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 17 de Agosto

O Legado Bourne

O que é: Primeiro Bourne sem a presença de Matt Damon, introduzirá um novo personagem no mesmo universo de espionagem idealizado por Robert Ludlum (autor dos livros que inspiraram a franquia). A trama ainda permanece um mistério, mas aposto em mais um agente sem memória.

Porque assistir: O grande atrativo aqui é mesmo o elenco, que traz o sempre excelente Jeremy Renner como protagonista (um tal de Aaron Cross) e também Rachel Weisz e Edward Norton como coadjuvantes.

Desconfianças: É Bourne sem o Damon nem o Paul Greengrass… Será que vale a pena?

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 24 de Agosto

Argo

O que é: Novo filme estrelado e dirigido por Ben Affleck, traz a história real do resgate de 6 diplomatas no Iraque, durante a crise em 1979, no qual o governo dos EUA e Canadá organizaram as filmagens de um filme falso para salvar os reféns.

Porque assistir: A história verídica é impressionante, e um filme sobre ela seria uma boa.

Desconfianças: Affleck ainda não é um diretor muito competente (longe de ser ruim, que fique claro) e esse talvez seja um longa difícil para ele. Mas fico na torcida.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 14 de Setembro (EUA)

Juiz Dredd

O que é: Nova adaptação dos quadrinhos do Juiz Dredd (que já teve uma versão com Sylvester Stallone nos anos 80), traz Karl Urban no papel-título em um futuro alternativo onde os juízes têm poder total sobre a execução e aplicação de leis. Nesse cenário, Dredd tem que combater uma gangue perigosa.

Porque assistir: Essa nova versão parece estar mais fiel aos quadrinhos do que o filme de Stallone.

Desconfianças: O diretor teve uma briga feia com os produtores e foi excluído do processo de montagem do filme. Sei não, cheira a fracasso.

Vontade de ver: 2/5

Estreia: 21 de Setembro

Cosmopolis

O que é: Novo filme de David Cronenberg que traz um dia na vida de um milionário em Manhattan, enquanto este tenta arranjar um corte de cabelo.

Porque assistir: Premissa ótima. Parece aquele tipo de situação na qual o roteiro pode criar várias situações inesperadas.

Desconfianças: Será que Robert Pattinson segura o filme como protagonista?

Vontade de ver: 5/5

Estreia: Ainda não definida

Cloud Atlas

O que é: Adaptação do livro de David Mitchell, marca o retorno dos irmãos Lana (antes Larry) e Andy Wachowsky – responsáveis pela trilogia Matrix – em uma ficção científica que traz diversas histórias que vão e voltam no tempo, passando do século XIX até um futuro pós-apocalíptico. Tom Tykwer (de Corra, Lola, Corra) entra como co-diretor.

Porque assistir: Os Wachowski ainda estão devendo um novo sucesso depois de Matrix, e a solução pode estar na promissora trama de Cloud Atlas, que também reúne um elenco estelar que vai de Tom Hanks até Halle Berry.

Desconfianças: Vamos torcer para que o longa não se perca em toda sua grandiosidade e complexidade.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 26 de Outubro

Frankenweenie

O que é: Animação em stop-motion (e em preto e branco!) dirigida por Tim Burton que traz um menino que, ao perder tragicamente seu cachorro, tenta revivê-lo no melhor estilo “Frankenstein” e alcança um resultado fantástico.

Porque assistir: Tim Burton e stop-motion se reúnem em mais uma trama sinistra. Imperdível.

Desconfianças: Nenhuma. Promete ser o novo O Estranho Mundo de Jack ou o novo A Noiva-Cadáver.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 2 de Novembro

A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2

O que é: Último filme da Saga Crepúsculo, que continua os eventos do longa anterior, com Bella e Edward lutando para proteger sua filha recém-nascida dos Volturi.

Porque assistir: Vamos acabar logo com isso, sim?

Desconfianças: A parte 1 já foi terrível, assim como o material no qual o filme se baseia. Só para as fãs da série.

Vontade de ver: 2/5

Estreia: 16 de Novembro

007 – Skyfall

O que é: 23º filme da franquia de 007, traz Daniel Craig reprisando o papel pela terceira vez em uma trama que envolve o passado de M e a lealdade do agente com sua chefe.

Porque assistir: Craig já disse muitas vezes que o roteiro é o melhor da série até agora, e promete um Bond ainda mais adulto e pé-no-chão do que o visto em seus longas anteriores.

Desconfianças: Sam Mendes nunca dirigiu um filme de ação, e não vejo isso como um problema letal, apenas ressaltando…

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 23 de Novembro

Gravity

O que é: Depois de anos de desenvolvimento e planejamento, parece que finalmente vai sair a ficção científica 3D de Alfonso Cuarón. George Clooney e Sandra Bullock protagonizam como dois astronautas que, após a destruição de sua espaçonave, ficam à deriva no espaço, ligados um ao outro por um cabo. Guillermo Del Toro, produtor do longa, promete que o gênero nunca mais será o mesmo.

Porque assistir: Cuarón é um excelente diretor, e tem em mãos uma das premissas mais assombrosas dos últimos tempos. E em 3D.

Desconfianças: Nenhuma. Talvez a capacidade de atuação de Bullock, mas até ela já ganhou um Oscar…

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 23 de Novembro

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada

O que é: Primeira parte da adaptação de O Hobbit, livro que serve como prelúdio à trilogia de O Senhor dos Anéis. Dirigido por Peter Jackson, mostra o jovem Bilbo Bolseiro embarcando com Gandalf e uma companhia de anões em uma jornada para matar o poderoso dragão Smaug.

Porque assistir: Quem é fã da trilogia original certamente não vai perder. Eu não gosto de O Senhor dos Anéis, mas o primeiro trailer de Uma Viagem Inesperada realmente me deu vontade de ver (tudo pelo pano de fundo da história de Gollum, única coisa que me atrai na franquia).

Desconfianças: É uma adaptação difícil (todos os livros de Tolkien são) e será difícil agradar um não-fã da série.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 14 de Dezembro

World War Z

O que é: Adaptação do livro de Max Brooks (o especialista em zumbis, autor do imperdível O Guia de Sobrevivência a Zumbis) que relata um futuro onde homens e mortos-vivos estão em guerra. Nesse cenário, um jornalista (Brad Pitt) sai relatando ataques ao redor do planeta.

Porque assistir: Se o espírito bem-humorado (e realista) do livro de Brooks for preservado, o resultado pode ser excelente.

Desconfianças: Marc Foster é o diretor. Ele é bom, mas nunca o imaginaria lidando com litros de sangue em um filme de zumbis…

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 21 de Dezembro (EUA)

Django Unchained

O que é: Faroeste “sulista” de Quentin Tarantino que segue o escravo recém-libertado Django (Jamie Foxx), que se une a um caçador de recompensas (Christoph Waltz) para resgatar sua esposa de um cruel fazendeiro (Leonardo DiCaprio).

Porque assistir: O novo filme de Tarantino. Um faroeste. Que o mundo não acabe antes de o filme ser lançado!

Desconfianças: Bem, eu desconfiava que o diretor/roteirista não pudesse transportar seu estilo marcante para a Segunda Guerra Mundial em Bastardos Inglórios – e todos vimos o resultado. Acho que ele está bem seguro no western.

Estreia: 25 de Dezembro (EUA)

Vontade de ver: 5/5

O Grande Gatsby

O que é: Nova adaptação do romance de F. Scott Fitzgerald, que traz Leonardo Dicaprio no papel de Jay Gatsby, um milionário festeiro que apresenta uma nova realidade a um escritor vivido, por Tobey Maguire, e sua prima que ganha as facetas de Carey Mulligan. Baz Luhrmann comanda o longa em 3D.

Porque assistir: DiCaprio, Maguire e Mulligan prometem um trio bem carismático, e toda versão da famosa história de Fitzgerald merece ser vista.

Desconfianças: Pra quê filmar em 3D?

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 25 de Dezembro (EUA)

Lincoln

O que é: Steven Spielberg comanda um longa sobre o ex-presidente norte-americano Abraham Lincoln (dessa vez sem vampiros ou elementos fantásticos) durante o período em que a Guerra Civil ia chegando ao fim.

Porque assistir: O elenco é de matar, com Daniel Day-Lewis assumindo o papel principal e Joseph Gordon-Levitt, Tommy Lee Jones, Sally Field, Jackie Earle Haley e mais uma coleção de astros na produção. Certamente vai render alguma atenção no Oscar 2013.

Desconfianças: Por enquanto, nenhuma.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: Dezembro (EUA, no Brasil deve ficar pra 2013…)

Muita coisa, de fato. E ainda assim, é claro que ainda veremos inúmeros lançamentos que não estão nessa postagem (principalmente comédias, que sempre parecem surgir sem aviso) e, repetindo, muitas datas acima podem mudar. Enfim, continuem acompanhando que as críticas começam já nesta semana!

O Que Esperar do Oscar 2012?

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28 de agosto de 2011 by Lucas Nascimento

Já estamos quase em Setembro e, tendo chegado nessa época, já da pra prever alguns dos filmes que têm grande chance de concorrer ao Oscar do ano que vem. Vamos analisar alguns possíveis candidatos:

The Ides of March

Dirigido e estrelado por George Clooney, parece o típico “filme-feito-para-Oscar”, com um tom bem político e baseado em uma história real. Promete boas performances de Clooney e Ryan Gosling e a trama é bem interessante.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Ator (George Clooney e Ryan Gosling), Ator Coadjuvante (Paul Giamatti) e Roteiro Adaptado.

Cavalo de Guerra

Steven Spielberg voltando ao cinema-espetáculo que o consagrou nos anos recentes. A trama é uma história de amizade na Primeira Guerra Mundial, fórmula ideal para agradar a todos os públicos, e a produção parece caprichada.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Roteiro Adaptado, Direção de Arte, Fotografia, Montagem, Figurino, Efeitos Visuais, Edição de Som e Mixagem de Som.

A Árvore da Vida

O complexo filme de Terrence Malick agradou muitos críticos e ganhou a Palma de Ouro em Cannes, o que o torna um forte candidato. A Árvore não vai vencer – por ser muito fora dos padrões da Academia – mas eu acredito fortemente na vitória de Malick como melhor diretor; ele merece, mesmo eu não curtindo muito o resultado final do filme.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Roteiro Original, Ator (Brad Pitt), Fotografia, Montagem, Trilha Sonora, Efeitos Visuais e Mixagem de Som.

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2

O quê? Harry Potter? Isso mesmo. Com o último capítulo da bem-sucedida franquia do jovem bruxo ganhando um sinal positivo quase que universalmente, uma indicação para Melhor Filme entre os dez candidatos parece quase certa. Isso também porque a Academia fez feio ao menosprezar os filmes anteriores, então é hora de compensar – isso porque o filme em si é ótimo.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Direção de Arte, Fotografia e Efeitos Visuais.

J. Edgar

Será que chegou a hora do Oscar de Leonardo DiCaprio? Eu diria que o novo filme de Clint Eastwood tem as características que formam um bom filme (e as mesmas que a Academia adora), incluindo ambientação de época, figuras polêmicas e fatos reais. O estilo lembra bastante A Troca (também de Eastwood), que teve a performance de Angelina Jolie indicada. Mas esperemos que J.Edgar faça melhor…

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Ator (Leonardo DiCaprio), Roteiro Original, Direção de Arte, Figurino e Fotografia.
Atualização: Depois de sua recepção fraca nos EUA, acho que o longa perdeu sua vaga entre os indicados para Melhor Filme, Diretor e Roteiro.

Meia-Noite em Paris

Woody Allen promete voltar aos tempos do Oscar com sua deliciosa fábula parisiense. É muito precoce, mas – além de prováveis indicações que o filme pode ter – eu apostaria numa vitória de Melhor Roteiro Original, simplesmente porque as referências e os diálogos são excepcionais.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Atriz Coadjuvante (Marion Cottilard), Roteiro Original e Direção de Arte.

Millennium – Os Homens que não Amavam as Mulheres

David Fincher voltando ao gênero de serial killers e adaptando (mais uma vez) a brilhante trilogia de Stieg Larsson. Pronto.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Atriz (Rooney Mara), Roteiro Adaptado, Direção de Arte, Fotografia, Figurino, Montagem, Trilha Sonora, Edição de Som e Mixagem de Som.

O Espião que sabia Demais

Aí sim. O diretor Tomas Alfredson (Deixa ela Entrar) promete um thriller de espionagem à moda antiga ao adaptar o famoso livro de John Le Carré sobre a Guerra Fria (que já havia sido adaptado anos atrás, estrelado por Alec Guiness). Com um ótimo elenco liderado por Gary Oldman – que promete ficar no mano a mano com DiCaprio e Clooney pelo Oscar de Ator – o filme promete.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Ator (Gary Oldman), Ator Coadjuvante (Colin Firth), Roteiro Adaptado, Fotografia, Direção de Arte, Figurino e Montagem.

My Week with Marilyn

Só pela notícia de um filme sobre Marilyn Monroe, começam especulações de Oscar. O que chama a atenção é a presença da ótima Michelle Williams no papel da diva, prometendo uma performance daquelas que só acontecem uma vez na carreira…

Possíveis Indicações: Melhor Atriz (Michelle Williams), Ator Coadjuvante (Kenneth Branagh), Roteiro Adaptado, Direção de Arte e Figurino.

Carnage

O novo de Roman Polanski promete uma furiosa batalha de interpretações de seus quatro ótimos atores. Jodie Foster, Kate Winslet, John C. Reilly e Christoph Waltz prometem dar o que falar, enquanto Polanski provavelmente será esquecido novamente pela Academia – em decorrência da polêmica em torno de sua vida pessoal.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Ator (Christoph Waltz, John C. Reilly), Atriz (Kate Winslet, Jodie Foster) e Roteiro Adaptado.

A Dama de Ferro

Meryl Streep interpretando a Primeira-Ministra Margaret Thatcher. Mais uma indicação para Streep, mas acho que não vai além disso.

Possíveis Indicações: Melhor Atriz (Meryl Streep), Direção de Arte, Figurino e Maquiagem.

50/50

A história real sobre um sujeito normal que descobre ter câncer é um dos filmes que eu mais antecipo. Joseph Gordon Levitt (cuja performance está sendo muito bem elogiada) e Seth Rogen prometem um tom bem-humorado ao complicado tema e, sem bem-sucedido, o resultado pode ser aprovação universal. Eu quero que esse filme dê certo.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Ator (Joseph Gordon-Levitt) e Roteiro Original.

A Invenção de Hugo Cabret

É, temos Martin Scorsese, mas acho que seu filme não tem potencial para entrar na concorrência de Melhor Filme. É um apelo bem mais infantil e, sejamos francos, se não fosse a direção de Scorsese e o bom elenco, ninguém estaria dando bola pro filme.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Roteiro Adaptado, Fotografia, Melhor Atriz Coadjuvante (Chloe Moretz), Direção de Arte, Figurino e Mixagem de Som.
Atualização: Queimei a língua! Não esperava nada de Hugo Cabret, mas depois dos calorosos elogios e alguns prêmios (como Melhor do Ano no National Board Reviews), o filme sai na frente na disputa. Adicionei Melhor Filme, Diretor, Roteiro Adaptado e Fotografia às apostas.

The Artist

Sucesso em Cannes, o filme é em preto-e-branco e mudo, contando a ascenção e queda de um famoso artista de Hollywood. Jean Dujardin ganhou o prêmio de Melhor Ator no Festival e foi elogiadíssimo no mundo todo, durante exibições do filme. Bacana, voltar no tempo e fazer um longa assim é ousado.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Ator (Jean Dujardin), Roteiro Original, Direção de Arte, Fotografia, Figurino e Trilha Sonora.

Histórias Cruzadas

O filme estreiou há duas semanas nos EUA, contando a história de uma jovem que aspira ser escritora na década de 60. Os especilistas apontam a forte possibilidade de uma indicação para Viola Davis, mas acho que não passa disso.

Possíveis Indicações: Melhor Atriz Coadjuvante (Viola Davis), Direção de Arte e Figurino.

Drive

Mais um que veio de Cannes, Drive pode ser muito bem descrito como “Carga Explosiva com cérebro”. A trama é muito interessante, girando em torno de um dublê de Hollywood que faz trabalhos de fuga para criminosos durante a noite. Ganhou Prêmio de Melhor Diretor em no Festival e promete uma mistura empolgante de ação e thriller.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Ator (Ryan Gosling), Atriz Coadjuvante (Carey Mulligan), Roteiro Adaptado e Montagem.

Super 8

Como eu queria que Super 8 fosse indicado a algo que não envolvesse categorias técnicas… O excelente longa de J.J. Abrams é um dos melhores do ano, sendo um nostálgico atestado ao cinema de Spielberg dos anos 70-80. Acham que é demais esperar uma indicação pra Melhor Filme?

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Direção de Arte, Fotografia, Figurino, Montagem, Trilha Sonora, Edição de Som e Mixagem de Som.

Planeta dos Macacos: A Origem

O filme (infelizmente) não apresenta muita chance de estar na categoria principal, mas a Academia PRECISA reconhecer o magistral trabalho de Andy Serkis na composição do macaco Cesar. Essa pode ser a primeira vez na História em que uma performance digital pode ser indicada ao Oscar…

Possíveis Indicações: Melhor Ator Coadjuvante (Andy Serkis), Efeitos Visuais, Edição de Som e Mixagem de Som.

ATUALIZALÇÕES (02/12/11)

Os Descendentes

Novo filme de Alexander Payne, é um misto de drama e comédia que tem colecionado elogios em sua recepção nos EUA (muitos apontam como um dos melhores do ano). George Clooney é um dos favoritos para Melhor Ator.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Ator (Clooney), Roteiro Adaptado e Fotografia.

Shame

Polêmico por receber uma censura NC-17 (a mais alta para filmes não-pornográficos), o drama sobre vício em sexo é um filmes que eu mais anseio, prometendo um trabalho chocante e memorável. Isso sem mencionar a performance de Michael Fassbender, considerada a melhor de sua carreira e uma das melhores do ano.

Possíveis Indicações: Melhor Filme, Diretor, Roteiro Original, Ator (Michael Fassbender), Atriz (Carey Mulligan) e Fotografia.

É claro que podemos encontrar novas surpresas até Janeiro do ano que vem e eu possa estar completamente enganado sobre tudo escrito acima, mas não acho que o Oscar 2012 va ser tão diferente disso. Enfim, temos que esperar.