Arquivo para Homem aranha

Tom Holland é o Homem-Aranha da Marvel Studios

Posted in Notícias with tags , , , , , , , on 23 de junho de 2015 by Lucas Nascimento

holl

Depois de meses e semanas de especulações, falsos boatos e muito drama, a Marvel Studios finalmente encontrou seu novo Homem-Aranha. Tom Holland (O Impossível) viverá Peter Parker e seu alter ego mascarado, aparecendo em Capitão América: Guerra Civil, em Maio do ano que vem.

Além disso, o estreante Jon Watts (Cop Car) foi escolhido para dirigir seu filme solo, que estreia em 28 de Julho de 2017.

Holland tem 19 anos e promete trazer de volta a fase colegial do personagem, como é o desejo do produtor Kevin Feige.

Vamos aguardar…

 

Conheça os 5 finalistas para o novo Homem-Aranha

Posted in Notícias with tags , , , , , , , , on 22 de abril de 2015 by Lucas Nascimento

4129277-5150674694-Spide

Nem parece que faz pouco tempo que, lá em meados de 2010, Andrew Garfield era anunciado como o novo Homem-Aranha nos cinemas. Agora, o novo intérprete que estrelará os filmes da Marvel Studios/Sony está novamente próximo de ser escolhido, tendo agora 5 finalistas:

Asa Butterfield (A Invenção de Hugo Cabret)

asa

Timothee Chalamet (Interestelar)

timothee

Tom Holland (O Impossível)

tom

Liam James (The Killing)

liam

Nat Wolff (Cidades de Papel)

wolff

Todos atores eficientes, e consideravelmente mais jovens do que Garfield e Tobey Maguire. A Marvel não deve demorar para anunciar o escolhido…

É esperado que o Aranha faça sua estreia em Capitão América 3: Guerra Civil, em Maio de 2016. O filme solo, a ser escrito e dirigido por Drew Goddard, será lançado em 2017.

Drew Goddard vai dirigir e escrever o novo HOMEM-ARANHA

Posted in Notícias with tags , , , , , , , on 2 de março de 2015 by Lucas Nascimento

drew-goddard

Não tivemos muitas novidades sobre o reboot que a Marvel Studios e a Sony irão fornecer para o Homem-Aranha.

Até agora.

O Latino Review informa que Drew Goddard (de O Segredo da Cabana) vai escrever e dirigir o novo filme solo do herói, que chegará às telas em 2017. Vale apontar que Goddard estava envolvido com Sexteto Sinistro, da Sony, que parece-me um projeto morto agora.

 

Sony e Marvel Studios vão dividir o HOMEM-ARANHA

Posted in Notícias with tags , , , , on 10 de fevereiro de 2015 by Lucas Nascimento

The Amazing Spider-Man 2 first trailer.png

Finalmente aconteceu. Depois de meses de rumores e emails vazados, finalmente houve uma confirmação oficial de que o Homem-Aranha será incorporado ao Universo Cinematográfico Marvel, ao mesmo tempo em que renderá filmes para a Sony.

O aracnídeo fará sua estreia no ano que vem, com Capitão América 3: Guerra Civil, e ganhará um filme-solo com a produção de Kevin Feige e Amy Pascal em Julho de 2017. Andrew Garfield e o diretor Marc Webb não foram confirmados, mas já se afirma que eles não voltarão.

Então é mais um reboot para o Homem-Aranha! Vamos aguardar por mais novidades, incluindo o anúncio do novo ator a intepretar Peter Parker…

Capitão América 3: Guerra Civil estreia em 6 de Maio de 2016.

Análise Blu-ray | O ESPETACULAR HOMEM-ARANHA 2: A AMEAÇA DE ELECTRO

Posted in Análise Blu-ray with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 3 de setembro de 2014 by Lucas Nascimento

bd

Uau, faz muito tempo que não apareço com um Análise Blu-ray por aqui… Pra tirar o atraso, resolvi falar sobre o último filme a adentrar minha coleção: O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro. Não só é o mais recente lançamento, mas também é um filme que ganhei num sorteio, e eu NUNCA ganho esse tipo de coisa. Por isso, a atenção. Vamos lá:

O Filme

3.5

10390_5_large

Bem, vocês que leem o blog sabem que achei o novo filme uma bela bagunça. Não acho que Marc Webb seja o diretor ideal para tocar a franquia, o ritmo e tom se misturam entre o cartunesco, com o Electro bobalhão de Jamie Foxx, e o drama, envolvendo a chatice da subtrama dos pais de Peter Parker ou a própria decisão de tornar o Aranha mais descolado, menos nerd. Mas mesmo assim, em meio ao caos é possível encontrar boas coisas: humor acertado, o elenco é carismático, a ação melhora em relação ao anterior e a tão esperada cena com Gwen Stacy cumpre as expectativas. No fim, é um bom filme, mas o personagem pode – e merece – um tratamento melhor. Crítica Completa.

Comentário em Áudio dos Realizadores

3.5

sp3

Sem a presença do diretor Marc Webb, a faixa solo de comentários em áudio (com legendas em português) traz os produtores Avi Arad e Matt Tolamch, e os roteiristas Alex Kurtzman e Jeff Pinkner (Roberto Orci também assina o roteiro, mas não está aqui). É interessante para aprender alguns detalhes sobre os bastidores de cenas mais difíceis ou até mesmo algumas que tenham ficado de fora. O problema, é que Arad é um sujeito orgulhoso e narcisista, insistindo em puxar o saco do filme e da equipe todo momento, como se fosse responsável pela realização de Lawrence da Arábia. Basicamente quer esquecer o bom trabalho que fez com Sam Raimi na trilogia original.

Cenas Excluídas e Estendidas

4.5

10390_21_large

Os fãs sedentos por mais vão adorar: 25 minutos de material inédito do filme (13 cenas no total), todo ele com comentário de Marc Webb. A cena mais polêmica envolve o encontro de Peter com seu pai, presumidamente morto, em um final alternativo que foi descartado. Pessoalmente, me chama mais atenção a longa cena que traz Harry apresentando Felicia (Felicity Jones, que tem um pouquinho mais destaque no material inédito) a Peter, já plantando um futuro envolvimento entre o Aranha e a Gata Negra. Temos também mais tomadas com os vilões, incluindo algumas não completadas do Duende Verde. Sem menção às cenas com Mary Jane que foram filmadas com Shailene Woodley, mas é um material sólido.

A Recompensa do Heroísmo: Produzindo O Espetacular Homem-Aranha 2

5.0

sp1

Documentário de 1h40 dividido em seis partes que mergulha no processo de criação, desenvolvimento e produção de O Espetacular Homem-Aranha 2 – também podemos chamá-lo de making of. É denso e bem detalhado, e particularmente me chamou a atenção a influência do ator e acrobata Buster Keaton para Webb e o instrutor de combate durante as cenas que ilustram as manobras do Aranha. O doc ainda fala sobre os rumos da história, os efeitos visuais, os vilões, a maciça construção de uma Times Square digital e em estúdio, a pós-produção e o futuro da saga, contando até com depoimentos em que Webb admite ter aprendido com diversos erros do filme anterior. Muito bom e informativo.

A música de O Espetacular Homem-Aranha 2 por Marc Webb

4.0

spo4

O extra anterior já dedica um bom tempo ao processo da trilha sonora do filme, mas esta ganha ainda mais um featurette, dessa vez enfocando aa decisões de Marc Webb. A trilha é assinada por Hans Zimmer, em conjunto com Pharrell Williams, Johnny Marr e outros, no conjunto batizado de The Magnificent Six. Ponto alto definitivo do departamento, é o tema de Electro (“My Enemy”) que tem o processo de criação mais detalhado.

Clipe Musical “It’s On Again” – Alicia Keys

3.5

sp2

Nada além do videoclipe para uma das músicas-tema do filme: “It’s On Again”, assinada por Alicia Keys. Gosto da música e da direção do clipe, que traz trechos do filme e diversas participações, incluindo Pharrell Williams e Hans Zimmer. Not bad.

Nota Geral: 4.0

O blu-ray simples de O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro está definitivamente acima da média, com muito mais material extra do que a maioria dos lançamentos do tipo. Se eu que não sou o maior admirador do filme e fiquei muito satisfeito, os fãs mais apaixonados vão adorar.

Preço: R$ 69,90

Só lembrando que também estão disponíveis versões em 3D e com DVD.

Universal vai criar um universo cinematográfico de Monstros

Posted in Notícias with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 17 de julho de 2014 by Lucas Nascimento

universal-monsters

A Marvel Studios começou em 2008 o seu próprio Universo Cinematográfico de super-heróis, começando com Homem de Ferro até chegar em Os Vingadores, e agora muitos outros. A DC Comics tentou com Lanterna Verde em 2011, mas fracassou, e depois conseguiu com O Homem de Aço uma forma de construir seu universo da Liga da Justiça. Até a Sony insiste em fazer um do Homem-Aranha, com o reboot Espetacular rendendo derivados de Venom e do Sexteto Sinistro.

Agora, é a vez da Universal. Mas se engana quem pensa que é a primeira vez, já que o estúdio fazia isso muito antes da Marvel engatinhar. Na década de 30, o estúdio prosperava com longas do Conde Drácula, Frakenstein, Lobisomem, Múmia, Homem-Invisível e até o Fantasma da Ópera, e muitas vezes ganhávamos crossovers entre eles (aliás, confira o sensacional box em blu-ray que o estúdio lançou).

Pois agora, com o sucesso da Marvel, o estúdio aposta em Chris Morgan (Velozes e Furiosos 3, 4, 5, 6 e 7) e Alex Kurtzman (Star Trek, O Espetacular Homem-Aranha 2) para dar vida nova aos icônicos monstros, começando com o reboot de A Múmia que acontecerá em 2016.

A questão é: como fazer funcionar? Qual a abordagem certa? Teríamos um tom dark e de terror ou uma reinvenção retardada como a vista em Frankenstein: Entre Anjos e Demônios? Eu torço para a primeira opção, não acho que a ação funciona com esse tipo de personagem.

Bom, se tudo der errado sempre teremos os filmes originais e mais temporadas de Penny Dreadful.

| O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro | No caminho para o genuíno espetáculo

Posted in Adaptações de Quadrinhos, Aventura, Cinema, Críticas de 2014 with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 2 de maio de 2014 by Lucas Nascimento

3.0

TheAmazingSpiderMan2

O Cabeça-de-Teia encara o azulado Electro de Jamie Foxx

Depois de uma trilogia bem sucedida e um reboot irregular, chegamos a este O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro, nova investida da Sony em seu personagem mais lucrativo. E devo dizer que, sendo continuação de uma reimaginação pouco inspirada, comandada por um cineasta incapaz de lidar com espetáculos e povoadas por três grandes vilões, o resultado poderia ser muito pior. Mas merecia muito mais.

A trama se passa algum tempo depois do primeiro filme, onde encontramos Peter Parker (Andrew Garfield) confiante e se divertindo com seu alter-ego de Homem-Aranha, ainda que constantemente assombrado pela promessa que fizera ao Capitão Stacy (Denis Leary, em rápidas aparições) de ficar longe de sua filha, Gwen (Emma Stone, que mulher). Ao mesmo tempo em que vai descobrindo mais pistas sobre seu passado, o herói é surpreendido pela chegada do antigo amigo, Harry Osborn (Dane DeHaan, excelente) e do vilão Electro (o sempre carismático Jamie Foxx).

Pelo breve sumário acima, já deu pra notar quantas linhas narrativas os roteiristas Roberto Orci, Alex Kurtzman (responsáveis pelo reboot de Star Trek, mas também por Transformers) e Jeff Pinkner optaram por construir sua trama. Como a mania dos grandes estúdios agora é construir grandes universos expandidos no cinema (graças ao sucesso esmagador do Universo Cinematográfico da Marvel Studios), não espere que todas essas linhas saiam resolvidas; pelo contrário, este novo filme já prepara terreno para um inevitável terceiro filme e até futuros personagens do universo do Cabeça-de-Teia, nem que isso signifique puxar o fio da tomada em plena ação a fim de guardar seu desfecho para futuros longas.

O que prejudica elementos importantes no desenrolar da história. A relação entre Peter e Harry, por exemplo,  é contada às pressas apenas para que o amigo do protagonista transforme-se em uma versão bizarra do Duende Verde, perdendo o impacto de um conflito entre dois amigos – algo muito melhor retratado, sem querer entrar muito no âmbito comparativo, na trilogia de Sam Raimi. E ainda que os três distintos vilões sejam bem distribuídos ao longo da narrativa, o roteiro do trio fracassa em garantir-lhes verossimilhança: Electro é um bobalhão ultra caricato que só deseja atenção, o Duende quer salvar sua vida (e para isso quer matar o Homem-Aranha, certo) e o Rino de Paul Giamatti é um mero capanga com uma das mais horrorosas armaduras já vistas em uma adaptação de quadrinhos (não que o original fosse muito melhor). Isso sem falar na subtrama dos pais de Parker e a Oscorp, que é enfiada no meio da projeção e fica lá por um bom tempo; fator que interrompe o ritmo excelente que a produção vinha tomando.

TheAmazingSpiderMan2
Mais ação para Gwen Stacy

Já o diretor Marc Webb, que não fazia ideia de como comandar uma sequência de ação no primeiro filme (apesar de continuar sendo um amador no uso de efeitos visuais e revelar-se tarado por câmera lenta), se sai consideravelmente melhor ao aumentar os riscos, os cenários e todo o feeling em tais momentos: a grandiosidade da cidade de Nova York é bem mais perceptível aqui. Ajuda também ter a presença épica de Hans Zimmer – junto com um grupo de artistas composto por Pharell Williams e Johnny Marr – na trilha sonora (aliás, que decisão genial conferir dubstep como o tema de um personagem cujo poder é a eletricidade) e um Homem-Aranha insanamente bem humorado.

O maior mérito da produção sem dúvida é o acertadíssimo humor do personagem, que surge sempre carismático e com piadinhas inspiradas na hora de frustrar criminosos armados em uma perseguição impressionante e ao sair pelas ruas assoviando seu próprio tema, favorecendo a ótima performance de Andrew Garfield. E, preservando aquele que foi o grande acerto do longa anterior, Webb dirige bem as cenas em que Garfield contracena com a maravilhosa Emma Stone, capturando novamente a radiante química do casal – e também levando-o para caminhos mais dramáticos.

No fim, O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro é uma experiência melhor e mais divertida do que seu antecessor, mas que ainda sofre de problemas similares em sua estrutura e direção; sendo mais um conjunto de ótimos momentos em meio a uma narrativa bagunçada.

Mas ainda tenho esperanças. O terceiro filme, livre de algumas complicações resolvidas aqui, promete ser VERDADEIRAMENTE espetacular.

Obs: O subtítulo “Ameaça de Electro” é completamente descartável, já que o vilão de Jamie Foxx não é o único (e nem o mais importante) na trama.

Obs II: Ouvi dizer que uma prévia de X-Men: Dias de um Futuro Esquecido seria exibida após os créditos, mas nada apareceu na minha sessão (no IMAX do Bourbon). No entanto, fui informado de que em outras sessões (especialmente Cinermak), a cena aparece.

| O Espetacular Homem-Aranha | O que surpreende é a humanidade, não o espetáculo

Posted in Adaptações de Quadrinhos, Aventura, Cinema, Críticas de 2012 with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on 7 de julho de 2012 by Lucas Nascimento

3.0


Casal 20: O Peter Parker de Andrew Garfield e a Gwen Stacy de Emma Stone são o que o filme tem de melhor

Sejamos honestos, é muito cedo para um reboot do Homem-Aranha. Divertida e bem executada, a trilogia iniciada por Sam Raimi em 2002 – e completada cinco anos depois – trouxe o melhor para o personagem e certamente aproveitou o material ao máximo, sendo um dos filmes definitivos para o gênero de super-heróis. Eis que desavenças criativas e ambições financeiras nos trazem a este O Espetacular Homem-Aranha, um recomeço “parecido, mas diferente”.

A trama nos leva de volta aos eventos do primeiro filme (sendo esta uma de suas principais falhas, já que leva a uma inevitável comparação com os filmes de Raimi), mas dessa vez acrescentando um mistério inédito no cinema até então: os pais de Peter Parker (Andrew Garfield), que o abandonam quando este ainda é uma criança. Obcecado em descobrir a verdade, Parker embarca em uma caçada que o leva até os laboratórios da Oscorp, onde se envolve em um programa de cruzamento genético de espécies, que dará origem aos seus poderes de Homem-Aranha e também ao monstruoso Lagarto (Rhys Ifans).

Não quero passar esta crítica comparando o Homem-Aranha de Sam Raimi com o Espetacular de Marc Webb (que até então, só trazia (500) Dias com Ela no currículo), já que mesmo que com tramas similares o tom de cada filme é completamente diferente; sendo este voltado à uma abordagem mais “realista” – o que de forma alguma o torna superior ao longa de 2002. Novamente, o roteiro assinado por James Vanderbilt, Alvin Sargent e Steve Kloves não vê problema em gastar uma considerável quantia de tempo ao recontar uma história que todos já conhecem (a sensação de “já vi isso, e melhor” aparece em diversos momentos, especialmente na artificial e fria cena em que um personagem querido morre), e ainda que traga elementos descartáveis (como o passado dos pais de Peter, nunca explicado com clareza), merecem créditos as mudanças feitas nos protagonistas.

Peter Parker surge aqui como um tipo de nerd muito diferente: anda de skate, escuta música, é bagunceiro e até meio revoltado. E realmente, capturou bem a aura do que é um jovem do século 21 (sem querer generalizar, óbvio) e a ótima performance de Andrew Garfield reforça com eficiência essa ideia; confesso que em muitos momentos (principalmente os de rebeldia e o nervosismo ao evitar explicações sobre seus constantes ferimentos), esse Parker me lembrou o Holden Caulfield do indispensável O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D. Salinger. Além de sustentar sozinho a responsabilidade do mais humano dos super-heróis (o que ele faz enquanto o vilão não aparece? Se distrai com joguinhos no celular, genial), o ator demonstra uma química incrível com a linda e carismática Emma Stone, intérprete de Gwen Stacy (não, a Mary Jane só vem depois!) e juntos rendem os melhores momentos do filme.

No quesito espetáculo, O Espetacular Homem-Aranha se sai bem burocrático. As cenas de ação (que trazem uso excessivo de efeitos visuais um tanto dissonantes) convencem mas não empolgam tanto quanto os diálogos entre Peter e Gwen. O diretor Marc Webb até estimula com algumas câmeras em primeira pessoa – que ficam ainda melhor com o bom uso de 3D da fita – e promete atingir o épico absoluto em uma sequência que traz o herói sendo auxiliado por guindastes enquanto se direciona para o confronto final (onde James Horner traz ecos de Titanic em suas composições musicais) mas decepciona ao trazer uma pancadaria mediana com o Lagarto.

O Espetacular Homem-Aranha não faz juz ao título, mas chega consideravelmente perto e garante entretenimento genuíno. O que surpreende mesmo é o cuidado com a humanidade de seus personagens, que chega a ser maior do que a de apresentar o Homem-Aranha como um super-herói popular e adorado. Uma sequência promete ser, realmente, espetacular.

Obs: Há uma cena adicional durante os créditos.

Primeira Olhada: O ESPETACULAR HOMEM-ARANHA

Posted in Primeira Olhada with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 24 de julho de 2011 by Lucas Nascimento

Quatro anos sem a presença do aracnídeo nas telas e finalmente ele retorna com reboot de Marc Webb, O Espetacular Homem-Aranha. Filmado em 3D, o primeiro trailer foi divulgado e o resultado é animador.


Andrew Garfield é o novo Peter Parker

A começar pelo protagonista, peça-chave para o sucesso do longa. Quem assume os grandes poderes e as grandes responsabilidades agora é o talentoso Andrew Garfield (A Rede Social, Não Me Abandone Jamais) que promete um Peter Parker diferente do apresentado por Tobey Maguire (que interpretou o personagem na trilogia de Sam Raimi). O jovem parece um tipo mais misterioso; não muito “bobão” e sim mais isolado – o que é muito interessante.


Emma Stone vira loira e troca Mary Jane Watson por Gwen Stacy

Sim a trama é a origem do herói, mas é possível notar algumas mudanças. Vemos Parker sendo mordido pela aranha que lhe garantirá poderes, mas não temos Mary Jane Watson e sim a loira Gwen Stacy (a ótima Emma Stone). Não há sinal do Duende Verde (aliás, nem do Harry Osborn) e sim do Lagarto (Ryhs Ifans), amigo de Peter que – em uma bizarra experiência – torna-se uma monstruosa criatura.


Pela primeira vez nas telas, o pai de Peter Parker

Mas a grande novidade é a presença dos pais do protagonista. Fica sugerido no trailer que o sr. e sra. Parker possuíam algum tipo de segredo – que acabou por resultar em Peter morando com os tios (Martin Sheen e Sally Field) – e este certamente terá um papel-chave na trama (ou quem sabe em uma sequência?).


Só de relance: o novo uniforme do Homem-Aranha

Bacana também o final do trailer, que mostra o Homem-Aranha correndo e saltando pelos prédios de Nova York; tudo em câmera de primeira pessoa e que deve ficar sensacional com o 3D estereoscópio. Só não deu pra ver direito o uniforme, mas ele parece mais caseiro (afinal, é confeccionado por um adolescente em seu quarto) e apresenta os clássicos lançadores de teia (caso não saiba, nos quadrinhos o herói raramente produziu teias de seu próprio corpo).

O filme promete. Tenho esperanças de que seja uma série tão boa quanto a de Sam Raimi, com Garfield está prometendo surpreender com sua nova versão do Cabeça-de-Teia. Aguardemos…

Trailer:

O Espetacular Homem-Aranha tem estreia prevista para 3 de Julho de 2012.

Além da Martelada do Trovão – Especial THOR

Posted in Especiais with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25 de abril de 2011 by Lucas Nascimento

Thor! O deus do trovão ganha seu primeiro grande filme nas telas do cinema, dando início à temporada de blockbusters e continuidade à saga dos Vingadores. Aproveitem o especial:

Bastidores de Thor
Os bastidores de Thor

Antes de chegar nas mãos do britânico Kenneth Branagh, o projeto de Thor passou por diversos estúdios e diretores, incluindo Sam Raimi (que dirigiu a trilogia Homem-Aranha) e Matthew Vaughn (que agora termina X-Men: Primeira Classe), mas em decorrência de problemas diversos – um deles sendo a dificuldade em transpor o projeto às telas -, a produção não andou pra frente.

Partindo do roteiro escrito por Ashley Miller e Don Payne, Branagh começou a pré-produção em 2009; escalando Chris Hemsworth como Thor e Tom Hiddleston – que fez teste para o papel principal – na pele de seu meio-irmão Loki. O resto do elenco foi contratado de forma comum, exceto pela polêmica racista contra o ator Iris Elba (que interpreta Heimdall); que foi atacado por um grupo que ofendeu-se com a variedade racial apresentada nos deuses de Asgard.


O diretor Kenneth Branagh na Comic-Con

As filmagens começaram no Novo México, em Janeiro de 2010; tendo uma pequena cidade construída especialmente para as gravações. Muitas explosões, cenários complicados e uma direção de arte promissora e as filmagens – com ponta de Stan Lee, claro –  terminaram.

Infelizmente, a vontade de faturar uma grana a mais surgiu na cabeça da Marvel Studios, fazendo com que Thor (e também o Capitão América) fossem submetidos à suspeitosa conversão para 3D… Quem já viu o filme garante que o efeito não estraga a projeção, mas que também não oferece profundidade alguma. Resumindo, deve ser o “2D com óculos”.

Thor carrega duas tarefas difíceis, que Homem-de-Ferro conseguiu cumprir exatamente 3 anos antes em sua estreia: fazer sucesso (o personagem não é dos mais populares na geração atual) e continuar o plano Vingadores.

Os deuses, humanos e criaturas que protagonizam o longa:

Thor | Chris Hemsworth

Deus do Trovão, Thor é um valente, porém arrogante, guerreiro de Asgard. Após perturbar as relações de paz com os Gigantes de Gelo, ele é banido por seu pai Odin para a Terra. Lá, sem poderes, recebe ajuda da cientista Jane Foster, que o ajudará a recuperar sua força a tempo de salvar seu reino de Loki.

Jane Foster | Natalie Portman

Interesse amoroso de Thor, Jane é uma cientista séria e dedicada, cujo foco é justamente na astrofísica. Ela e sua amiga Darcy o encontram logo após sua chegada na Terra, ajudando-o posteriormente a reencontrar seu poder e proteger o planeta do vindouro ataque de Loki.

Loki | Tom Hiddleston

Deus das Travsessuras e irmão adotivo de Thor (sua origem estaria ligada com os Gigantes de Gelo), Loki é um ser manipulador e invejoso. Com más intenções, assumi o trono de Asgard após o exilio de seu irmão,  enviando as forças mais poderosas de seu reino – incluindo o letal Destruidor – para destruí-lo na Terra.

Odin | Anthony Hopkins

Temperamental e esquentado, Odin governa Asgard há milhares de anos, estabelecendo uma complicada paz com os outros reinos. É o pai de Thor e Loki; Após o Deus do Trovão quebrar o acordo pacífico, Odin bane seu filho arrogante para a Terra onde espera que ele aprenda uma lição de humanidade.

Heimdall | Iris Elba

Guardião da Ponte de Arco-Íris, elo entre Asgard e a Terra, Heimdall é um poderoso guerreiro que ouve e observa os acontecimentos dos outros mundos, tornando-o perfeito na proteção dos reinos.

Criaturas

Jotuns, ou Gigantes de Gelo

Originados do gelado mundo de Jotunheim, os gigantes eram antigos inimigos dos Asgardianos. Liderados pelo rei Laufey, perderam inúmeras guerras para Odin e seus guerreiros, resultando em uma frágil trégua, que é quebrada por Thor em consequência de uma disputa por um artefato místico.

Destruidor

Grande armamento de Aasgard, é uma implácavel entidade de metal, sem remorso ou emoções. É guardião do cofre de Aasgard, que guarda relíquias e tesouros inestimáveis. Sua armadura é feita do mesmo material utilizado no martelo Mjolnir de Thor, e só presta serviços para seu rei.

Um guia turístico com as principais locações do filme:

Asgard

Legendária e mística cidade habitada por quem os vikings chamavam como deuses. É comandada por Odin e é lendária por seus impecáveis guerreiros.

Jotunheim

Sombrio planeta congelado onde habitam os Jotuns (ou Gigantes de Gelo), liderados pelo rei Laufey. A fonte de seu poder vem de um artefato místico, que tem a capacidade de englobar mundos em gelo e neve.

Ponte do Arco íris

Protegida pelo guerreiro Heimdall, a Ponte do Arco-íris (também chamada de Bifrost) é o elo entre os mundos, dando destaque para a Terra e Asgard, que será mostrada com mais destaque no filme.

Terra

A porção de Thor que se passa na Terra, toma lugar na cidade do Novo México, em uma pequena cidade, instalações da SHIELD e pelo deserto, prometendo um clima road-movie.

O ambicioso projeto que vai unir diversos super-heróis em um único filme continua…

Hugo Weaving em CAPITÃO AMÉRICA - O PRIMEIRO VINGADOR, de Joe Johnston
Hugo Weaving com o Cubo Cósmico, objeto mitológico de Thor, em cena de Capitão América

Bem, retomemos aquele assunto mais uma vez: A Marvel Studios começou com Homem-de-Ferro sua Iniciativa aos Vingadores, super-grupo que reúne alguns dos mais poderosos heróis da editora. Thor é o próximo elemento, e muito importante por dominar elementos mágicos e, correm os boatos, de que o deus Loki será a grande ameaça do filme dos Vingadores.

No próprio Thor, a SHIELD aparece novamente, assim como o Agente Coulson e Nick Fury (Samuel L. Jackson), além da presença de um novo personagem: o Gavião Arqueiro, interpretado por Jeremy Renner, que fará uma pequena participação no filme.

É evidente que o filme se passa depois dos eventos de Homem-de-Ferro 2, já que a cidade do Novo México é mencionada e o próprio martelo do vingador aparece nos créditos finais. Sobre sua ligação com Capitão América, foi revelado que um certo objeto conhecido como “Cubo Cósmico” – que faz parte da mitologia de Thor – vai estar no filme do herói bandeiroso, sendo alvo de cobiça do vilão nazista Caveira Vermelha.

Os Vingadores estreia em Julho de 2012 e ponho minhas fichas em Loki como vilão do filme. Mas claro, não conte apenas com ele…

O personagem original dos quadrinhos:

Criado por Stan Lee e Jack Kirby, com clara inspiração na mitologia nórdica, Thor apresenta características diferentes do filme. A razão pela qual o deus do trovão habita a Terra é quase a mesma: enfrentar experiências humanas após seus atos de arrogância desencadearem problemas e conflitos em Asgard. Sem memória e sem poderes, ele é mandado sob o alter ego de Donald Blake, um médico deficiente que logo percebe sua missão de protetor da Terra.

Poderes

Thor é um ser humano normal como eu e você, a fonte de seus poderes é seu martelo Mjolnir, que lhe oferece uma quantidade impressionante de poderes como:

  • Resistência à dor e agressões, incluindo regeneração e uma quase  invulnerabilidade
  • Viagem no Tempo
  • Velocidade e agilidade avançadas
  • Controle de trovões, chuva e elementos de tempestade
  • Habilidades de luta soberbas

Os poderes de Thor vêm de seu martelo. Aqui, alguns objetos que apresentam fonte de poder interessantíssimos:

Um Anel

Anel da trilogia O Senhor dos Aneis – e dos vindouros filmes de O Hobbit -, oferece a quem o usa o poder de dominação total, mas também uma terrível apegação a ele, resultando em monstruosas transformações

A Arca da Aliança

Objeto de cobiça dos nazistas em Os Caçadores da Arca Perdida, o misterioso artefato guardava as tábuas dos dez mandamentos de Moisés e também um poder divino invencível. No clímax do primeiro filme de Indiana Jones, seu poder é testado em uma arrepiante sequência.

Capacete do Magneto

Usado por Magneto nos filmes X-Men, o capacete protege seus pensamentos de seus inimigos, além de permanecer oculto na localização de mutantes conhecida como Cérebro, de seu antigo amigo Charles Xavier. Me pergunto se o capacete atrapalharia os extratores de A Origem…

O Baú de Davy Jones

O baú guarda o coração pulsante do pirata Davy Jones, colecionador de almas e responsável pela “passagem” entre uma vida e outra, tendo como armas a lula mitológica Kraken e uma alucinante prisão no fim do mundo. Quem domina o coração, domina o pirata…

Bem, o especial vai ficando por aqui, mas aguarde pela crítica de Thor, que deve sair na Sexta-Feira ou no Sábado. Até!