Arquivo para hitchcock

| Hitchcock | Os cartunescos bastidores do maior suspense do cinema

Posted in Cinema, Críticas de 2013, Drama, Indicados ao Oscar with tags , , , , , , , , , , , on 2 de março de 2013 by Lucas Nascimento

3.0

Hitchcock
Anthony Hitchcock, ou Alfred Hopkins

É inegável o impacto que Psicose de Alfred Hitchcock teve na indústria cinematográfica, e que mantém-se até hoje. Não só impecável como narrativa e técnica, o longa de 1960 ajudou a abrir portas em diversos quesitos de censura e na elaboração de campanhas de divulgação que prezavam o sigilo em torno da trama. Com tamanha importância do filme, é frustrante que Hitchcock prefira se concentrar em dramas e caricaturas de seu criador ao invés do legado de seu produto.

Adaptada do ótimo livro Alfred Hitchcock e os Bastidores de ‘Psicose’ de Stephen Rebello, a trama acompanha o cineasta (Anthony Hopkins) em sua busca pelo projeto que seguiria Intriga Internacional. Na tentativa de se inovar, ele opta pelo livro de Robert Bloch e, aliado a isso, os desafios de uma produção independente e controversa.

É difícil transformar os bastidores de Psicose em um longa-metragem consistente, já que a produção não foi realmente tão conturbada. Claro, houveram inúmeras desavências entre o diretor e a Paramount e as filmagens chegaram a atingir um atraso de 5 dias, mas nada sensacionalista como o diretor Sacha Gervasi sugere; a cena do chuveiro, por exemplo, é retratada aqui como um incidente estressante e movido pela raiva de Hitchcock, mesmo que todos os envolvidos naquela produção tenham afirmado que as gravações de tal momento foram rotineiras e “normais”.

Mas isso não chega a ser uma surpresa, já que o longa já se assume como ficção ao iniciar sua narrativa com uma típica abertura do outrora popular programa Alfred Hitchcock Presents. É uma técnica muito divertida, mas incapaz de sustenstar os curtos 98 minutos de duração. É aí que os roteiristas John J. McLaughlin e Stephen Rebello erram ao introduzir uma trama secundária absolutamente descartável que traz a esposa do diretor, Alma Reville (a ótima Helen Mirren), trabalhando com o roteirista Whitfield Cook (Danny Houston), provocando reações ciumentas por parte do protagonista. Elementos clichês e formulaicos que só são suportáveis graças à dinâmica entre Mirren e Hopkins, cuja maquiagem e atuação levemente caricata se unem para dar vida a “Alfred Hopkins”.

E no quesito de explorar os sentimentos e pensamentos de Hitchcock, o longa é criativo ao apostar em delírios decorrentes onde o diretor tem conversas com o assassino Ed Gain (que foi a principal fonte de inspiração para o romance de Robert Bloch), que mostram não apenas sua obsessão pelo projeto, mas também suas principais fraquezas: “às vezes só queria que alguém dissesse que sou bom”, desabafa Hitch em certo devaneio. Diante dessa constatação, é admirável ver sua alegria sádica ao acompanhar a reação da plateia diante da estreia do filme – e também ver sua esposa ter o devido reconhecimento por suas fundamentais contribuições.

Deixando de lado eventos que poderiam ser interessantes (como o envolvimento do artista Saul Bass) e abraçando a fantasia, Hitchcock é uma experiência divertida e que ajuda a entender um pouco mais sobre o Mestre do Suspense e a ajuda fornecida por sua esposa. Mas no assunto do impacto e legado de Psicose, um documentário seria muito mais envolvente.

Obs: Tendo em mente todas as referências que traz a “Os Pássaros”, o filme daria uma eficiente sessão dupla com o telefilme “A Garota” da HBO, que é ambientado logo após o período de “Psicose”.

1º de Março de 2013

Posted in Esta Semana nos cinemas with tags , on 28 de fevereiro de 2013 by Lucas Nascimento

hitch

O Incógnito Oscar 2013 | Volume II: Categorias Técnicas

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19 de fevereiro de 2013 by Lucas Nascimento

oscar2

Oscar não é só sobre as estrelas, é também para premiar o esforçado trabalho de dezenas (e até centenas) de pessoas que se dedicam às categorias técnicas de um filme. E elas são muito mais interessantes de analisar, vamos à parte 2 do especial:

OBSERVAÇÕES:

  • Clique nos nomes de cada profissional para conferir seu histórico de indicações ao Oscar
  • Abaixo de cada perfil estão os prêmios que cada filme já garantiu na respectiva categoria

fotografia

Ajudando a transformar a visão do diretor em realidade, o diretor de fotografia possui um dos mais importantes cargos, analisando luzes, cores, sombras, mise en scène, entre muitos outros… Os indicados são:

007 – Operação Skyfall | Roger Deakins

fot_skyfall

O vigésimo terceiro filme de James Bond pode não ser o melhor da franquia, mas inubitavelmente é o mais bonito. Com o veterano Roger Deakins no comando da fotografia, Operação Skyfall é recheado de cenas visualmente deslumbrantes. A paleta de cores alterna de locação a outra (mais quente em Istambul e Macau, fria e cinzenta em Londres e no clímax na Escócia) e Deakins utiliza-se muito bem das sombras e luzes durante toda a projeção. Mas o maior feito da área é realmente nas cenas em Xangai, em especial a luta que ocorre em meio à agua-viva holográfica de um outdoor, que produz um tom azulado espetacular. Um trabalho meticuloso de um especialista no assunto, e que – por sinal – ainda carece de uma estatueta na estante…

  • American Society of Cinematographers

Anna Karenina | Seamus McGarvey

fot_annakarenina

Graças às sempre adoráveis distribuidoras nacionais, Anna Karenina só estreia por aqui em 15 de Março (e como não trocamos o valor insubstituível de uma confortável sala de cinema, não nos renderemos ao download ilegal, certo?), então não será possível fazer uma análise muito profunda sobre sua direção de fotografia. Já tendo sido indicado por sua colaboração anterior com Joe Wright (Desejo & Reparação, em 2008), Seamus McGarvey promove a essa nova visão do clássico de Leo Tolstói uma bela combinação de sombras e cores contrastantes, gerando uma textura muito elegante. Agora, não tendo visto o filme, não posso ir além de dizer que é um trabalho muito bonito.

As Aventuras de Pi | Claudio Miranda

fot_lifeofpi

Assim como Mauro Fiore em Avatar, Claudio Miranda conseguiu estabelecer belíssimas imagens, mesmo que a maioria destas tenham sido criadas em um computador. É de se ficar besta com as paisagens que parecem terem saídos de uma pintura, especialmente nas cenas em que Pi está no bote em alto-mar e o céu e o oceano fundem-se em um só, graças ao reflexos das limpíssimas águas. Não só visualmente maravilhoso, também ilustra a dualidade que As Aventuras de Pi carrega na questão de realidade e ficção, a opção de se ter duas histórias. Outro destaque é o uso de 3D, que Miranda e Ang Lee usam bem e trazem um recurso até então inédito: a manipulação da proporção da tela, em função deste – reparem que a tela “transforma-se” em widescreen durante o ataque dos peixes voadores, como forma de salientar o movimento e quantidade. Lindo trabalho.

  • BAFTA
  • Critics Choice Awards

Django Livre | Robert Richardson

fot_djangounchained

A Academia adora Robert Richardson e também adora um bom faroeste. O cinematógrafo vencedor da categoria no ano passado (e indicado por sua colaboração anterior com Tarantino, em Bastardos Inglórios0 confere à Django Livre lindas tomadas externas que revelam os campos, lagos e montanhas do sul dos EUA; paisagens típicas de um faroeste, digamos. Já sua iluminação em interiores é dotada de um tom predominantemente quente e pasteurizado, especialmente na residência de Calvin Candie (cuja decoração à velas justifica a a escolha de tais cores). Também gosto do uso de luzes fortes jogadas nas costas dos personagens, característica que tem se mostrado muito presente em suas colaborações com Tarantino. Mais um excelente trabalho de Richardson.

Lincoln | Janusz Kaminski

fot_lincoln

É impressionante se compararmos o trabalho de fotografia de Janusz Kaminski aqui em Lincoln como o de sua indicação anterior, Cavalo de Guerra. Mostra como o onipresente colaborador de Steven Spielberg sabe alternar as cores de acordo com a temática da narrativa: se o drama de Primeira Guerra trazia planos coloridos e vivos, ele garante um visual sombrio para a cinebiografia de Abraham Lincoln. Adotando uma lógica visual que consiste em interiores escuros com grandes feixes de luz entrando pelas janelas (algo que remete ligeiramente ao trabalho de Barry Lyndon), Kaminski utiliza desta durante toda a projeção, o que representa como o protagonista está sempre mergulhado nas trevas – e quando este alcança a vitória, o personagem enfim atravessa as cortinas e é engolido pela luminosidade externa, em um ato simbólico muito inteligente.

APOSTA: As Aventuras de Pi

QUEM PODE VIRAR O JOGO: Skyfall

MEU VOTO: Skyfall

FICOU DE FORA: Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge | Wally Pfister

fot_TDKR

O fiel colaborador de Christopher Nolan já foi indicado ao Oscar por 4 de seus 7 trabalhos com o diretor. Na conclusão da trilogia do Homem-Morcego, ele mantém a eficaz manipulação das luzes e sombras, ajudando a criar uma aura dark e fria ao longo da projeção – ainda que este seja o filme de Batman com mais cenas diurnas da trilogia. Além do ótimo trabalho visual, Wally Pfister ainda trabalhou com as câmeras IMAX, que representam mais da metade das cenas do filme, alcançando um resultado grandioso.

direçaodearte

Para povoar a história de personagens e situações, cenários – sejam digitais ou construídos – são essenciais, assim como a equipe que os desenha/projeta antes de lhes dar vida. Os indicados são:

Anna Karenina | Sarah Greenwood & Katie Spencer

set_ak

Novamente, não assisti a Anna Karenina, mas sua ambientação de época já seria o suficiente para abocanhar uma indicação nesta categoria. Abraangendo o período do czarismo russo do século XIX, o desenho de produção é eficaz e faz jus à grandiosidade faraônica do período. No entanto, o que me chamou a atenção sobre esta nova versão é o fato desta ser executada de forma teatral; dessa forma, os cenários vão alternando como se fossem apenas um, localizado em um imenso palco com direito a cortinas. Muito interessante.

  • ADG – Filme de Época
  • Critics Choice Awards

As Aventuras de Pi | David Gropman & Anna Pinnock

art_pi

As lindas imagens que a fotografia de Claudio Miranda ilustra com magistral beleza começaram aqui, com os desenhos e planejamentos do departamento de arte. Não só é fiel às descrições do livro – que trazem a ideia de um oceano tão limpo e reluzente, que se crie a ilusão de que este “funde-se” ao céu, graças ao reflexo – mas também é competente ao criar belas imagens a partir de um cenário limitado. Claro que há diversas cenas com locação na Índia e cenários de interiores, mas nenhuma que se equipare ao “mar de nuvens”.

  • ADG – Filme de Fantasia

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada | Dan Hennah, Ra VincentSimon Bright

art_hobbit

Mesmo quem não é fã da saga de Peter Jackson sobre a Terra Média (eu), deve admitir que o trabalho de direção de arte nos filmes é espetacular (sim, eu admito). Trazendo de volta ambientes já conhecidos da trilogia Senhor dos Anéis (como a compacta, porém aconchegante, toca de Bilbo Bolseiro e as fantásticas torres de Valterra) e também nos apresentando a algumas novidades – ainda que sejam familiares, como a origem dos trolls petrificados – o trabalho do desenho de produção é fabuloso. Acho particularmente fascinante a sombria caverna que serve de palco às “charadas no escuro”, que não só é eficiente visualmente, mas também contribui imensamente para o tom da cena.

Lincoln | Rick Carter & Jim Erickson

art_lincoln

Ao contrário de seu longa anterior, Steven Spielberg não se concentrou nos campos de batalha do período que resolveu abordar. Assim, os congressos e aposentos americanos de Lincoln se sobressaem às trincheiras e plantações rurais que Rick Carter havia criado para Cavalo de Guerra. Uma produção imensa e que recria  cuidadosamente ambientes históricos, em especial a Casa Branca que é sempre marcada pelas sombras e inúmeras pilhas de livros e documentos, salientando a “bagunça” daquele lugar. De forma similar, o Congresso nem se preocupa em separar oponentes, dando lugar à constantes intrigas por mantê-los tão próximos um do outro. E até onde percebi, a maioria dos cenários não é digital.

Os Miseráveis | Eve Stewart & Anna Lynch-Robinson

art_lesmiz

Mesmo que utilize de greenscreens artificiais que comprometem o trabalho dos outros departamentos (o de atuação, principalmente) em alguns momentos, o design de produção de Os Miseráveis é competente ao recriar a Paris do período da Revolução Francesa , no século XVIII. E como o título já indica, o longa explora as classes mais baixas, desde os bares sujos e bagunçados (como a propriedade dos vigaristas Thénardier) até a passarela das prostitutas (cuja estrutura é de clara influência teatral). Os grandes parlamentos e igrejas também são bem utilizados e contrastam com os ambientes descritos anteriormente – e o fato de a maioria destes serem reais e de imensa escala é ainda melhor para a imersão na história.

  • BAFTA

APOSTA: Anna Karenina

QUEM PODE VIRAR O JOGO: As Aventuras de Pi

MEU VOTO: Os Miseráveis

FICOU DE FORA: Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge | Nathan Crowley, Kevin Kavanaugh e Paki Smith

art_tdkr

A conclusão da trilogia do Batman de Christopher Nolan foi completamente esquecida pela Academia, que não lembrou do filme em nenhuma categoria. Uma ação injusta já que – mesmo não sendo um longa impecável como o antecessor – Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge é impecável em sua área técnica, especialmente em seu grandioso design de produção. Eficiente ao retratar as ruas de Gotham devastadas e os esconderijos subterrâneos do herói e do antagonista Bane, ainda há a prisão localizada dentro de um poço enorme; não só uma construção (real) impressionante, mas também uma metáfora brilhante para a jornada de Bruce Wayne.

montagem

Se há um departamento que é essencial – e também um dos meus preferidos – é a montagem. É preciso habilidade para montar o filme, lhe fornecer o ritmo e tom apropriado e, claro, eliminar cenas desnecessárias. Os indicados são:

Argo | William Goldenberg

mont_argo

Muitos críticos disseram que Argo parece dois filmes diferentes graças à sua mistura de tensão e humor. Tendo como dois focos narrativos principais um grupo de reféns escondidos no Irã e a equipe da CIA de Tony Mendez, a montagem de William Goldenberg é eficiente ao equilibrar em doses apropriadas esses dois “gêneros” distintos. Se em uma hora o espectador se diverte com o humor irreverente das cenas em Hollywood, Goldenberg logo nos lembra das vidas humanas que estão em risco do outro lado do mundo. Além dessa boa divisão, a montagem também merece créditos pela urgência na cena do aeroporto e pelo uso de imagens reais ao longo da narrativa.

  • ACE Eddie Awards
  • BAFTA

As Aventuras de Pi | Tim Squyres

mont_pi

Centrado em um único personagem que encontra-se preso em um ambiente limitado durante quase toda a projeção, a montagem de Tim Sqyres para As Aventuras de Pi é eficiente ao acelerar a longa passagem dos dias em uma série de transições, optando por fades ou por um tipo mais dinâmico (como na imagem acima, em que amão de Pi fica em 1º plano ao passo em que as cenas vão passando). Tal recurso também é usado para marcar as passagens entre a história que é contada e aquele que a conta, no caso o envelhecido Pi. O equilíbrio entre essas narrativas contribue para que a experiência não torne-se cansativa.

A Hora Mais Escura | William Goldenberg & Dylan Tichenor

mont_0d30

Com uma dupla indicação na categoria deste ano, William Goldenberg se alia a Dylan Tichenor para colar e organizar todos os intrincados eventos que compõem a caçada por Osama Bin Laden em A Hora Mais Escura. Adotando uma estrutura composta por segmentos (recurso que me remeteu à divisão de Cães de Aluguel, entre outros), a dupla compressa acontecimentos que se passam em um intervalo de 8 anos em uma duração de quase 3 horas. E mesmo que o primeiro ato do filme seja cansativo em circunstância da absurda quantidade de nomes e datas, Goldenberg e Tichenor organizam bem as informações e provocam tensão nas horas certas graças a seus cortes rápidos – mas que nunca chegam ao ponto de tornar a ação incompreensível.

O Lado Bom da Vida | Jay Cassidy & Crispin Struthers

mont_silvr

Ao ver a lista dos indicados desta categoria, minha maior surpresa (seguida imediatamente de uma sensação de “WTF”) foi encontrar O Lado Bom da Vida. E só quando assisti ao filme percebi que o trabalho de Jay Cassidy e Crispin Struthers é realmente digno do prêmio, e também um dos principais motivos pelo longa de David O. Russell funcionar tão bem. Tendo que lidar com doses de comédia e drama (meio como faz Argo), a dupla oferece velocidade às cenas de passagem de tempo e ajuda a tornar as cenas de dança – principalmente a do clímax – mais empolgantes, isso sem exagerar no excesso de cortes de rápidos. Durante toda a projeção, o filme tem um ótimo ritmo e que se mantém eficiente até o segundo final.

  • ACE Eddie Awards – Musical/Comédia

Lincoln | Michael Kahn

mont_lincoln

Mais um grande colaborador de Steven Spielberg, Michael Kahn é o responsável por juntar com competência todos os inúmeros diálogos e debates políticos em Lincoln. Com cortes “básicos” na maior parte do filme (sendo interessante como este utiliza pouquíssimos na introdução do protagonista, deixando a tomada progredir livremente), o trabalho de Khan se sobressai ao interligar eventos em diferentes tempos, como a sequência que traz as tentativas dos eleitores de conseguir – através de múltiplas fontes – votos para a 13ª Emenda. O demérito é quando Kahn aposta em algumas transições pavorosas (irônico, após ter garantido duas brilhantes em Cavalo de Guerra e As Aventuras de Tintim), especialmente aquela que traz a imagem de Lincoln aparecendo na chama de uma vela.

FICOU DE FORA: A Viagem | Alexander Berner

(as imagens abaixo não se referem a um momento específico do longa, apenas para ilustrar as 6 narrativas que este abraange)

mont_cloudatlas

O que realmente me impressiona na montagem perfeita de A Viagem, não é apenas o fato de o longa manter-se eficaz em seu ritmo e equilibrar com eficiência suas 6 (isso mesmo, 6) narrativas que ocorrem em diferentes períodos da História. O que realmente impressiona é que Alexander Berner conseguiu sozinho administrá-las com perfeição, fazendo uso de transições espertas (especialmente aquelas que respeitam a lógica visual das diferentes ambientações) e cortes com intensidade apropriada ao momento específico. Como deixar um trabalho desses de fora?

APOSTA: Argo

QUEM PODE VIRAR O JOGO: A Hora Mais Escura

MEU VOTO: Argo

figurino

A menos que seja um filme pornográfico, os atores precisam de roupas; que variam de época, tamanho e estilo, adequando-se à sua narrativa e ao personagem. Os indicados são:

Anna Karenina | Jacqueline Durran

figurino_karenina

Disparado como favorito da categoria, Jacqueline Durran veste as personagens em mais uma versão da clássica obra russa. Ambientando-se no período czarista, o trabalho da figurinista segue os padrões daquela época, porém – considerando o apelo mais “moderno” do diretor Joe Wright -, notam-se características mais contemporâneas (Durran disse ter se inspirado em modelos dos anos 50, por exemplo). A vaidade da personagem-título é bem representada por seus apurados vestidos e jóias; a maioria destes adotando um padrão de cores frio e com acessórios que suportem as baixas temperaturas da Rússia. Novamente, não vi o filme mas parece digno da vitória.

  • Costume Designers Guild – Filme de Época
  • BAFTA

Branca de Neve e o Caçador | Colleen Atwood

figurino_snowhite

A releitura dark/gótica para as clássicas personagens do conto dos irmãos Grimm (ou da animação da Disney, como preferir) é certamente uma das poucas qualidades de Branca de Neve o Caçador. Trazendo grande influência de seu trabalho com os últimos filmes de Tim Burton, Colleen Atwood acerta ao adicionar novas características aos personagens (como o traje do Caçador, que traz inúmeras machadinhas) e pelos espetaculares vestidos da Rainha Rowena, especialmente aquele que é formado por diversos corvos. Meu preferido dentre os indicados.

Espelho, Espelho Meu | Eiko Ishioka

figurino_mirrormirror

E a Academia entrou na febre da Branca de Neve, mas se o longa de Rupert Sanders apostava num visual mais sujo e que remetesse mais à obra dos Grimm, Espelho, Espelho Meu abraçou desvergonhadamente as cores e elementos alegres da versão Disney. Não assisti ao filme (e não pretendo, sinceramente), mas pela pesquisa de imagens que fiz, o maior acerto fica novamente com a antagonista da história, sempre trajando vestidos repletos de detalhes.

Lincoln | Joanna Johnston

figurino_lincoln

Em um vasto trabalho de pesquisa a bibliotecas e arquivos históricos, Joanna Johnston recriou com fidelidade os ternos e vestidos trajados por todos os políticos e familiares no período de Lincoln. Ambientado no final dos anos 1800, a figurinista acerta ao trazer quase todas as vestimentas em tons escuros e discretos, ao passo em que a Mary Todd Lincoln sempre aparece com cores radiantes e vestidos chamativos (o que traduz visualmente alguns aspectos de sua personalidade explosiva). Fora dos tribunais, Johnston também borda alguns dos uniformes utilizados em combate na Guerra Civil, separando os lados inimigos ao simplesmente trajá-los com cores diferentes.

Os Miseráveis | Paco Delgado

figurino_lesmis

Mais uma produção de época (compreendam, a Academia adora lembrar longas do tipo nessa categoria), Paco Delgado dá sua versão para as vestimentas do período da Revolução Francesa. Na saga musical de Victor Hugo, é importante notar como o figurino é essencial na representação da classe social das personagens, e como este vai se transformando à medida em que alguns ascendem (como Jean Valjean, que de condenado miserável sobe para nobre rico e elegante) e outros decaem (como a delicada Fantine, cujo rosa sensível é logo substituído por um vermelho berrante quando esta volta-se à prostituição). É de se admirar também o trabalho com as centenas de figurantes, a maioria deles trajando peças da baixa classe da sociedade.

FICOU DE FORA: Django Livre

figurino_django

Da mesma forma que teve seu trabalho inexplicavelmente esnobado em Bastardos Inglórios, a segunda investida histórica de Quentin Tarantino foi esquecida. Acertando ao retratar a superioridade financeira de personagens como King Schultz e Calvin Candie (que trajam elegantes ternos e casacos), a figurinista xx ainda traz vestimentas típicas de faroeste (como a usada por Django na imagem acima) e também pelas “brincadeiras”, como a roupa inspirada na pintura The Blue Boy que o protagonista escolhe usar no início do filme.

APOSTA: Anna Karenina

QUEM PODE VIRAR O JOGO: Lincoln

MEU VOTO: Branca de Neve e o Caçador

maquiagem

A arte de enfeitar e disfarçar um artista, resultando em uma transformação do personagem, seja para envelhece-lo ou transformá-lo em um monstro. Os indicados são:

Hitchcock | Howard Berger, Peter Montagna & Martin Samuel

makeup_hitchcock

Anthony Hopkins está muito parecido com Alfred Hitchcock (até as mesmas iniciais eles compartilham!). É realmente incrível o trabalho da equipe em transformar o ator no Mestre do Suspense (um muito superior a aquele do telefilme A Garota, com Toby Jones), especialmente se o olharmos de perfil. Como Hitchcock ainda não estreiou no Brasil, fica difícil saber como as próteses faciais são utilizadas e se elas favorecem o trabalho de Hopkins. Mas visualmente falando, está impecável.

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada | Peter King, Rick Findlater & Tami Lane

maquiagem_hobbit

Assim como o design de produção e os efeitos visuais (que veremos logo a seguir) de O Hobbit ajudam a criar a monstros fantásticos, a maquiagem desempenha um papel tão importante quanto para alcançar esse feito. Isso porque o trabalho na composição visual de hobbits, anões e outras criaturas cujo nome me escapam à memória é quase todo real, sem computação gráfica. O destaque de Uma Jornada Inesperada fica mesmo com os 13 anões do filme, figuras que – mesmo aparentemente idênticas à distância – trazem diferentes detalhes em seus acessórios, barbas e penteados.

Os Miseráveis | Lisa Westcott & Julie Dartnell

makeup_miserables

No trabalho de maquiagem de Os Miseráveis, o truque não foi criar monstros ou recriar diretores famosos, mas sim deixar pessoas elegantes como Hugh Jackman e Anne Hathaway em um estado decadente. A começar pelo ator, que já surge em cena com os cabelos raspados de forma brusca, com uma longa barba e até dentes podres (imagem acima). E enquanto seu Jean Valjean cresce socialmente, a Fantine de Hathaway vai pelo caminho oposto e acaba com os cabelos arrancados e com os dentes quebrados, destruindo a beleza da atriz. São boas transformações, mas é o longa menos impressionante entre os indicados.

  • BAFTA

FICOU DE FORA: A Viagem

makeup_cloudatlas

Quando vi pela primeira vez o elenco de A Viagem disfarçado para encarnar diversos personagens no grandioso projeto dos irmãos Wachowksi e Tom Tykwer, já apostei em sua vitória no Oscar. Imaginem minha decepção (e a de muitos outros, certamente) ao não encontrar o trabalho de maquiagem do filme entre os indicados deste ano… Homens viram mulheres, negros viram caucasianos, ocidentais viram orientais e todo o resultado é impressionante, servindo com impecável propósito à narrativa. Vai entender a ausência…

APOSTA: O Hobbit

QUEM PODE VIRAR O JOGO: Os Miseráveis

MEU VOTO: Hitchcock

efeitosvisuais

Dando vida ao que não existe, a equipe de efeitos visuais trabalha para criar personagens e ambientes digitais, buscando o realismo perfeito. Os indicados são:

As Aventuras de Pi

VFX_LOP

Muito bem, vou ser honesto: não acho os efeitos visuais de As Aventuras de Pi perfeitos. As cenas em que a água do mar apresenta uma fosforescência durante a noite (especialmente no salto da baleia) soaram berrantemente artificiais para mim. Mas dane-se. O filme merece o prêmio aqui pelo trabalho espetacular na criação do tigre Richard Parker, uma das criaturas digitais mais realistas e expressivas que já vi na vida. Os movimentos, transformações físicas (o animal emagrece ao longo da trama) e interação com o ator Suraj Sharma são perfeitas, e seria muito fácil confundir o trabalho da Rhythm & Hues (empresa que faliu recentemente) com um tigre real, já que este é absolutamente foto-realista. O greenscreen também é muito eficiente e jamais soa falso.

  • 3 Vitórias no Visual Effects Society
  • BAFTA
  • Critics Choice Awards

Branca de Neve e o Caçador

SNOW

Assim como a direção de arte e o figurino têm forte influência de Alice no País das Maravilhas de Tim Burton, o trabalho de efeitos visuais de Branca de Neve o Caçador também bebe da mesma fonte. Grande parte do trabalho digital aqui visa preencher o vazio do greenscreen e transformá-lo em cenários fantásticos que ainda trazem diversas criaturas igualmente computadorizadas. Ao passo que o filme de Burton aumentava a cabeça de Helena Bonham Carter, a equipe dese novo filme faz um eficiente trabalho de substituição de cabeças para a criação dos anões, e “diminui” atores  como Ian McShane e Nick Frost.

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada

VFX_Hobbit

Em todas as suas viagens à Terra Média, Peter Jackson levou de brinde um Oscar nesta categoria para sua equipe da Weta. 10 anos após o fim da trilogia Senhor dos Anéis, O Hobbit traz novas tecnologias de efeitos especiais (como a câmera que diminui o tamanho dos atores a fim e transformá-los em anões, permitindo também que interagissem com outros em tamanho normal, separadamente ou não) e aprimorou diversas, como a captura de performance que o sempre talentoso Andy Serkis sempre faz bom uso; retornando aqui com o icônico Gollum. Os efeitos da Weta acertam na criação de criaturas e cenários digitais e não fosse a vitória quase certa de As Aventuras de Pi aqui, garantiria mais um trófeu para a saga de J.R.R. Tolkien.

  • Visual Effects Society – Fotografia Virtual

Prometheus

vfx_prometheus

33 anos após seu Alien – O Oitavo Passageiro vencer nesta categoria, Ridley Scott retorna à cerimônia com O “meio-que-prelúdio” do filme que o catapultou à fama, trazendo mais um elegante trabalho com efeitos visuais. A maior parte dos efeitos de Prometheus surgem aqui como o tipo que não se manifesta de forma primária, surgindo mais como greenscreen (que serve de criação para todo o planeta LV-223 e os hologramas das diferentes espaçonaves do longa) e também para realçar objetos reais. Exemplo, a desintegração do Engenheiro na cena inicial, onde a equipe recriou o ator digitalmente apenas para acertar a trajetória do líquido preto que corrói seu corpo. Os efeitos do filme são, realmente, muito eficazes.

Os Vingadores – The Avengers

VFX_AV

Finalmente acertaram no visual do Hulk no cinema. Após dois trabalhos que traziam efeitos visuais medíocres, enfim o Gigante Esmeralda ganha um trabalho digital decente (e que preserva com eficiência as feições de seu intérprete) em Os Vingadores. Só esse feito já seria o suficiente para indicar o longa, mas a Industrial Light & Magic também capricha com a grandiosidade de suas batalhas (que trazem diversos ambientes e personagens digitais) e na manifestação dos poderes dos heróis.

  • Visual Effects Society – Miniatura

APOSTA: As Aventuras de Pi

QUEM PODE VIRAR O JOGO: O Hobbit

MEU VOTO: As Aventuras de Pi

FICOU DE FORA: Ted

efeito_ted

Criado a partir de captura de performance (cujo dublê foi o próprio Seth McFarlane, diretor, roteirista e dublador do filme), o ursinho boca-suja de Ted traz um eficiente trabalho com efeitos visuais, e se estes não fossem perfeitos, o longa não funcionaria. E, de fato, a criatura surje bem carismática e realista, tendo ótima interação com o ambiente e elenco.

Fizeram as apostas? Gostaram? Comentem! Amanhã tem mais análise dos indicados com o volume dedicado às categorias de Sons e Músicas. Até lá!

Especial Oscar 2013 Completo

O Incógnito Oscar 2013 | Volume I: Atuações

Posted in Especiais, Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18 de fevereiro de 2013 by Lucas Nascimento

oscar1

E chegou a hora da 85º cerimônia dos prêmios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Ao contrário de algumas edições passadas, o Oscar deste ano promete trazer surpresas entre seus indicados principais (principalmente pela ausência de figuras importantes que vêm se destacando em prêmios de sindicatos), por isso é certo dizer que o Oscar 2013 é uma incógnita em algumas áreas. Começaremos, como sempre, pelas categorias de atuação:

OBSERVAÇÕES:

  • Clique nos nomes de cada ator/atriz para conferir seu histórico de indicações ao Oscar
  • Abaixo de cada perfil estão os prêmios que cada ator/atriz já garantiu esse ano

ator

Bradley Cooper | O Lado Bom da Vida

cooper

Personagem: Pat Solitano Jr.

Quem diria que de coadjuvante antagonista em Penetras Bons de Bico até protagonista de um dos filmes de comédia mais lucrativos da atualidade, Bradley Cooper se transformaria em indicado ao Oscar? Na pele de um sujeito diagnosticado com transtornos de personalidade, o ator impressiona por sua eficiente capacidade de alternar de humor naturalmente; hora furioso, resta um elogio sobre sua forma física para fazê-lo sorrir e esquecer seu problema. Mesmo que mantenha certo carisma cômico (característica que se encaixa aqui), é sua dramaticidade que realmente surpreende, assim como sua bela química com Jennifer Lawrence.

Daniel Day-Lewis | Lincoln

lewis

Personagem: Abraham Lincoln

Um dos melhores atores em atividade, Daniel Day-Lewis é um monstro de atuação e caracterização. Entrando na pele do 16º presidente dos EUA, Lewis cria diversos elementos para sua composição; desde o andar meio manco até a suave voz (o ator teve que elaborar uma, já que não existem gravações sonoras de Abraham Lincoln), sendo responsável por todo o mérito de Lincoln. Não é uma performance que domina a tela o tempo todo (afinal, o longa aborda diversas personagens), mas que suga toda a atenção quando aparece. É uma vitória certa e, mesmo não sendo meu preferido entre os indicados, merecida.

  • SAG
  • Globo de Ouro – Drama
  • BAFTA
  • Critics Choice Awards

Hugh Jackman | Os Miseráveis

jackman

Personagem: Jean Valjean

Libertando-se das garras de Wolverine por alguns instantes (afinal, este ano o ator reprisa o papel do mutante imortal), Hugh Jackman solta a voz como protagonista da versão de Tom Hooper de Os Miseráveis. Honrando o título do longa ao surgir de aparência decadente nos minutos iniciais, o ator também soltou a voz e cantou ao vivo durante as gravações do filme; e seu trabalho talvez seja o mais evidente, já que este tem diversas canções em que aparece sozinho e com a câmera o acompanhando sem cortes.

  • Globo de Ouro – Musical/Comédia

Joaquin Phoenix | O Mestre

phoenix

Personagem: Freddie Quell

Após sua brincadeira sem graça como rapper barbudo, Joaquin Phoenix retornou àquilo que faz muitíssimo bem. Na pele de um desequilibrado ex-fuzileiro naval, Phoenix se entrega de corpo e alma e garante uma performance tanto física quanto psicológica, especialmente por manter o mesmo tom de voz, os acessos descontrolados de risadas e por manter um lado de seu rosto torto, quase deformado. É realmente impressionante a dedicação de Phoenix ao personagem, e também como oferece indícios de um possível distúrbio mental de Quell.

Denzel Washington | O Voo

denzel

Personagem: William “Whip” Whitaker

Ainda bem que Denzel Washington é o protagonista de O Voo. O filme de Robert Zemeckis não é ruim, mas o que o torna cativante até o final da projeção é a performance do excelente ator, que encarna um piloto de avião com problemas de alcoolismo – tornando-se uma figura heróica após aterrissar uma aeronave que se despedaçava nos céus. O carisma e ar simpático de Washington nos fazem identificar com Whip e também com sua difícil luta contra o vício – tratado com elementos clichês que o roteiro de John Gatins apresenta, e que só funcionam graças ao ator.

FICOU DE FORA: Jean-Louis Trintignant | Amor

trintignant

Personagem: Georges

A Anne de Emmanuelle Riva é o centro de Amor, mas quem realmente acompanha o espectador durante a projeção, é seu marido vivido por Jean-Louis Trintignant. O veterano ator francês acerta ao conseguir transpor todo a sua dedicação à Anne em uma série de ações e também pela paciência que demonstra. Quando este perde a paciência em certo momento (e também em sua decisão inesperada ao fim da projeção), vemos a versatilidade do ator, que imediatamente choca-se com seu feito e pede desculpas. Amor é bem sucedido graças a junção de Trintignant e Riva.

APOSTA: Daniel Day Lewis

QUEM PODE VIRAR O JOGO: Quando Daniel Day-Lewis quer um Oscar, quem vai ficar em seu caminho?

MEU VOTO: Joaquin Phoenix

atriz

Jessica Chastain | A Hora Mais Escura

chastain

Personagem: Maya

A Maya de Jessica Chastain talvez seja uma das figuras femininas mais badass dos últimos anos. Inspirada em uma agente real da CIA, a responsável por organizar e liderar a caçada pelo terrorista Osama Bin Laden é incrivelmente determinada e jamais perde seu foco, características que a atriz transpõem bem ao exibir o cansaço da personagem através do olhar e a ausência de glamour em sua caracterização. É de se admirar quando Chastain tira o problema de sua inquestionável beleza ficar à frente de sua integridade, adotando uma aura forte e persistência, não hesitando em levantar a voz ou usar palavrões à frente de seus superiores. Não vai ser dessa vez que a atriz levará o ouro, mas só comprova que ela veio pra ficar.

  • Globo de Ouro – Drama

Jennifer Lawrence | O Lado Bom da Vida

lawrence

Personagem: Tiffany Maxwell

Eu me apaixonei por Jennifer Lawrence após vê-la nesta divertida e irresistível performance. Adotando as características excêntricas de Tiffany, Lawrence acerta ao compor sua performance com uma série de nuances faciais (os dentes cerrados quando está nervosa, e  sua risada irônica são arrebatadores) e por atribuir à personagem muita força e uma aura durona – características que a tornam quase que invulnerável emocionalmente. Mas a atriz também acerta quando encontramos os sentimentos que jaziam ocultos dentro de Tiffany, o que revelam as facetas mais complexas desta. Também é um colírio para os olhos vê-la dançando de forma sensual ao som de Stevie Wonder.

  • SAG
  • Globo de Ouro – Musical/Comédia

Emmanuelle Riva | Amor

riva

Personagem: Anne

Atriz mais velha a ser indicada ao Oscar nesta categoria, a francesa Emmanuelle Riva talvez converta-se também na mais velha vencedora. No papel de uma idosa que é repentinamente atacada por um derrame, a atriz merece créditos por retratar a doença de forma real – sem cair à caricaturas ou clichês – e o resultado é incomodante, de tão verossímil que é seu trabalho. Simpática e adorável quando saudável, a performance da atriz vai melhorando ao passo em que a doença de Anne piora (como quando ela luta para formular algumas palavras).

  • BAFTA

Quvenzhané Wallis | Indomável Sonhadora

wallis

Personagem: Hushpuppy

E Quvenzhané Wallis (desafio vocês a soletrarem o primeiro nome sem trapaça) torna-se a mais jovem atriz a ser indicada na categoria, com apenas 9 anos de idade. Como Indomável Sonhadora só estreia no Brasil na próxima sexta (22), ainda não posso comentar o desempenho da atriz, mas atualizarei assim que assistir ao filme.

  • Critics Choice Awards – Atriz Estreante

Naomi Watts | O Impossível

watts

Personagem: Maria

Quando O Impossível estreiou, me passou despercebido como um candidato ao Oscar. Dessa forma, não consegui ver o desempenho de Naomi Watts, que interpreta uma mãe que ajuda pessoas desoladas quando um tsunami ataca seu resort na Tailândia. Parece o tipo de papel que requer uma interpretação intensa e desesperadora de sua atriz, mas não posso avaliar o desempenho desta sem ter visto o filme, então…

FICOU DE FORA: Helen Mirren | Hitchcock

mirren

Personagem: Alma Reville

Eu ainda não assisti a Hitchcock, mas a ausência de Helen Mirren foi uma surpresa – já que a veterana esteve presente em quase todas as outras premiações. Dando sua interpretação da esposa de Alfred Hitchcock, Alma Reville, dizem que Mirren conseguiu tomar o filme todo para ela, conseguindo até deixar a elogiada performance de Anthony Hopkins em segundo plano. E pelos trailers (mas não se deve tomá-los como única referência, claro), a atriz parece estar ótima. Anseio pelo dia 1º de Março para ver se a Academia fez um erro, ou não, ao deixá-la de fora.

APOSTA: Emmanuelle Riva (além de se converter em ganhadora mais velha, faz aniversário no dia premiação. Como resistir?)

QUEM PODE VIRAR O JOGO: Jennifer Lawrence

MEU VOTO: Jennifer Lawrence

ator-coadj

Alan Arkin | Argo

arkin

Personagem: Lester Siegel

Ao lado de John Goodman, Alan Arkin é o alívio cômico perfeito do thriller de Ben Affleck. Assumindo o jeito e os óculos escuros do fictício Lester Siegel, o ator trava os diálogos mais divertidos do filme e assume uma irreverência sem precedentes, mostrando-se como grande entendedor dos negócios em Hollywood (seu confronto verbal com um produtor é seu ponto alto) e uma sátira a esse tipo de figura tão popular nos anos 70, e o ator afirmou que sua principal inspiração foi o produtor Jack Warner. Arkin está ótimo no papel, e nos relembra como funciona bem como um coadjuvante cômico.

Robert De Niro | O Lado Bom da Vida

deniro

Personagem: Pat, Sr.

Depois de 21 anos sem uma indicação Oscar (e muitos papéis estereótipos em comédias fracas), eis Robert DeNiro é lembrado por seu personagem supersticioso e viciado em futebol americano. E é uma indicação justa, já que o ator enfim sai do piloto-automático e consegue divertir com essa figura honesta e surpreende em uma cena específica em que este finalmente se abre com o filho; revelando que muitas de suas ações eram um mero pretexto para que os dois se reaproximem. DeNiro surge aqui com muita paixão e carisma, e nos lembra daquele ator fantástico que foi no passado. Bom saber que ele ainda existe.

Phillip Seymour Hoffman | O Mestre

hoffman

Personagem: Lancaster Dodd

Dando vida ao “mestre” do título, Phillip Seymour Hoffman entrega mais uma performance muito competente. Tendo seu personagem inspirado no escritor de ficção científica L. Ron Hubbard (o fundador da Cientologia na década de 50), o ator inicialmente o preenche com um ar simpático e acolhedor e ao passo que o roteiro de Paul Thomas Anderson vai dando indícios de que  Dodd é um charlatão, Hoffman vai fazendo as mudanças necessárias. Reparem em sua explosiva ira e apelo a agressões verbais quando tem suas ideias contestadas por terceiros. Hoffman faz de Dodd um sujeito ambíguo, uma decisão acertadíssima que é essencial para o sucesso do longa.

  • Critics Choice Awards

Tommy Lee Jones | Lincoln

tlj

Personagem: Thaddeus Stevens

É difícil acompanhar uma presença monstruosa como a de Daniel Day-Lewis, mas Tommy Lee Jones talvez seja o que mais conseguiu se sustentar. Roubando a cena quando não acompanhamos Abraham Lincoln, seu Thaddeus Stevens é uma figura forte e que exala sarcasmo em seus ótimos discursos (e é também o responsável por não torná-los uma chatice total). Jones mantém sua persona rabungenta, mas é na última cena de seu personagem que enfim entendemos suas motivações; e é impossível não seguí-lo quando abre um sorriso muito satisfeito.

  • SAG

Christoph Waltz | Django Livre

waltz

Personagem: Dr. King Schultz

Repetindo a parceria com Quentin Tarantino, o austríaco Christoph Waltz oferece mais um personagem memorável. Na pele do caçador de recompensas alemão King Schultz, o ator traz de volta diversos traços de sua performance em Bastardos Inglórios, como a elegante dicção de um vocabulário elegante, sua educação cortês e sua invejável capacidade de falar múltiplos idiomas com facilidade. E como o único personagem branco que despreza a escravidão no faroeste Django Livre, Schultz ora utiliza de métodos ortodoxos para a resolução de problemas, mas também utiliza a violência quando estes falham. Waltz é um monstro de ator, e Tarantino parece ser o único que aproveita o máximo de seu potencial.

  • Globo de Ouro
  • BAFTA

APOSTA: Christoph Waltz

QUEM PODE VIRAR O JOGO: Tommy Lee Jones

MEU VOTO: Christoph Waltz

FICOU DE FORA: Leonardo DiCaprio | Django Livre

dicaprio

Personagem: Calvin J. Candie

Sempre injustiçado pela Academia, Leonardo DiCaprio vem experimentando um papel melhor atrás do outro nos últimos anos. No faroeste de Quentin Tarantino, ele assume o primeiro vilão de sua carreira ao interpretar o cruel fazendeiro Calvin Candie e se sai incrivelmente bem. Livrando-se de qualquer trajeto típico de trabalhos anteriores, DiCaprio transforma-se num sujeito narcisista e malévolo, chocando com suas explosões de violência.

atrizcoadj

Amy Adams | O Mestre

adams

Personagem: Peggy Dodd

Com as poderosas atuações de seus colegas Joaquin Phoenix e Phillip Seymour Hoffman (e também pelo maior tempo que o roteiro dedica a estes personagens), não há muito destaque para Amy Adams em O Mestre. A talentosa atriz interpreta a esposa do “mestre” Lancaster Dodd e o que chama a atenção em sua performance é sua mudança de atitude: simpática e acolhedora como o marido em suas primeiras cenas, Peggy logo repudia as ações de Dodd e é aversisva a crescente relação deste com Freddie Quell. A atriz trata bem essas características, mas sua melhor cena é quando fornece prazer a Dodd no banheiro; sua impassibilidade diante da situação (e a dominância sobre o sujeito) é espantosa.

Sally Field | Lincoln

fields

Personagem: Mary Todd Lincoln

Depois de passar um bom tempo dedicando-se a trabalhos na televisão, a carismática Sally Field retorna ao cinema em 2012 com dois papéis maternos e é lembrado nas premiações por um deles. Claro que não me refiro a sua Tia May de O Espetacular Homem-Aranha mas sim à Mary Todd Lincoln, esposa radical do personagem-título. E assim como Tommy Lee Jones, a atriz consegue seguir a linha de Daniel Day-Lewis com sua adorável preocupação com os filhos e engaja poderosas discussões com Lincoln pela segurança destes. Adoro o momento em que Field vai lentamente destruindo Thaddeus Stevens em uma festa, onde ela o faz com uma dicção dócil e um sorriso imutável.

Anne Hathaway | Os Miseráveis

hathaway

Personagem: Fantine

Não querendo menosprezar o filme, mas eu não daria tanta atenção a ele sem a presença poderosa de Anne Hathaway. Mesmo aparecendo em cena por pouco mais de 20 minutos, sua performance é a melhor coisa de Os Miseráveis e, assim como todo o restante do elenco, a atriz protagonizou as cenas de canto ao vivo e seu desempenho nestas é dos mais intensos. Seu tour de fource é definitivamente a canção “I Dreamed a Dream”, onde Hathaway surge completamente vulnerável fisicamente e entrega uma melodia triste e de partir o coração com sua voz fragilizada. Uma performance espetacular.

  • Globo de Ouro
  • SAG
  • BAFTA
  • Critics Choice Awards

Helen Hunt | As Sessões

hunt

Personagem: Sheryl

E quase consigo completar o especial, só me falta assistir As Sessões. Sobre a indicação de Helen Hunt, posso afirmar que é corajoso que a atriz participe de diversas cenas de nudez frontal e desempenhe um papel delicado como “terapeuta sexual” de um sujeito paralítico.

Jacki Weaver | O Lado Bom da Vida

weaver

Personagem: Dolores Solitano

Jacki Weaver certamente foi indicada apenas para que O Lado Bom da Vida garantisse indicações nas 4 categorias de atuação (algo que não acontecia a 31 anos, com ), já que sua personagem se destaca pouco no filme. A atriz faz um bom trabalho como a mãe carinhosa que está sempre lá para apoiar o filho (e até retirá-lo da instituição mental antes do planejado) e também a controlar as ações de seu marido. Weaver está eficiente, mas as ações da personagem falam mais alto do que a performance em si.

FICOU DE FORA: Judi Dench | 007 – Operação Skyfall

dench

Personagem: M

É certo que em 007 – Operação Skyfall quem rouba a cena entre os coadjuvantes é o vilão Silva de Javier Bardem. No entanto, é a primeira vez em que a personagem de Judi Dench tem mais a fazer do que simplesmente dar ordens, e sua relação com James Bond é muito mais explorada aqui. É o que torna a M de Skyfall uma curiosa figura materna, e Dench faz um ótimo trabalho. Sendo sua última participação na franquia, a veterana merecia ser lembrada.

APOSTA: Anne Hathaway

QUEM PODE VIRAR O JOGO: Se há uma certeza sobre este ano é a de que ninguém tirará o prêmio de Hathaway.

MEU VOTO: Anne Hathaway

Por hoje é só, mas amanhã sai o volume 2 (meu preferido, devo acrescentar) com as categorias técnicas. Até lá!

Atualização:

Volume II: Categorias Técnicas

Volume III: Sons & Músicas

Volume IV: Categorias Principais

Preview 2013 – Um guia para os lançamentos do ano

Posted in Preview with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 2 de janeiro de 2013 by Lucas Nascimento

preview

Os Maias estavam errados e o mundo não acabou! 2013 chegou e preparei aqui um guia sobre os grandes lançamentos do ano, apontando motivos para vê-los ou ignorá-los. A lista consta com cerca de 80 filmes, mas LEMBREM-SE: AS DATAS DE LANÇAMENTOS SEMPRE ESTÃO SUJEITAS A ALTERAÇÕES. Você sabe, aquela velha história e, nesse caso, atualizarei o post frequentemente.

Shall we begin?

JANEIRO

Jack Reacher – O Último Tiro

jack reacher

O que é: Adaptação do livro de Lee Child, acompanha um ex-policial durão e sem limites que larga suas férias para embarcar em uma perigosa missão. Típico filme de ação do começo do ano.

Porque assistir: Os trailers prometem Tom Cruise em ótima forma (afinal, ele sempre manda bem quando o gênero é pancadaria) e Jack Reacher marca a estreia do diretor Christopher McQuarrie, que vai assumir a quinta Missão: Impossível do cinema. Veremos se o sujeito é eficiente.

Desconfianças: Covenhamos, o filme não apresenta nenhum atrativo especial/inovador.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 11 de Janeiro

A Viagem

cloud_33

O que é: Adaptação do livro de David Mitchell, marca o retorno dos irmãos Lana (antes Larry) e Andy Wachowsky – responsáveis pela trilogia Matrix – em uma ficção científica que traz diversas histórias que vão e voltam no tempo, passando do século XIX até um futuro pós-apocalíptico. Tom Tykwer (de Corra, Lola, Corra) entra como co-diretor.

Porque assistir: Os Wachowski ainda estão devendo um novo sucesso depois de Matrix, e a solução pode estar na promissora trama de Cloud Atlas, que também reúne um elenco estelar que vai de Tom Hanks até Halle Berry. E o adiamento do filme só serviu para aumentar as expectativas…

Desconfianças: Vamos torcer para que o longa não se perca em toda sua grandiosidade e complexidade.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 11 de Janeiro

Django Livre

django_12

O que é: Faroeste “sulista” de Quentin Tarantino que segue o escravo recém-libertado Django (Jamie Foxx), que se une a um caçador de recompensas (Christoph Waltz) para resgatar sua esposa de um cruel fazendeiro (Leonardo DiCaprio).

Porque assistir: O novo filme de Tarantino. Um faroeste. Fuck Yeah.

Desconfianças: Bem, eu desconfiava que o diretor/roteirista não pudesse transportar seu estilo marcante para a Segunda Guerra Mundial em Bastardos Inglórios – e todos vimos o resultado. Acho que ele está bem seguro no western.

Estreia: 18 de Janeiro

Vontade de ver: 5/5

O Último Desafio

stand

O que é: Em uma cidadezinha próxima à fronteira do México, um xerife quase aposentado (será que é o último dia dele no trabalho?) precisa impedir que um traficante de drogas entre nos EUA.

Porque assistir: O retorno de Arnold Schwarzenegger ao cinema de ação, dessa vez como protagonista. Precisa ver.

Desconfianças: A história não é nada demais, mas não se pode esperar muita coisa de um filme assim né? E por favor, que o roteiro não mande o ator ficar repetindo “I’ll be back” de 5 em 5 minutos.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 18 de Janeiro

Don Jon’s Addiction

don jon

O que é: Estreia na direção de Joseph Gordon Levitt, que também protagoniza e assina o roteiro. A trama é descrita como uma espécie de “Don Juan Moderno”, onde o protagonista é um viciado em pornografia que tenta melhorar sua vida.

Porque assistir: Gordon Levitt é um excelente ator, e agora veremos se seu talento também se mantém por trás das câmeras.

Desconfianças: Ainda não tem um distribuidor (nem nos EUA), deve demorar ainda pra chegar no Brasil.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 18 de Janeiro (Festival de Sundance, EUA)

João e Maria: Caçadores de Bruxas

hansel-gretel_1

O que é: A onda de versões dark de contos de fadas continua com o épico que traz João e Maria crescidos, agora caçadores de bruxas e criaturas.

Porque assistir: A ideia é bacana, e a escalação de Jeremy Renner e Gemma Arterton como os protagonistas é inspirada, podendo render uma boa química entre os dois.

Desconfianças: Só espero que não seja um Van Helsing da vida…

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 25 de Janeiro

Lincoln

lincoln

O que é: Steven Spielberg comanda um longa sobre o ex-presidente norte-americano Abraham Lincoln (dessa vez sem vampiros nem elementos fantásticos) durante o período em que a Guerra Civil ia chegando ao fim.

Porque assistir: O elenco é de matar, com Daniel Day-Lewis assumindo o papel principal e Joseph Gordon-Levitt, Tommy Lee Jones, Sally Field, Jackie Earle Haley e mais uma coleção de astros na produção. Certamente vai abocanhar algumas estatuetas no Oscar deste ano…

Desconfianças: Sempre tenho um pé atrás quando o assunto é biopic (cinebiografia).

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 25 de Janeiro

O Mestre

master_01

O que é: Novo longa de Paul Thomas Anderson sobre um sujeito perturbado (Joaquin Phoenix) que se vê às voltas com um misterioso homem (Phillip Seymour Hoffman), e com o surgimento da Cientologia.

Porque assistir: Já podia parar no nome de Paul Thomas Anderson né?

Desconfianças: Eu só espero que o longa tenha um apelo universal, e não se restrinja às origens da Cientologia.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 25 de Janeiro

FEVEREIRO

Caça aos Gângsters

ganster squad

O que é: O diretor de Zumbilândia, Rubens Fleischer, traz um elenco interessante em um longa sobre a máfia dos anos 50. Na trama, um grupo secreto da polícia de Los Angeles é formado para derrubar o império criminoso de Mickey Cohen (Sean Penn), um gângster que tem metade da cidade em seus bolsos.

Porque assistir: Típico filme de máfia, se bem feito pode ser muito divertido. E o elenco ainda traz Sean Penn, Ryan Gosling, Josh Brolin e Emma Stone.

Desconfianças: Ainda existe alguma coisa de novo para ser adicionado ao gênero?

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 1 de Fevereiro

Meu Namorado é um Zumbi

WARM BODIES

O que é: Adaptação de um livro infanto-juvenil onde, em meio a um apocalipse zumbi, um dos mortos (Nicholas Hoult, o Fera de X-Men: Primeira Classe) se apaixona por uma sobrevivente (Teresa Palmer). Em meio a essa bizarra situação, o recém-descoberto sentimento pode servir para transformar a todos.

Porque assisti: Eu vou por pura curiosidade, ao menos o filme se assume como uma comédia…

Desconfianças: Zumbis como interesses românticos, mesmo? Como fazer isso funcionar de forma convincente?

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 1 de Fevereiro

Os Miseráveis

miserables_01

O que é: Nova adaptação do cultuado musical da broadway – que é baseada na clássica obra de Victor Hugo – e também o novo filme do diretor Tom Hooper (O Discurso do Rei). A história é ambientada durante o período da Revolução Francesa e traz como protagonista um homem comum (Hugh Jackman) que é injustamente visto como criminoso e deve agorar se redimir – ao passo em que foge das autoridades.

Porque assistir: Hooper acertou com sua inventiva abordagem histórica em seu longa anterior, sem falar que reuniu um elenco estelar para contar uma belíssima história.

Desconfianças: Ih. Musical, né?

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 1 de Fevereiro

O Lado Bom da Vida

slplaybook_01

O que é: A elogiadíssima “dramédia” de David O. Russell (de O Vencedor), que traz um homem (Bradley Cooper) que volta a morar com sua família e acaba por conhecer uma mulher excêntrica (Jennifer Lawrence).

Porque assistir: Sua presença no Oscar deste ano é garantida, e a trama parece ser daquelas em que o roteiro é excepcional. Isso sem falar no casal principal, que promete um desempenho memorável.

Desconfianças: Não sei se assistiria se não estivesse sendo cotado para o Oscar.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 8 de Fevereiro

Monstros S.A. 3D

Monsters INC.

O que é: Relançamento em 3D de uma das pérolas da Pixar, onde uma criança descobre uma corporação de Monstros cujo propósito é assustar a jovem população.

Porque assistir: Monstros S.A.é uma animação genial, e que forma melhor para nos aquecermos para o prelúdio que estreará alguns meses mais tarde?

Desconfianças: Não para mim.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 8 de Fevereiro

O Voo

voo

O que é: A volta de Robert Zemeckis ao cinema live-action (seu último filme do tipo foi Náufrago, em 2000), que foca em um piloto de avião (Denzel Washington) que consegue evitar uma tragédia em pleno voo, mas é investigado quando é revelado que este estava sob a influência de álcool e drogas durante o incidente.

Porque assistir: Zemeckis é um excelente diretor, Washington promete uma das melhores performances de sua  carreira, a trama é muito interessante… Merece ser visto, sem dúvida.

Desconfianças: É uma excelente premissa, mas veremos como ela será sustentada e desenvolvida em um longa de 2 horas.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 8 de Fevereiro

Para Maiores

movie43

O que é: Coleção de cerca de 43 curtas de comédia de humor negro e politicamente incorreto. Seu elenco inclui uma série de rostos conhecidos da indústria.

Porque assistir: De quase 43 curtas, é certeza de que pelo menos alguns irão nos fazer rir…

Desconfianças: … Mas é claro que alguns serão fracos.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 8 de Fevereiro

A Hora Mais Escura

zerodark30_06

O que é: Novo filme de Kathyrin Bigelow (a mesma que roubou o Oscar em 2010 com Guerra ao Terror) que vem colecionando prêmios e elogios calorosos em suas exibições. O filme acompanha a mulher por trás da operação que eliminou o terrorista Osama Bin Laden.

Porque assistir: Além de ser um tema polêmico e atual, Bigelow sabe comandar um thriller de guerra com eficiência, e você também vai querer ver aquele que pode ser o grande vencedor do Oscar 2013.

Desconfianças: Aí é meio pessoal, eu sinceramente quero ver se o filme é tudo isso mesmo.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 15 de Fevereiro

Duro de Matar: Um Bom Dia para Morrer

die5

O que é: Quinta aventura do policial John McLane, que agora se ambienta na Rússia e traz o filho do personagem como seu parceiro.

Porque assistir: É sempre interessante ver Bruce Willis no papel que faz melhor.

Desconfianças: Esse filme é realmente necessário? John McClane já não deu o que tinha que dar? E que ideia maluca é essa de inserir um filho para o personagem?

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 22 de Fevereiro

Indomável Sonhadora

beasts

O que é: Longa que estorou no Festival de Sundance do ano passado, conta a história de uma jovem que cuida de seu pai doente em uma região problemática. Inesperadamente, um grupo de animais extintos misteriosamente retorna à vida, alterando as vidas de todos os envolvidos.

Porque assistir: Pode, ou não, ser indicado ao Oscar. E foi elogiado nos EUA.

Desconfianças: Tem cara de ser apelativo, não me verão na primeira fila. E nem verei tão cedo se passar batido no Oscar.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 22 de Fevereiro

Inside Llewyn Davis

llewyn davis

O que é: O novo filme dos Irmãos Joel e Ethan Coen (agora sim, roteirizado e dirigido) sobre um artista da música folk que viaja pelos Estados Unidos dos anos 60.

Porque assistir: São os Coen, assisto até comercial de fraldas. O elenco também é ótimo.

Desconfianças: Ainda não foi divulgado nada sobre o filme; nem imagens, pôsteres ou trailers. Fica difícil saber o que esperar do filme…

Vontade de ver: 5/5

Estreia: A Ser definida

MARÇO

Hitchcock

hitchcock_04

O que é: Longa que dramatiza a vida de Alfred Hitchcock e sua esposa Alma durante as conturbadas gravações de seu mais famoso filme: Psicose. Estas foram marcadas por conflitos do diretor com o estúdio e os problemas que enfrentou para que o filme tornasse-se hoje o clássico inesquecível que é.

Porque assistir: Quem é fã do Psicose original certamente tem interesse em descobrir detalhes de sua produção (sejam eles dramatizados ou verídicos) e eu anseio para ver Anthony Hopkins na pele do Mestre do Suspense. E me chamem do que quiserem, mas a fotografia do filme é de Jeff Cronenweth (A Rede Social, Millennium) e quero ver seu trabalho.

Desconfianças: Só espero que o longa não peque como Sete Dias com Marilyn, onde se apoiou muito no humor (e no amadorismo) para narrar sua história.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 1 de Março

Bem-Vindo aos 40

this40

O que é: Novo filme dirigido e escrito por Judd Apatow, que serve como um spin-off de Ligeiramente Grávidos. Na trama, o casal Pete e Debbie devem lidar com as filhas e com a entrada na casa dos 40 anos, aliada à uma crise de meia idade.

Porque assistir: Judd Apatow tem um belo currículo de comédias, e será um prazer vê-lo de volta.

Desconfianças: Pete e Debbie não eram a coisa mais interessante de Ligeiramente Grávidos… E muito menos as filhas do casal (que Apatow fez questão de lhes dar grande destaque também em Tá Rindo do Quê?).

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 8 de Março

Oz – Mágico e Poderoso

oz

O que é: Novo filme de Sam Raimi, serve de prólogo para a famosa história do Mágico de Oz. Aqui, um fracassado mágico de circo (James Franco) acaba indo parar na exuberante terra de Oz, e lá encontra três bruxas (Mila Kunis, Michelle Williams e Rachel Weisz… Que azar, hein?) que acabaram por ajudá-lo a se tornar um mágico (e uma pessoa) melhor.

Porque assistir: Sam Raimi é um bom diretor e o visual do longa parece bonito.

Desconfianças: Eu sinceramente não me senti atraído pela história. Parece infantil demais.

Vontade de ver: 2/5

Estreia: 8 de Março

Anna Karenina

karenina

O que é: Nova adaptação do clássico de Leo Tolstoi, sobre uma paixão proibida e adúltera dentro da alta classe da nobreza russa.

Porque assistir: Joe Wright já mandou bem em duas adaptações de clássicos (Orgulho & Preconceito e Desejo & Reparação), e sua abordagem para o clássico da literatura russa parece mais estilística e moderna do que as anteriores.

Desconfianças: A personagem-título é das facetas mais complexas, e tenho medo que o overacting de Keira Knightley prejudique o resultado.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 15 de Março

Killer Joe – Matador de Aluguel

killerjoe

O que é: Adaptação de uma peça teatral, gira em torno de uma família disfuncional onde o irmão e o pai planejam o assassinato da mãe para herdar o dinheiro. Para isso, contratam o matador Joe Cooper (Matthew McCounaghey).

Porque assistir: Eu não sei vocês, mas estou MUITO curioso para saber qual é a daquela famosa “cena do frango”. Isso sem falar que o diretor é William Friedkin, o mesmo de O Exorcista.

Desconfianças: Não tenho nenhuma.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 15 de Março

Jack – O Matador de Gigantes

O que é: Bryan Singer dá vida nova à clássica história de João e o Pé de Feijão, mostrando um jovem fazendeiro que parte para uma terra de gigantes a fim de salvar uma princesa sequestrada.

Porque assistir: Singer é um bom diretor e sabe dar pulso a uma história e cenas de ação. Será interessante ver como ele trabalha com o 3-D.

Desconfianças: João e o Pé de Feijão? Sei lá, tem que mudar muita coisa na trama pra dar certo.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 22 de Março

G. I. Joe 2: Retaliação

O que é: Filme que continua o mediano A Origem de Cobra, promete um tom bem mais maduro e sério, além de uma ação mais crível. Dessa vez, a equipe precisa agir por conta própria quando o governo dos EUA é dominado pela organização Cobra, e inicia uma guerra ao quebrar um acordo mundial a respeito de ogivas nucleares.

Porque assistir: De fato, a mudança de tom é clara – assistindo ao trailer, mal da pra relacionar os dois filmes – e a presença de Bruce Willis e The Rock deve dar um gás ao filme, assim como os roteiristas Paul Wernick e Rhett Reese (dupla de Zumbilândia) por trás da trama.

Desconfianças: Eu não sei o que esperar de Jon Chu, que dirigiu Justin Bieber: Never say Never.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 29 de Março

A Hospedeira

host

O que é: Adaptação da obra homônima de Stephenie Meyer sobre um futuro em que a Terra é dominada por um inimigo invisível, e os invasores usam os corpos humanos como hospedeiros. Nesse cenário, uma jovem luta para manter controle de sua mente ao ser capturada por um desses hostis.

Porque assistir: A trama é interessante e traz Andrew Niccol na direção, um nome criativo que já teve ótimas ideias, mas que anda precisando de um grande projeto.

Desconfianças: Stephenie Meyer. Salvem-se!

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 29 de Março

ABRIL

A Morte do Demônio

evildead

O que é: Remake do festival trash de Sam Raimi, sobre um grupo de jovens que se hospeda em uma cabine abandonada e, lá, acabam por libertar forças demoníacas.

Porque assistir: Pelo trailer, percebe-se que todo o humor que fez o Evil Dead original tão divertido foi deixado de lado, e veremos aqui um longa que promete ser realmente assustador.

Desconfianças: Ainda que a promessa seja de um terror hardcore, foi justamente a comédia trash que fez do original um filme memorável.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 19 de Abril

Homem-de-Ferro 3

IRON MAN 3

O que é: Nova aventura de Tony Stark de Robert Downey Jr, que também segue os eventos de Os Vingadores. Aqui, o herói de armadura aprimora suas invenções com uma nova tecnologia e enfrenta seu arqui-inimigo: o terrorista Mandarim (Ben Kingsley).

Porque assistir: Dentre todos os Vingadores, Homem-de-Ferro é o mais interessante, e o carisma de Robert Downey Jr já é o suficiente para continuarmos com interesse no personagem. E outra, o Mandarim finalmente vai ganhar uma versão em carne em osso!

Desconfianças: Não são poucas, vamos torcer para: Que a Marvel não fique enchendo o longa de referências a outros personagens e foque em seu protagonista; que o filme não seja uma comédia narcisista e não-assumida como foi Homem-de-Ferro 2; que o novo diretor Shane Black esqueça aquela ideia horrorosa de dar uma armadura à Pepper Potts (Gwyneth Paltrow).

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 26 de Abril

MAIO

Segredos de Sangue

stoker

O que é: Primeiro filme norte-americano de Park Chan-wook (mesmo diretor do Oldboy original), mostra uma jovem (Mia Wasikowska) que lida com a morte repentina de seu pai. Tudo muda quando um misterioso tio (Matthew Goode) reaparece e promete reacender segredos obscuros da família.

Porque assistir: Vai ser interessante ver o que o cineasta sul-coreano faz com um suspense hollywoodiano. Isso sem falar que a trama parece ser o que Sombras da Noite de Tim Burton não foi. Só que sem os vampiros, acho.

Desconfianças: O roteiro é a estreia no cargo de Wentmorth Miller (o Michael de Prison Break), será que ele manja do assunto?

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 1 de Março

Em Transe

trance

O que é: Remake de Danny Boyle para um filme de TV onde um grupo de ladrões de obras de arte se alia a um hipnotizador, e a realidade e fantasia misturam-se.

Porque assistir: Ótima premissa. Ótimo diretor. Ótimo elenco. Pode dar errado?

Desconfianças: Hum…

Estreia: 3 de Maio

Vontade de ver: 4/5

Suor e Glória

pain-gain

O que é: Michael Bay deixa os robôs gigantes de lado e comanda uma trama em que halterofilistas (agora são homens gigantes) agem como criminosos.

Porque assistir: Machete que se cuide, temos aqui o candidato ao filme mais trash do ano… O trailer exibe todos os clichês típicos de Michael Bay, mas também parece muito engraçado (de ruim).

Desconfianças: É o Michael Bay, né.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 10 de Maio

Only God Forgives

only god forgives

O que é: O dinamarquês Nicolas Winding Refn e o ator Ryan Gosling repetem a bem-sucedida parceria de Drive em uma trama que envolve um policial aposentado em Bangcoc que busca vingança pela morte de seu irmão; tendo que enfrentar um criminoso conhecido como Anjo da Vingança.

Porque assistir: A trama não apresenta muitas novidades, mas parece o cenário perfeito para que Refn e Gosling repitam os elementos que fizeram de Drive um excelente (e estilístico) filme de ação.

Desconfianças: Até agora, nenhuma. Só me preocupo com a estreia; no ritmo das coisas, deve chegar no Brasil só em 2014…

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 23 de Maio (Dinamarca)

Velozes & Furiosos 6

fast6

O que é: Sexta entrada na franquia Velozes e Furiosos. Reúne boa parte do elenco do anterior, mas ainda não teve sua trama divulgada.

Porque assistir: Depois do eficiente Operação Rio, a franquia enfim parece ter encontrado seu lugar e tom, e parou de se levar a sério para fornecer competentes cenas de ação e um escapismo divertido. Se essas mesmas características se manterem aqui, assistirei sem medo.

Desconfianças: Mesmo tendo definido seu novo estilo, a franquia ainda carece de novas ideias.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 24 de Maio

Se Beber, Não Case! Parte III

h3

O que é: Terceira (e, aparentemente, última) aventura desmemorizada do “Bando de Lobos”. Sem um casamento ou despedida de solteiro como catalisador de trama, o grupo irá voltar à Las Vegas do primeiro filme e também vai parar em Tijuana no México.

Porque assistir: O grupo formado por Phil (Bradley Cooper), Alan (Zach Galifianakis) e Stu (Ed Helms) é um dos mais carismáticos a surgir nos últimos anos. E mesmo que seja uma incógnita a jornada dos três, iremos seguí-los.

Desconfianças: Mais um filme que definitivamente não precisava existir… Se for pra se prender à repetição e simplesmente copiar o original (como fez a Parte II), poupe-nos da decepção.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 31 de Maio

Terapia de Risco

sideeffects

O que é: Steven Soderbergh lança um thriller sobre a indústria da psicofarmologia e a ingestão de substâncias químicas, tendo em primeiro plano uma mulher (Rooney Mara) que aumenta as doses de um remédio para ansiedade quando seu marido (Channing Tatum) é solto da prisão.

Porque assistir: Soderbergh se reune com o roteirista  Scott Z. Burns, e ambos mandaram bem no alarmante Contágio em 2011. Vale a espera e ainda é protagonizado por Rooney Mara (a Lisbeth Salander do Millennium americano), uma atriz que merece atenção.

Desconfianças: Torçamos para que não seja tão didático, e combine a informação com o entretenimento como f ez Contágio.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 31 de Maio

JUNHO

Depois da Terra

AE

O que é: Nova tentativa de M. Night Shyamalan de não cair no esquecimento. Dessa vez, ele passa longe do roteiro e fica só na direção, em uma ficção científica que acompanha pai e filho (Will Smith e, oras, seu filho Jaden Smith) perdidos em um planeta Terra desolado e habitado por criaturas mortais.

Porque assistir: A química entre Smith pai e filho foi espetacular em À Procura da Felicidade, se repetir-se aqui, já vale o ingresso.

Desconfianças: Shyamalan encontra-se completamente perdido… E não sei se essa ficção científica (com uma premissa morna, visual mediano) vai retirá-lo do limbo.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 7 de Junho

Truque de Mestre

see me

O que é: Batizado pela revista Empire como “uma mistura de Onze Homens e um Segredo com Um Grande Truque“, a trama acompanha um grupo de ilusionistas que viaja pelo país assaltando bancos como parte de um ato, tendo o FBI em sua cola.

Porque assistir: A premissa e o elenco são muito interessantes.

Desconfianças: Filmes do tipo heist são daqueles cuja fórmula já está bem batida. Vamos torcer para que a introdução de ilusionismo traga novidades.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 7 de Junho (EUA)

Além da Escuridão – Star Trek

startrekdarkness_01

O que é: Continuação do excelente reboot de 2009, traz a tripulação da Enterprise enfrentando o misterioso vilão de Benedict Cumberbatch, que pode (ou não) ser o icônio Khan.

Porque assistir: Se você (como eu) adorou o filme de J.J. Abrams, não vai querer perder o que ele vai fazer agora; prometendo um longa mais sombrio e dinâmico, sem ter a preocupação de apresentar os personagens ao público e podendo lançar-lhes nas mais exremas situações.

Desconfianças: Minha ÚNICA preocupação é de que Abrams e seu diretor de fotografia abusem daqueles flares irritantes que de nada acrescentam à narrativa.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 14 de Junho

O Grande Gatsby

gatsby_03

O que é: Nova adaptação do romance de F. Scott Fitzgerald, que traz Leonardo Dicaprio no papel de Jay Gatsby, um milionário festeiro que apresenta uma nova realidade a um escritor vivido, por Tobey Maguire, e sua prima que ganha as facetas de Carey Mulligan. Baz Luhrmann comanda o longa em 3D.

Porque assistir: DiCaprio, Maguire e Mulligan prometem um trio bem carismático, e toda versão da impecável história de Fitzgerald merece ser vista.

Desconfianças: Será que o estilo exuberante de Baz Luhrmann é a coisa certa para uma obra sobre a Era do Jazz?

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 14 de Junho

Universidade Monstros

monsters-university

O que é: A Pixar enfim lança o prelúdio de Monstros S.A., que acompanha Mike e Sully na faculdade onde receberão treinamento para seus “serviços”.

Porque assistir: Monstros S.A. é genial, assim como a ideia desse novo filme. Parece a oportunidade da Pixar de sair do mediano (após Carros 2 Valente) e recuperar sua glória.

Desconfianças: Só torçamos para que o resultado não seja mais um caça-níquel…

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 21 de Junho

Guerra Mundial Z

z

O que é: Adaptação do livro de Max Brooks (o especialista em zumbis, autor do imperdível O Guia de Sobrevivência a Zumbis) que relata um futuro onde homens e mortos-vivos estão em guerra. Nesse cenário, um jornalista (Brad Pitt) sai relatando ataques ao redor do planeta.

Porque assistir: Se o espírito bem-humorado (e realista) do livro de Brooks for preservado, o resultado pode ser excelente.

Desconfianças: O filme passou por inúmeras refilmagens e adiamentos, o que significa que o longa não anda agradando o estúdio (e nem o astro Brad Pitt).

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 28 de Junho

Blue Jasmine

woody

O que é: Ainda sem sinopse divulgada (como é de costume com Woody Allen), o 44º filme do diretor se passará em Nova York (e talvez até outras cidades) e o elenco inclui Cate Blanchett, Alec Baldwin, Peter Sarsgaard e o comediante Louis C.K.

Porque assistir: Filmes do Woody Allen são sempre imperdíveis (independente de sua qualidade). Já virou tradicional ver o “filme anual de Allen”…

Desconfianças: Eu estava gostando muito do “tour europeu” de Woody Allen, não posso dizer que não estarei um tanto desanimado ao vê-lo retornando à cidade que serviu de cenário para inúmeros de seus projetos.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: Algum dia de Junho

JULHO

Muito Barulho por Nada

much ado

O que é: Versão moderna de Joss Whedon para a clássica história de William Shakespeare sobre dois amantes com diferentes visões para o amor.

Porque assistir: Whedon está com tudo após o sucesso esmagador de Os Vingadores. Vejamos como ele se sai em um filme agressivamente menor.

Desconfianças: Esta aí mais uma história que já ganhou inúmeras versões, e pergunto-me se valeria a pena vê-la mais uma vez.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 5 de Julho

O Cavaleiro Solitário

ranger

O que é: A Disney combina novamente Jerry Bruckheimer e o diretor Gore Verbinski para tentar lançar mais uma franquia de sucesso. Agora, eles apostam no xerife mascarado John Reid (Armie Hammer) e em seu escudeiro índio Tonto (Johnny Depp, que certamente vai roubar o filme).

Porque assistir: Verbinski e Depp acertaram com a franquia Piratas do Caribe, e os personagens aqui têm potencial para iniciar uma boa franquia.

Desconfianças: Mesmo parecendo interessante, sinto cheiro de fracasso.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 12 de Julho

O Homem de Aço

manofsteel_01

O que é: Novo filme do super-herói mais famoso de todos os tempos, que traz Zack Snyder na direção e Christopher Nolan na produção. A história não foi detalhada, mas deve ser (novamente) uma de origens, com Superman tentando encontrar seu lugar no mundo ao mesmo tempo em que o vilão Zod invade a Terra.

Porque assistir: A abordagem encontrada pelos realizadores parece ser muito mais dramática e sombria do que as adaptações prévias do personagem, e o herói realmente precisa de uma reinvenção moderna.

Desconfianças: Como fazer do Superman, um personagem colorido e fantástico, uma figura sombria e humana?

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 12 de Julho

Wolverine – Imortal

wolverine_01

O que é: Hugh Jackman retorna a seu papel mais famoso, em uma aventura que levará Wolverine até o Japão para tentar se livrar da culpa e tristeza após a morte de Jean Grey em X-Men: O Confronto Final. Em um país estrangeiro, ele enfrentará uma série de inimigos samurais.

Porque assistir: O personagem é bom demais e após o nojento X-Men Origens: Wolverine, ele parece ter encontrado um cenário decente que faça jus a seu potencial. Isso sem falar que Darren Aronofsky quase dirigiu o longa, chamando o roteiro de “espetacular”. Promissor…

Desconfianças: Sinceramente, não tenho. Estou sentindo coisa boa vindo por aí…

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 26 de Julho

AGOSTO

R.E.D. 2 – Aposentados e Mais Perigosos

red2

O que é: Continuação do filme de 2010, mostra os aposentados perigosos encarando uma nova missão. O elenco original retorna e Anthony Hopkins é a principal adição.

Porque assistir: O primeiro foi divertido e sua fórmula funcionou bem. Se for a mesma coisa aqui, vale a visita.

Desconfianças: Mesmo que o anterior tenha sido divertido, o que funcionou foi o elemento de surpresa. Aqui, ele certamente será perdido…

Vontade de ver: 2/5

Estreia: 3 de Agosto

Círculo de Fogo

pacificrim

O que é: Sci-fi futurista-apocalíptico de Guilermo Del Toro em que a Terra é atacada por monstros gigantes vindos do mar. Para combater a ameaça, os humanos se armam com robôs igualmente colossais.

Porque assistir: Del Toro é muito criativo, e ele anda devendo lançar… alguma coisa (seu último filme foi o ótimo Hellboy II – O Exército Dourado, em 2008).

Desconfianças: Alguém disse robôs gigantes? Por favor não vire um Transformers,por favor não vire um Transformers, por favor não vire um…

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 3 de Agosto

Elysium

elysium

O que é: O sulafricano Neil Blomkamp traz uma nova ficção científica de cunho político. Nela, encontramos um futuro onde a Terra está arruinada e superpopulosa e aqueles mais importantes habitam a estação espacial conhecida como Elysium. Nesse cenário, um sujeito chamado Max (Matt Damon) embarca em uma missão para promover a igualdade entre as civilizações.

Porque assistir: Depois do incrível Distrito 9, alguém duvida de que Blomkamp não seja um cineasta eficiente? Seu novo filme promete seguir os mesmos passos e ainda traz um belo elenco que inclui Wagner Moura como antagonista.

Desconfianças: Como é uma ideia original, há sempre o risco de ela ser recebida com controvérsias (ou não funcionar completamente).

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 16 de Agosto

Percy Jackson e o Mar de Monstros

percy2

O que é: A sequência (demorada, até) de Percy Jackson e o Ladrão de Raios, segundo livro da saga de Rick Jordan. Aqui, Percy e seus amigos precisam viajar pelo Mar dos Monstros para encontrar um artefato que garanta a sobrevivência do grupo.

Porque assistir: Os fãs da série vão assistir, com certeza.

Desconfianças: Detesto a primeira adaptação e não vejo motivos para ver este aqui.

Vontade de ver: 1/5

Estreia: 16 de Agosto

300: Rise of an Empire

xerxes

O que é: Visto tanto quanto prelúdio ou continuação, Rise of an Empire é a nova investida ao universo de batalhas espartanas de Frank Miller. Com base na graphic novel Xerxes, o longa deve focar-se no general persa de Rodrigo Santoro e também em uma batalha paralela à do filme original: a de Artemisia.

Porque assistir: 300 foi uma ótima adaptação de quadrinhos – especialmente por sua abordagem radical à um evento histórico – e será ótimo ver seu lindo visual novamente. Isso sem falar no retorno do Xerxes de Santoro, o elemento mais interessante do longa de Zack Snyder.

Desconfianças: A produção do longa se move muito devagar, e está nas mãos de um diretor pouco conhecido. A ausência de Zack Snyder no projeto pode fazer falta.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 23 de Agosto

Jurassic Park (3D)

jurassic park

O que é: Relançamento em 3D do Jurassic Park de Steven Spielberg. A trama (que todo mundo conhece, mas vale o lembrete) envolve um parque temático que conseguiu recriar geneticamente os extintos dinossauros, mas que se transforma em um caos quando perde o controle sobre os mesmos.

Porque assistir: Um dos filmes mais empolgantes de Spielberg na tela grande. Eu que não era nascido na época de lançamento sem dúvida irei conferir.

Desconfianças: Nenhuma!

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 30 de Agosto

Diana

diana

O que é: Biopic que acompanha o romance da falecida Princesa Diana com o médico Dr. Hasnat Kahn, que durou de 1995 até dias antes de sua morte, 2 anos depois.

Porque assistir: Vamos testemunhar Naomi Watts encarando o tipo de papel que pode revigorá-la – e ela já está há um tempo sem fazer algo marcante.

Desconfianças: Só minha habitual desavença com biopics.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 30 de Agosto

The Wolf of Wall Street

wolf

O que é: Martin Scorsese e Leonardo DiCaprio se unem pela 5a vez, agora para a cinebiografia de Jordan Belfort, um corretor da Bolsa de Nova York que é acusado de participar de esquemas ilegais em Wall Street e até conexões com a Máfia.

Porque assistir: Scorsese mandou bem no gênero infantil com Hugo, mas agora ele está no gênero que entende como ninguém e trouxe um elenco estupendo (liderado pelo sempre ótimo DiCaprio) para acompanhá-lo. Me chamem de exagerado, mas pode até ser o Bons Companheiros do século XXI. #Oscar2014

Desconfianças: Eu tenho aquela desavença irracional com biopics, mas confio na equipe.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 30 de Agosto (Suécia)

SETEMBRO

Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos

mortal instruments

O que é: O “Harry Potter-wanna-be” do ano, traz a promessa de uma nova franquia infanto-juvenil. A trama envolve uma jovem (Lily Collins) que descobre ter a habilidade de ver demônios e logo se junta a um grupo que visa combatê-los e destruí-los.

Porque assistir: Parece um tipo de universo mais sombrio e sobrenatural, talvez seja interessante.

Desconfianças: Mas ao mesmo tempo, parece um Supernatural com adolescentes.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 6 de Setembro

Riddick

riddick

O que é: Terceiro longa sobre o personagem Riddick (Vin Diesel), onde ele é traído e isolado em um planeta repleto de predadores (não as criaturas!) e mirado por inúmeros caçadores de recompensas. Nesse cenário, ele planeja uma vingança e a retomada de seu planeta natal.

Porque assistir: Nunca assisti aos filmes anteriores, logo não sei o que esperar. Só sei que a notícia de que a censura será R é animadora para os fãs do personagem.

Desconfianças: Mais uma vez, não sei o que esperar.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 6 de Setembro

O Maníaco

maniac

O que é: Longa inteiramente em 1a pessoa sobre um serial killer (Elijah Woos) que desenvolve uma perigosa obsessão por uma lojista de manequins.

Porque assistir: A estética visual é muito promissora, e há tempos que não viamos uma produção toda em POV. E que personagem mais interessante para se testar o recurso do que um assassino?

Desconfianças: Parece ser aquele tipo de filme em que a estética interessa mais do que a história.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 6 de Setembro

12 Anos de Escravidão

12 years a slave

O que é: Terceira parceria entre o diretor Steve McQueen e o ator Michael Fassbender (após Hunger e Shame) que envolve um homem negro que é sequestrado e vendido como escravo no sul dos EUA.

Porque assistir: Steve McQueen tem se mostrado como um dos mais talentosos diretores da atualidade, vejo tudo o que ele fizer. Além disso, ele é mais um que promete retratar o tema da escravidão nos EUA de forma nunca mostrada antes (depois de Tarantino e sua sátira com Django Livre).

Desconfianças: É a primeira vez que McQueen encara um longa de época, gênero muito difícil.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 6 de Setembro

This is the End

1170481 - The End Of The World

O que é: Comédia apocalíptica em que alguns dos grandes nomes da comédia atual americana interpretam a si mesmo, enquanto sobrevivem ao fim do mundo. A maior parte da trama se passa no abrigo de James Franco e deve trazer muitas participações especiais.

Porque assistir: A ideia é excelente e o trailer red band lançado no mês passado é hilário.

Desconfianças: Só vai der errado se a piada não sustentar todo o longa.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 6 de setembro

Kick-Ass 2

kick-ass2

O que é: A tão sonhada sequência (pelo menos para mim) de Kick-Ass: Quebrando Tudo. Agora acompanharemos o “vigilante” Kick-Ass se juntando a uma organização de mascarados conhecida como Justice Forever, ao mesmo tempo em que seu antigo rival Red Mist (agora, the Mother Fucker)  prepara uma sangrenta vingança.

Porque assistir: Quem leu os quadrinhos sabe que essa aventura é cheia de reviravoltas e pode funcionar muito bem na tela, ainda que seja grosseiramente violenta. E mais, Hit-Girl is back!

Desconfianças: A única ressalva que tenho é a ausência de Matthew Vaughn na direção, que foi substituído pelo diretor de Quebrando Regras

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 13 de Setembro

Sin City 2: A Dama Fatal

sin-city-a-dame-to-kill-for-poster

O que é: Finalmente! 8 anos depois e será lançada a  continuação de uma das melhores adaptações de quadrinhos da História. Assim como em A Cidade do Pecado, o novo filme vai trazer três histórias diferentes: uma delas é A Dama Fatal e as outras duas serão criações de Frank Miller exclusivas para o longa.

Porque assistir: Sin City! Quem não quer mais daquele visual arrebatador, a violência cartunesca e os personagens problemáticos (mas incríveis)? Estreie logo, por favor.

Desconfianças: Uma história boa pelo menos já é garantia, vamos torcer para que Frank Miller (que não anda em sua melhor fase) faça bonito com as outras duas.

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 20 de Setembro

A Ninfomaníaca

lars-von-trier-banner

O que é: Lars Von Trier ataca de cineasta pornô na história em 2 partes de uma mulher ninfomaníaca (Charlotte Rainsbourg), que conta a história de sua vida ao ser abrigada por um homem (Stellan Skarsgard).

Porque assistir: O diretor dinamarquês é um homem rodeado de polêmicas e controvérsias. E de todos os seus trabalhos, este promete ser seu mais ousado: conterá cenas de sexo reais e explícitas, envolvendo a protagonista, Shia LaBeouf e Uma Thurman.

Desconfianças: Esperamos que haja uma boa história por trás de tanta ousadia…

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 20 de Setembro

OUTUBRO

Machete Mata

machetekills

O que é: Robert Rodriguez cumpre a promessa do final de seu Machete e traz de volta o anti-herói mexicano (Danny Trejo) em uma trama para impedir um super-vilão (Mel Gibson) de dominar o mundo.

Porque assistir: Analisando todas as informações divulgadas até aqui, parece que vai ser ainda mais trash e divertido do que o anterior. Mel Gibson é um vilão samurai, Charlie Sheen é o presidente dos EUA, Lady Gaga estreia nos cinemas… Imperdível.

Desconfianças: Machete é aquele tipo de personagem que funciona surpreendemente bem uma vez, será que a magia se repetirá?

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 11 de Outubro

Oldboy

oldboy

O que é: Remake de Spike Lee do cultuado longa sul-coreano que adapta um famoso mangá. Na trama, um homem comum (Josh Brolin) é preso misteriosamente e depois libertado 15 anos depois, precisando descobrir os responsáveis por sua captura em 5 dias.

Porque assistir: Spike Lee é o diretor, e promete uma nova abordagem; além de ter selecionado um bom elenco.

Desconfianças: Oldboy não precisava ser refilmado, mas veremos no que dá.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 11 de Outubro (EUA)

The World’s End

worldsend

O que é: A terceira parte da trilogia “Sangue e Sorvete” de Edgar Wright e Simon Pegg, traz um grupo de amigos que segue por uma trajetória de bebedeiras em inúmeros bares da cidade, ao mesmo tempo em que uma fatalidade condena a Terra.

Porque assistir: Todo Mundo Quase Morto e Chumbo Grosso são duas das comédias mais geniais que já vi e, agora atacando o gênero de fim do mundo, a dupla promete surpreender novamente.

Desconfianças: Nenhuma, confio totalmente em Edgar Wright e Simon Pegg.

Vontade de ver: 5/5

Estreia:  25 de Outubro

Atividade Paranormal 5

pa5

O que é: Mais um filme de Atividade Paranormal… Sabe-se lá qual vai ser a trama agora.

Porque assistir: Se você é fã da série, não vai querer perder.

Desconfianças: Convenhamos, Atividade Paranormal é o novo Jogos Mortais, com continuações infinitas que já não oferecem mais lógica à outrora interessante narrativa.

Vontade de ver: 1/5

Estreia: 25 de Outubro

NOVEMBRO

Eu, Frankenstein

I-Frankenstein Movie

O que é: Em um universo estilizado, a  criatura do dr. Frankenstein encontra diversos outros monstros da literatura (como Drácula e Lobisomem) e testemunha uma guerra entre eles.

Porque assistir: O visual parece bem interessante, e Aaron Eckhart (o Harvey Dent de O Cavaleiro das Trevas) é uma escolha inusitada para dar vida ao monstro que dá nome ao filme.

Desconfianças: Ta me parecendo demais um novo Anjos da Noite. E isso, na minha opinião, não é bom.

Vontade de ver: 2/5

Estreia: 1 de Novembro

Carrie, A Estranha

carrie_02

O que é: Nova adaptação da marcante obra de Stephen King (que rendeu aquele filmaço dirigido por Brian de Palma, em 79), sobre uma menina que, ao passo em que descobre misteriosos poderes telecinéticos, é  infernizada por seus colegas de classe e sua mãe fundamentalista.

Porque assistir: A escalação de Chloe Grace Moretz é realmente promissora e o que rapidamente desperta interesse no projeto. Além disso, a versão de Kimberly Pierce promete explorar elementos da obra original que ficaram de fora das outras adaptações.

Desconfianças: Vai ser difícil sair da sombra do filme de Brian de Palma, e por mais que Moretz seja excelente, a Carrie de Sissy Spacek é a encarnação definitva da personagem.

Vontade de ve: 5/5

Estreia: 15 de Novembro

Área 51

area51

O que é: Nova brincadeira de Oren Peli, o mesmo do Atividade Paranormal original, que deve envolver as conspirações e mistérios sobre a suposta base militar que onde os EUA escondem segredos alienígenas.

Porque assistir: O tema da Área 51, fantasia ou fato, é dos mais intrigantes e precisamos de um longa eficiente sobre o mesmo.

Desconfianças: Mesmo que dono de boas ideias, Peli ainda não é um cineasta excepcional.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 15 de Novembro

Gravity

O que é: Depois de anos de desenvolvimento e planejamento, parece que finalmente vai sair a ficção científica 3D de Alfonso Cuarón. George Clooney e Sandra Bullock protagonizam como dois astronautas que, após a destruição de sua espaçonave, ficam à deriva no espaço, ligados um ao outro por um cabo. Guillermo Del Toro, produtor do longa, promete que o gênero nunca mais será o mesmo.

Porque assistir: Cuarón é um excelente diretor, e tem em mãos uma das premissas mais assombrosas dos últimos tempos. E em 3D.

Desconfianças: Nenhuma. Talvez a capacidade de atuação de Bullock, mas até ela já ganhou um Oscar…

Vontade de ver: 5/5

Estreia: 15 de Novembro

O Âncora 2 –  A Lenda Continua

anchorman22

O que é: Continuação de O Âncora – A Lenda de Ron Burgundy, comédia que abordava um grupo de jornalistas de um canal de telejornal. Ainda não foi divulgada a trama, mas o elenco do original retorna.

Porque assistir: O primeiro filme trazia personagens muito carismáticos e divertidos, certamente vamos querer revê-los.

Desconfianças: Sem uma trama divulgada, fica difícil saber o que esperar… Resta torcer para que os roteiristas tenham boas ideias.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 15 de Novembro

The Counselor

counselor

O que é: Novo filme de Ridley Scott, gira em torno de um advogado que acaba se envolvendo no tráfico de drogas.

Porque assistir: Scott promete um inteligente thriller e traz um ótimo elenco que inclui Brad Pitt, Michael Fassbender e Javier Bardem. E dessa vez, não tem efeitos visuais ou alienígenas para se preocupar.

Desconfianças: Já vimos esse tipo de história antes, vamos torcer por novidades.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 15 de Novembro (EUA)

Thor – O Mundo Sombrio

darkworld

O que é: Nova aventura do Deus do Trovão da Marvel nos cinemas, deve seguir os eventos de Os Vingadores ao mostrar o herói enfrentando novos inimigos e sua conturbada relação com o irmão Loki.

Porque assistir: Se a Marvel for brincar de soltar pistas para Os Vingadores 2, certamente deveremos que ver este para entender. Outra, o Loki de Tom Hiddleston sempre merece ser visto.

Desconfianças: Thor é um dos personagens mais difíceis de ser lidado, e o primeiro filme não foi lá essas coisas; exatamente por que se preocupou mais com o filme da super-equipe do que com o personagem-título. Vamos esperar que isso não se repita.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 22 de Novembro

Jogos Vorazes: Em Chamas

catchfire

O que é: Continuação do sucesso do ano passado, Em Chamas traz a jovem Katniss (Jennifer Lawrence) e Peeta (Josh Hutcherston) lidando com as consequências dos Jogos Vorazes anteriores, ao mesmo tempo em que uma rebelião popular parece estar se formando dentro de Panem.

Porque assistir: O primeiro filme foi ótimo e quem é fã da trilogia diz que as coisas só vão melhorar. Veremos.

Desconfianças: Infelizmente, o longa não conta com a direção de Gary Ross, que entendeu bem o espírito da trama e conseguiu adaptá-la adequadamente. Veremos o que Francis Lawrence consegue fazer.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 22 de Novembro

DEZEMBRO

Lovelace

lovelace

O que é: Biografia sobre Linda Lovelace, que encontrou sucesso como atriz pornô ao estrelar o “clássico” Garganta Profunda. O filme aborda a relação conturbada entre a jovem e seu marido desequilibrado (vivido por Peter Sarsgaard).

Porque assistir: Amanda Seyfried interpreta uma atriz pornô.

Desconfianças: Será que não vai ser uma daquelas histórias de superação, clichês, etc?

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 6 de Dezembro

O Jogo do Exterminador

endergame

O que é: Adaptação do livro homônimo sobre um futuro em que os comandantes militares treinam crianças para se tornarem soldados brutais. Nesse cenário, o jovem Ender Wiggin (Asa Butterfield, o Hugo Cabret) precisa receber o tal treinamento para enfrentar um inimigo alienígena.

Porque assistir: A premissa é interessante (nas mãos certas, daria pra ter um Nascido para Matar do futuro, hehe) e o elenco ainda conta com Butterfield, Harrison Ford e a ótima Hailee Steinfeld (Bravura Indômita).

Desconfianças: Só acho que a presença alienígena é desnecessária. Mas veremos como funcionará nas telas.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 13 de Dezembro

Last Vegas

Last-Vegas

O que é: Vendido como uma espécie de “Se Beber, Não Case para aposentados” traz um grupo de quatro amigos que vão para Lãs Vegas celebrar a despedida de solteiro de um deles.

Porque assistir: Morgan Freeman, Roberto DeNiro e Michael Douglas. Mesmo que seja uma porcaria, teremos um elenco carismático.

Desconfianças: Se não fosse o bom elenco, certamente passaria despercebido.

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 20 de Dezembro

Saving Mr. Banks

banks

O que é: Uma dramatização sobre o período de 14 anos em que Walt Disney (interpretado por Tom Hanks) tentou convencer a escritora Pamela Lyndon Travers (aqui, Emma Thompson) a adaptar seu livro “Mary Poppins” para o cinema. Caso esteja se perguntando quem é o “sr. Banks” do título, trata-se do banqueiro que é pai das crianças da história, e suas transformações como personagem.

Porque assistir: É sempre divertido acompanhar esse tipo de “drama sobre adaptação” e Tom Hanks promete uma performance arrasadora como Disney. #Oscar2014

Desconfianças: John Lee Hancock (Um Sonho Possível) é o diretor, tomara que ele não transforme o filme em um melodrama.

Vontade de ver: 3.5/5

Estreia: 20 de Dezembro (EUA)

O Hobbit: A Desolação de Smaug

hobbit2

O que é: Segunda parte da adaptação de Peter Jackson para o prólogo de O Senhor dos Anéis, de J.R.R. Tolkien. Creio eu, que a companhia de Gandalf e os 13 anões agora irão enfim confrontar o poderoso dragão Smaug e lutar para libertar a terra que este tomou para si.

Porque assistir: Já vimos a primeira parte, agora devemos ver como a história continua (e que aparência tem aquele maldito dragão).

Desconfianças: Eu achei Uma Jornada Inesperada uma experiência maçante onde pouquíssimas coisas relevantes acontecem. Tenho medo de que este alongue a história sem necessidade e renda mais um longa de três horas…

Vontade de ver: 3/5

Estreia: 20 de Dezembro

The Monuments Men

MonumentsMenBook

O que é: Novo filme com George Clooney na direção, é centrado em um grupo de sujeitos que roubam (e protegem) valiosas obras de arte durante a Segunda Guerra Mundial.

Porque assistir: Clooney é um ótimo diretor e, além de ter reunido um elenco excelente que inclui Daniel Craig, Matt Damon e Jean Dujardin, o filme traz uma premissa muito interessante. #Oscar2014

Desconfianças: Por enquanto, nenhuma.

Vontade de ver: 4/5

Estreia: 20 de Dezembro

Muitos lançamentos promissores, não? Fique ligado no blog para críticas e novidades!

7 finalistas para Maquiagem no Oscar 2013

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , on 15 de dezembro de 2012 by Lucas Nascimento

lincoln

A Academia divulgou hoje sete filmes finalistas para concorrer à categoria de Melhor Maquiagem no Oscar 2013. Dos sete, apenas três serão indicados. Confira (apostas em amarelo):

Branca de Neve e o Caçador

Hitchcock

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada

Lincoln

Looper: Assassinos do Futuro

MIB – Homens de Preto 3

Os Miseráveis

Os indicados ao Oscar serão divulgados em 10 de Janeiro.

Veja o primeiro trailer de HITCHCOCK

Posted in Trailers with tags , , , , , on 10 de outubro de 2012 by Lucas Nascimento

O filme sobre os bastidores de Psicose, clássico do mestre Alfred Hitchcock, acaba de ganhar seu primeiro trailer. Minha desconfiança quanto à maquiagem e o filme em si foram embora: parece ótimo. Confira abaixo:

Hitchcock estreia nos EUA em Novembro