Arquivo para jackie earle haley

Análise Blu-ray: A HORA DO PESADELO

Posted in Análise Blu-ray with tags , , , , , , , , , , , on 14 de maio de 2011 by Lucas Nascimento

 

O Filme

O remake de A Hora do Pesadelo é um filme ruim. Mas é um filme ruim que eu misteriosamente gostei e achei-o habitualmente divertido e cativante, principalmente pela performance de Jackie Earle Haley. É incomparável ao original, mas ainda acho que seja uma tentativa decente de reapresentar Freddy Krueger. Crítica

Maniacal Movie Mode

É, você já conhece o tradicional modo de filme especial da Warner, então não preciso ficar me repetindo… Bem, os pontos de foco estão voltados, basicamente, para cada elemento de Freddy Krueger; a luva, o chapéu, o suéter (ou pûlover, como preferir) e a complicada maquiagem. Bem feito e rápido, mas não foca-se em cenas específicas.

Freddy Krueger Reborn

De longe o melhor extra do blu-ray, apresenta um mini-documentário sobre o personagem Freddy Krueger, e seu processo de desenvolvimento no remake, as mudanças enfrentadas e muito sobre a performance de Jackie Earle Haley. Curiosidade: aqui aparecem diversas cenas de bastidores que não estão no filme (em uma delas, Freddy vestido de monge).

Additional Footage

Bem capenga, apresenta três cenas inéditas, dentre elas um (interessante) começo alternativo e um bizarro novo final, que dá mais força à personagem de Rooney Mara. Muitas outras cenas provavelmente foram cortadas, me pergunto porque a Warner não as liberou no blu-ray.

Nota Geral:

É um blu-ray com poucos extras, mas apresenta o filme em uma boa definição de imagem e som. Para os (poucos) que gostaram do filme está de bom tamanho.

Preço: 49,90

Próximo da Fila: Tim Burton (I)

Posted in Próximo da Fila with tags , , , , , , , on 3 de abril de 2011 by Lucas Nascimento

Depois do sucesso (de bilheteria, claro) de Alice no País das Maravilhas, Tim Burton entra na onda de vampiros na adaptação da série de tv sessentista Sombras da Noite (Dark Shadows, no original), sobre as desventuras de um vampiro e suas relações com vampiros, lobisomens e bruxas; gótico o suficiente para o diretor.


Mais uma vampira para Chloe Moretz

No elenco, obviamente temos Johnny Depp; ele interpreta o vampiro protagonista. Ainda em pré-produção, conta também com Jackie Earle Haley, Chloe Moretz (já em seu segundo papel de vampira), Eva Green, Michelle Pfiefer e Michael Sheen, que atualmente está em negociações.

Uma coisa é certa, com um elenco tão bom e uma temática gótica tentadora, Burton vai se esbaldar e eu não vejo a hora.

Dark Shadows estreia em 2012.

| A Hora do Pesadelo | Remake decente e fiel ao original

Posted in Cinema, Críticas de 2010, Terror with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 8 de maio de 2010 by Lucas Nascimento

3.5

  Novo Pesadelo: Jackie Earle Haley é o novo Freddy Krueger

Hollywood está ficando sem ideias, então é muito comum ver toneladas de remakes, reboots, etc… A maioria de qualidade fraca e que dependem muito do original para funcionar. O novo A Hora do Pesadelo não só é perfeitamente eficiente como um filme para os desconhecidos com a série, como também presta uma homenagem respeitável ao original de Wes Craven.

Na trama, um grupo de adolescentes da Rua Elm começa a ter pesadelos com um homem de rosto queimado e uma luva de garras metálicas, chamado Freddy Krueger. Morrendo nos sonhos, eles morrem na vida e real e devem descobrir quem é o sujeito e como fazê-lo parar.

Reiventar um grande ícone do terror parece uma tarefa impossível e arriscada, principalmente se você troca o ator que o imortalizou. Mas o diretor estreante Samuel Bayer encara o desafio e não só presta uma homenagem decente ao original, como cria novos elementos (o passado de Krueger é mostrado de maneira madura e sinistra) e mostra que tem boa mão para a direção visual e de elenco (a cena em que Nancy caminha descalça na neve é bela). A história é bem contada e desenvolvida de maneira crível (apesar de alguns furos) e misteriosa.

Jackie Earle Haley constrói o seu próprio Freddy Krueger sem precisar de influências ou elementos de Robert Englund. Seu maníaco é mais humano, crível, sério (nem tanto) e tem seu passado mais esclarecido; e o ator o encarna com perfeição, conseguindo, veja só, causar medo (seu visual remete a queimaduras mais realistas). O elenco adolescente não é ruim como a maioria dos filmes de terror (como Premonição e Sexta-Feira 13). Rooney Mara e Kylle Galner estão ótimos em seus papeis, além de terem boa química em cena. O mesmo não pode ser aplicado a Katie Cassidy e Thomas Dekker, que são forçados e inexpressivos.

O principal erro do filme é provavelmete a falta de originalidade na construção dos pesadelos. Os poderes e habilidades de Freddy poderiam ser mais explorados, como na sinistra cena onde o chão da casa de Nancy transforma-se em sangue. O longa precisava de mais cenas assim, mas o objetivo foi alcançar um assassino mais realista. No entanto, quando os personagens começam a sonhar acordados, a montagem e a edição de som são caprichadas.

A Hora do Pesadelo é um remake decente, sangrento e fiel ao original, seja em visual ou desenvolvimento de história. O Freddy Krueger de Jackie Earle Haley é sinistro e quase tão interessante quanto o de Robert Englund. Vale muito a pena conferir e prepare-se para muitos sustos.

Não caia no sono! – Especial A HORA DO PESADELO

Posted in Especiais with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 5 de maio de 2010 by Lucas Nascimento

Ansioso como eu para a estreia do remake de A Hora do Pesadelo? Então você vai adorar este novo especial. Continue lendo e… Não caia no sono!

O Clássico

                                                   Robert Englund como o Freddy original

O primeiro filme de A Hora do Pesadelo foi lançado em 1984, dirigido pelo genial Wes Craven. O filme grotesco e bem trash, é hoje visto como um clássico e o assassino Freddy Krueger tornou-se um dos mais memoráveis personagens do cinema. Gerou uma série de continuações que, apesar de divertidas, não chegaram aos pés do original. Robert Englund ficou imortalizado como o personagem, interpretando-o nos sete filmes da série, incluindo um confronto com Jason Voorhees.

Origem do Personagem

Wes Craven relatou algumas vezes, as principais inspirações para a criação do personagem: Quando estava na escola, foi perseguido por um valentão chamado Fred, levou um susto de um mendigo usando um suéter listrado e ficava fascinado com seu gato arranhado a parede. Além disso, ele buscou inspiração em uma reportagem de jornal que mostrava pessoas que tinham pesadelos tão intensos que o ritmo cardíaco aumentava até a morte delas. Agora se os pesadelos eram com um homem de luva de garras…

O Remake

Depois de dar um novo ar ao assassino Jason Vorhees de Sexta-Feira 13,a Platinum Dines resolveu fazer o mesmo com Freddy Krueger. O escolhido foi Jackie Earle Haley, que não só foi aprovado por Robert Englund, como também tem o físico e as feições mais próximas que o personagem exige.

 Dirigido por Samuel Bayer e produzido por Michael Bay (se o filme der errado já temos em quem por a culpa), o filme promete ser muito mais sombrio e sério do que a franquia original, eliminando o lado cômico de Freddy e expandindo seu universo um pouco mais, lidando com a questão se o assassino era ou não, um pedófilo.

Personagens

Freddy Krueger (Jackie Earle Haley)

Acusado de pedofilia, Freddy Krueger foi caçado e morto pelos pais das crianças acusadas. Incinerado, Krueger retornou como um espírito, atacando adolescentes em seus sonhos e, matando-as na vida real. Rosto queimado, chapéu fedora, suéter listrado e a luva de garras que não podia faltar, o assassino tem a capacidade de fazer o que quiser nos sonhos: mudar seu tamanho, manipular cenários… Tudo.

 

Nancy Holbrook (Rooney Mara)

Personagem do original de 1984, a adolescente Nancy é, de longe, a protagonista do longa e principal oponente de Freddy neste filme. Ela e seus amigos procurarão uma forma de impedir o assassino dos sonhos de parar com seus crimes. Nancy conhecia Freddy desde criança, sendo provavelmente sua primeira vítima, mas não se lembra dele. Ela trabalha como garçonete em um café-restaurante.

 

 

Quentin O’Grady (Kyle Gallner)

Quando passa a ter sonhos com Freddy, o jovem Quentin passa a pesquisar sobre o assassino e maneiras para ficar acordado. Ele acha que todos devem se unir e encontrar uma solução. Tem uma queda por Nancy.

 

 

 

 

Dean Russell (Kellan Lutz)

 Namorado de Kris Fowles, Dean é o primeiro que começa a sofrer os pesadelos de Freddy Krueger, tentando alertar seus amigos sobre o perigo de cair no sono. Infelizmente ele é morto pelo serial killer antes de dar mais explicações.

 

 

 

Jesse Braun (Thomas Dekker)

Jesse é o cara mais confiante e determinado do grupo. Dá a iniciativa para que todos parem de dormir, mas é preso quando Kris é assassinada por Freddy e ele é confundido com o maníaco, indo parar na prisão.

 

 

 

 

Kris Fowles (Katie Cassidy)

 Tenho quase certeza de que Kris é “a amiga gostosa que morre rápido”. Ela é uma das primeiras vítimas de Freddy (como o trailer deixa bem claro) e, antes de morrer, tem o papel de protagonista. Ela segue uma das garotinhas sinistras que pulam corda em um de seus sonhos, procurando encontrar pistas sobre o maníaco.

 

 

 As 5 melhores mortes de Freddy Krueger

Já que o novo filme vai ser bem sério, não teremos cenas de pesadelos malucas e divertidas como a da série original. Acompanhem comigo as 5 melhores mortes causadas por Freddy Krueger, de acordo com minha opinião pessoal. Atenção, alguns clipes podem possuir cenas fortes.

5- Duelo nos quadrinhos

É evidente que Freddy Krueger tenha perdido seu elemento de terror, transformando-se em um verdadeiro palhaço. Prova disso? Confira a cena de A Hora do Pesadelo 5 – O maior horror de Freddy, onde o assassino persegue um adolescente em uma hq(!), de skate(!!) e a vítima transforma-se em um super-herói (!!!) e Freddy em um super-vilão(!!!!).

4-  Engolido na cama

Haja galões de sangue falso… Em uma cena do primeiro filme da série, Johnny Depp tira um cochilo em sua cama, sendo puxado por Freddy para dentro dela. O resultado? Confira abaixo, em uma cena que ainda dá calafrios:

3- Moto transformista

Cena muito interessante, onde um dos protagonistas tenta fugir em uma moto, mas tem uma grande surpresa… O veículo transforma-se em Freddy, que começa a se fundir com o adolescente. Para a época, foi um efeito muito bem produzido.

2- Perseguição de Tina

Mais uma do primeiro filme, é sem dúvida uma clássica cena; quando vemos Freddy pela primeira vez, damos uma boa olhada em sua cara e vemos o que ele pode fazer. Sempre dou risada quando ele sai de trás da árvore.

1- A Marionente

Número um! Minha morte preferida vem do terceiro filme da série, e mostra Freddy fazendo de um adolescente uma marionente. É uma cena bem arrepiante, bem pensada e o stop-motion de Krueger é sensacional.

Vídeo comemorativo

Para aproveitar o lançamento do filme, confiram abaixo um vídeo que editei, com a colaboração do meu amigo Mecca Esportes, com cenas do novo filme e a sinistra música Requiem for a Dream. Aproveitem:

Bom, o especial vai ficando por aqui, espero que tenham gosta e entrem no fim de semana para conferir a crítica. Antes de ir, quero todo mundo em coral cantando a sinistra música de Freddy:

One, Two, Freddy’s comming for you

Three, four, better lock your door

Five, six, grab a crucifix

Seven and eight, gonna stay up late

Nine, ten, never sleep again