Arquivo para mad max

AMERICAN SOCIETY OF CINEMATOGRAPHERS 2016: Os indicados

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , on 6 de janeiro de 2016 by Lucas Nascimento

revenant_04

Os cinco melhores trabalhos de direção de fotografia escolhidos pela ASC!

Carol | Ed Lachman

Mad Max: Estrada da Fúria | John Seale

Ponte dos Espiões | Janusz Kaminski

O Regresso | Emmanuel Lubezki

Sicario: Terra de Ninguém | Roger Deakins

O vencedor será anunciado em 14 de Fevereiro.

Anúncios

PRODUCERS GUILD AWARDS 2016: Os indicados

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 5 de janeiro de 2016 by Lucas Nascimento

PGA2011

E saiu a lista do PGA 2016! Confira:

FILME

Brooklyn

Ex Machina: Instinto Artificial

A Grande Aposta

Mad Max: Estrada da Fúria

Perdido em Marte

Ponte dos Espiões

O Regresso

Sicario: Terra de Ninguém

Spotlight: Segredos Revelados

Straight Outta Compton – A História do N.W.A.

ANIMAÇÃO

Anomalisa 

O Bom Dinossauro 

Divertida Mente

Minions

Snoopy & Charlie Brown – Peanuts, o Filme

Os vencedores serão anunciados em 23 de Janeiro.

ART DIRECTORS GUILD 2016: Os indicados

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , on 5 de janeiro de 2016 by Lucas Nascimento

bridgespies_01

FILME DE ÉPOCA

A Colina Escarlate | Thomas E. Sanders

A Garota Dinamarquesa | Eve Stewart

Ponte dos Espiões | Adam Stockhausen

O Regresso | Jack Fisk

Trumbo – Lista Negra | Mark Ricker

FILME DE FANTASIA

Cinderela | Dante Ferretti

Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros | Ed Verreaux

Mad Max: Estrada da Fúria | Colin Gibson

Star Wars: O Despertar da Força | Rick Carter e Darren Gilford

Tomorrowland: Um Lugar onde nada é Impossível | Scott Chambliss

FILME CONTEMPORÂNEO

007 Contra Spectre | Dennis Gassner

Ex Machina: Instinto Artificial | Mark Digby

Joy: O Nome do Sucesso | Judy Becker

Perdido em Marte | Arthur Max

Sicario: Terra de Ninguém | Patrice Vermette

Os vencedores serão anunciados em 31 de Janeiro.

ACE EDDIE AWARDS 2016: Os indicados

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , on 4 de janeiro de 2016 by Lucas Nascimento

furyroad_15

Saíram os indicados ao American Cinema Editors!

MELHOR MONTAGEM – FILME DE DRAMA

Mad Max: Estrada da Fúria | Margaret Sixel

Perdido em Marte | Pietro Scalia

O Regresso | Stephen Mirrione

Sicario: Terra de Ninguém | Joe Walker

Star Wars: O Despertar da Força | Maryann Brandon & Mary Jo Markey

MELHOR MONTAGEM – FILME DE COMÉDIA OU MUSICAL

Descompensada | William Kerr, Peck Prior e Paul Zucker

Eu, Você e a Garota que vai Morrer | David Trachtenberg

A Grande Aposta | Hank Corwin

Homem-Formiga | Dan Lebental & Colby Parker  Jr

Joy: O Nome do Sucesso | Alan Baumgarten, Jay Cassidy, Tom Cross e Christopher Tellefsen

MELHOR MONTAGEM EM ANIMAÇÃO

Anomalisa | Garret Elkins

O Bom Dinossauro | Stephen Schaffer

Divertida Mente | Kevin Nolting

MELHOR MONTAGEM EM DOCUMENTÁRIO

Amy | Chris King

Cobain: Montage of Heck | Joe Beshenkovsky & Brett Morgen

Going Clear: Scientology and the Prison of Belief | Andy Grieve

Malala | Greg Finton, Brian Johnson & Brad Fuller

The Wrecking Crew | Claire Scanlon

2015: Os Melhores dos Melhores

Posted in Melhores do Ano with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 21 de dezembro de 2015 by Lucas Nascimento

2015_melhored

Chegou aquela hora do ano novamente… Junte-se a mim enquanto escolho os melhores filmes de 2015, mas atenção aos critérios abaixo:

  • A lista contém apenas filmes lançados no Brasil COMERCIALMENTE (logo, filmes de 2014 que chegaram este ano nos cinemas ou home video marcam presença aqui) e alguns lançamentos estrangeiros ficaram de fora (como Os Oito Odiados, Creed, A Grande Aposta, entre muitos outros).
  • Se  não concordar com minha opinião (e isso certamente vai acontecer), fique à vontade para comentar e apresentar sua própria seleção, mas seja educado, porque comentários grosseiros serão reprovados.

10. Perdido em Marte

4.0

n101

Perdido em Marte é um filme que surpreende pelo otimismo e o bom humor, e que deve despertar o interesse de muitos em exploração espacial. Ridley Scott pode errar bastante, mas compensa esperar por um projeto certeiro como este.

9. Star Wars: O Despertar da Força

4.0

n10

Star Wars: O Despertar da Força é um eficiente retorno à forma para a saga espacial que fez (e faz) parte da vida de uma gigantesca legião de fãs. Pode sim se apegar demais à nostalgia, mas é uma continuação digna que ainda oferece um caminho promissor para o futuro. A Força é forte nessa nova franquia.

8. Ex Machina: Instinto Artificial

4.5

n8

Ex Machina: Instinto Artificial é uma inteligente e questionadora ficção científica, capaz de iniciar um instigante debate sobre a evolução da inteligência artificial e sua relação com o Homem. Um baita começo para Alex Garland, que desde já mostra-se uma aposta promissora.

7. Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

4.5

n7

Birdman é uma obra inteligente e repleta de comentários ácidos sobre a indústria de Hollywood e os bastidores do mundo do teatro, explorando um impecável elenco numa narrativa guiada por uma visão de mestre de Alejandro G. Iñarrítu.

6. Ponte dos Espiões

4.5

n6

Navegando com perfeição por um tema delicado, Ponte dos Espiões surpreende por mostrar-se um trabalho de Steven Spielberg que consegue muito bem funcionar como um thriller de espionagem inteligente, sem deixar de lado a abordagem séria que o diretor vem buscando nos últimos anos.

5. Whiplash: Em Busca da Perfeição

4.5

n5

Whiplash – Em Busca da Perfeição é uma obra que funciona exatamente como uma orquestra sinfônica. Cada departamento exerce sua função magistralmente, tal como instrumentos musicais, cada um a seu ritmo e sob a conduta de um sujeito inteligente para entregar uma experiência inebriante. Ao final, tudo o que posso dizer é “bravo”.

4. Kingsman: Serviço Secreto

4.5

n4

Kingsman: Serviço Secreto é tudo que um bom blockbuster deveria ser, misturando ação estilizada com humor inteligente, sarcasmo e uma metalinguagem acertadíssima. Uma ode ao gênero de espionagem pra deixar qualquer um sorrindo de orelha a orelha, comprovando que Matthew Vaughn é quem mais acerta no que faz.

3. A Travessia

5.0

n3

A Travessia é uma obra inspiradora e que traz Robert Zemeckis em sua melhor forma em anos. Beneficiando-se da ótima história, produção e um 3D avassalador, a saga de Philippe Petit transforma-se em uma das mais poderosas experiências cinematográficas de 2015.

2. Mad Max: Estrada da Fúria

5.0

n2

Mad Max: Estrada da Fúria é uma sinfonia de ação que reúne o que o gênero tem de melhor, provocando uma experiência vibrante em um universo rico e completamente surtado. O marketing não estava errado, 2015 realmente pertence aos loucos.

1. Divertida Mente

5.0

film

Engraçado, poderoso e completamente imaginativo, Divertida Mente representa o renascimento da Pixar de suas cinzas, finalmente recuperando seu alto posto com uma narrativa corajosa e envolvente. Ah, como é bom estar de volta…

DIRETOR

George Miller | Mad Max: Estrada da Fúria

direc

Quem diria que, depois de dirigir as fofíssimas animações de Happy Feet, George Miller retornaria ao universo violento e explosivo de Mad Max. Aos 70 anos de idade, o veterano australiano é responsável pelas cenas de ação mais impressionantes de 2015, consistindo em perseguições de carro pelo deserto, motoqueiros com granadas e agressores com mastros em cima de carros em movimentos. É loucura, e uma realização técnica notável, ainda mais pelo longa conseguir se sustentar todo com uma narrativa frenética e um fiapo de história. Testemunhem Miller!

Robert Zemeckis | A Travessia

Damien Chazelle | Whiplash: Em Busca da Perfeição

Alejandro G. Inarritu | Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Steven Spielberg | Ponte dos Espiões

ATOR

Oscar Isaac | O Ano Mais Violento

ator

Que ano para Oscar Isaac. Além de também ter excelentes papéis em Ex Machina: Instinto Artificial Star Wars: O Despertar da Força, o ator latino entregou uma performance arrebatadora no não tão memorável O Ano Mais Violento. Na pele de Abel Morales, Isaac encarna um comerciante que luta para fugir da corrupção e a tentação do crime, enquanto protege sua família e aposta no crescimento de seu negócio. É uma atuação calma e que nos faz lembrar do jovem Al Pacino de O Poderoso Chefão.

John Boyega | Star Wars: O Despertar da Força

Taron Egerton | Kingsman: Serviço Secreto

Michael Keaton | Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Michael Fassbender | Macbeth: Ambição e Guerra

ATRIZ

Daisy Ridley | Star Wars: O Despertar da Força

ATRZ

Quem? É o primeiro papel da estreante britânica Daisy Ridley, que rouba a cena como a sucateira Rey em O Despertar da Força. É a heroína que a saga merecia, sendo forte, realista e simplesmente adorável, graças à carimsática performance de Ridley. A vulnerabilidade da personagem também é um fator chave, já que Rey é uma jovem que inicialmente foge de seu destino, sendo fascinante acompanhar sua transformação ao longo da jornada – uma cena específica, na qual Rey aprende um certo truque, prova que Ridley e seu sotaque vieram pra ficar.

Alicia Vikander | Ex Machina: Instinto Artificial

Charlize Theron | Mad Max: Estrada da Fúria

Julianne Moore | Para Sempre Alice

Regina Casé | Que Horas ela volta?

ATOR COADJUVANTE

Harrison Ford | Star Wars: O Despertar da Força

COAD

Que surpresa. Aos 70 e poucos anos, Harrison Ford continua imbatível na pele de Han Solo. Nem mesmo no último Indiana Jones vimos tamanha energia do veterano ator, que permanece engraçado e carimsático como o contrabandista, ao mesmo tempo em que conhecemos sua merecida faceta mais dramática com as revelações que O Despertar da Força traz, e Ford entrega uma das melhores performances de sua carreira.

JK Simmons | Whiplash: Em Busca da Perfeição

Samuel L. Jackson | Kingsman: Serviço Secreto

Edward Norton | Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Mark Rylance | Ponte dos Espiões

ATRIZ COADJUVANTE

Katherine Waterston | Vício Inerente

coadja

Shasta Fey é uma presença magnética e enloquecedora em Vício Inerente. Ex-namorada do protagonista Doc Sportello, Shasta é o catalisador de boa parte dos eventos da trama, e Katherine Waterston a vive com intensidade e uma certa diversão por trás de suas ações; como ao atiçar Doc constantemente. Tudo culmina em uma desafiadora cena em que a atriz contracena nua com Joaquin Phoenix, proferindo com hipnótica condução – e não me refiro à nudez – um dos grandes monólogos do longa.

Emma Stone | Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Jessica Chastain | O Ano Mais Violento

Cate Blanchett | Cinderela

Cara Delevingne | Cidades de Papel

ROTEIRO ORIGINAL

Divertida Mente | Pete Docter, Meg LeFauve e Josh Cooley

rot_inside

Divertida Mente é um daqueles projetos que já impressionam pela premissa. A ideia de se concentrar em emoções e o funcionamento destas no cotidiano é brilhante, mas talvez o fato de que Pete Docter, Meg LeFauve e Josh Cooley tenham escrito um roteiro que – no fundo – é um estudo sobre a depressão é ainda mais admirável. A importância da Tristeza também é um elemento complexo e responsável pela maior catarse do longa, colocando-o em um patamar altíssimo no hall de trabalhos da Pixar.

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)Alejandro Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Jr. & Armando Bo

Ex Machina: Instinto Artificial | Alex Garlard

Frank | Jon Ronson e Peter Straughan

Homem Irracional | Woody Allen

ROTEIRO ADAPTADO

Vício Inerente | Paul Thomas Anderson

rot_inherent

Talvez o filme mais confuso do ano, mas é exatamente esse o objetivo de Paul Thomas Anderson ao adaptar o livro homônimo de Thomas Pynchon. Formado por uma narrativa maluca e repleta de tramas e personagens característicos, Vício Inerente é marcado pela excelente narração e os diálogos carregados de lirismo, em uma construção muito requintada e criativa na escolha do vocabulário. Um neo noir chapado.

Ponte dos Espiões | Joel Coen & Ethan Coen e Matt Charman

O Fim da Turnê | Donald Marguiles

Kingsman: Serviço Secreto | Jane Goldman & Matthew Vaughn

A Travessia | Robert Zemeckis e Christopher Browne

FOTOGRAFIA

Mad Max: Estrada da Fúria | John Seale

fot

Em termos de iluminação, é mais uma questão de controlar a luz do sol para as externas no deserto (ou seja, quase 80% das imagens), mas John Seale também é responsável pelo visual enloquecedor. A correção de cores ajuda a criar uma paleta de cores vibrante e dinâmica para os desertos onde a ação se desenrola, além de acertar em cheio no efeito de noite americana para as cenas noturnas; onde a colaração azul foi acrescentada pra mascarar a luz do dia.

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) | Emmanuel Lubezki

Sicario: Terra de Ninguém | Roger Deakins

A Travessia | Dariusz Wolski

Cinquenta Tons de Cinza | Seamus McGarvey

USO DE 3D

A Travessia

3d_walk

Vou ser sincero aqui: foi uma das melhores experiências com 3D com já tive – talvez até uma das melhores envolvendo sala de cinema. A forma com que Robert Zemeckis utiliza a tecnologia é essencial para a trama de A Travessia, e o filme certamente sofrerá com a ausência desse efeito, que ajuda o espectador a virtualmente se sentir no topo do World Trade Center e captar a altura e profundidade que o 3D transmite em termos de distância e altura. Efeitos colaterais podem incluir vertigem e maravilhamento.

DESIGN DE PRODUÇÃO

Mad Max: Estrada da Fúria | Colin Gibson

art_max

É preciso acompanhar bem de perto os mínimos detalhes para descobrir o imenso trabalho de produção de Mad Max. A equipe é capaz de criar verdadeiros ambientes a partir de sucata e objetos improvisados, além da conquista sem precedentes na criação dos veículos, cada um com uma personalidade própria. Gigantes caminhões de gasolina, carros construídos com peças de tanques de guerra e um show de heavy metal infernal são apenas alguns dos atrativos no mundo desértico de George Miller.

Cinderela

Vício Inerente

O Agente da U.N.C.LE.

Ponte dos Espiões

MONTAGEM

Whiplash: Em Busca da Perfeição | Tom Cross

mont

Toda a parte técnica de Whiplash é absolutamente impecável, mas a montagem de Tom Cross certamente é o grande atrativo nesse quesito. Centrado em um baterista, o trabalho de Cross é frenético e rápido, impressionando nas cenas em que Andrew toca o instrumento e os cortes ritimados vão acompanhando a música, quase como se Cross também fosse o baterista.

Mad Max: Estrada da Fúria| Margaret Sixel

Kingsman: Serviço Secreto | Eddie Hamilton e Jon Harris

Divertida Mente | Kevin Nolting

Star Wars: O Despertar da Força | Maryann Brandon e Mary Jo Markey

FIGURINO

Star Wars: O Despertar da Força | Michael Kaplan

FIG

É muito importante em Star Wars que as personagens tenham um visual marcante. Ainda que O Despertar da Força traça diversas figuras conhecidas, é interessante como o figurinista Michael Kaplan soube fazer as atualizações apropriadas (vide o look moderno no capacete dos stormtroopers) e ainda sugerir pistas através de vestimentas, como o traje de sucateira de Rey – similar ao de Anakin e Luke Skywalker – e a importância temática da jaqueta de Poe Dameron. Aplausos também para a criação do já marcante traje e máscara do vilão Kylo Ren e armadura cromada da Capitã Phasma.

Mad Max: Estrada da Fúria

Cinderela

Vício Inerente

O Agente da U.N.C.L.E.

EFEITOS VISUAIS

A Travessia

vfx_walk

Em teoria, é “simples” o trabalho de efeitos visuais em A Travessia. Dispensa criação de criaturas digitais, motion capture e grandes invenções, concentrando-se em um elaboradíssimo trabalho de cenário digital. Um verdadeiro visionário no uso de CGI, Robert Zemeckis e sua equipe recriam com realismo e beleza a Nova York de 1974, assim como aqueles que são importantes personagens no longa: as torres do World Trade Center. Aliado ao 3D do filme, o que se vê no resultado final é impressionante – e ficarei chateado se a Academia virar a cara.

Star Wars: O Despertar da Força

Perdido em Marte

Mad Max: Estrada da Fúria

Chappie

Menção Honrosa: O rejuvenescimento digital de Michael Douglas em Homem-Formiga.

MAQUIAGEM

Star Wars: O Despertar da Força

make

Efeitos práticos! Um dos grandes acertos de J.J. Abrams em O Despertar da Força foi a aposta em uma confecção tradicional para as variadas espécies alienígenas que encontramos ao longo da trama. Figuras como os comerciantes em Jakku (Unkar Plutt, o personagem especial de Simon Pegg), a gangue da morte Gauvian enfrentada por Han Solo e o bizarro grupo hospedado no palácio de Maz Kanata – em uma referência direta à cena da cantina de Uma Nova Esperança – são alguns dos destaques.

Vingadores: Era de Ultron

Mad Max: Estrada da Fúria

O Último Caçador de Bruxas

TRILHA SONORA

O Agente da U.N.C.L.E.| Daniel Pemberton

trilha_uncle

Eu não era muito familiar com o nome de Daniel Pemberton, mas após conferir seu trabalho brilhante em O Agente da U.N.C.L.E., fica bem evidente que o sujeito é um dos novos talentos da geração. Sua música para a comédia de espionagem de Guy Ritchie confere todos os elementos necessários para um filme do gênero: traz a aventura, a sensualidade e o clima dos anos 60 com uma forte inspiração em Ennio Morricone e um uso transcendental da flauta baixo. Ansioso por mais!

Melhor faixa: Escape from East Berlin

Sicario: Terra de Ninguém | Jóhann Jóhannson

Divertida Mente | Michael Giacchino

Mad Max: Estrada da Fúria | Junkie XL

Macbeth: Ambição e Guerra | Jed Kurzel

CANÇÃO

“Writing’s on the Wall” – Sam Smith | 007 Contra Spectre

canc

Foi um ano fraquíssimo para canções no cinema. Nem sou um grande fã de “Writing’s On the Wall”, a balada de Sam Smith para os sinistros créditos de abertura de 007 Contra Spectre, mas foi o melhor que pude encontrar. Seguir o sucesso avalassador de Adele para Skyfall era difícil, mas o cantor inglês não faz feio com uma canção eficiente e que faz um uso interessante do falsete, mantendo a classe de James Bond ao mesmo tempo em que busca uma certa vulnerabilidade. Pode conter uma letra clichê, mas é uma boa melodia.

“Crazy in Love” – Beyonce | Cinquenta Tons de Cinza

“See You Again” – Wiz Khalifa | Velozes & Furiosos 7

CRÉDITOS 

007 Contra o Spectre

cred

Aberturas de 007 são rituais. Novamente sob os cuidados de Daniel Kleinman, os créditos de 007 Contra Spectre abraçam a breguice dos anos 70 e sobram referências para Viva e Deixe MorrerOctopussy, especialmente nas figuras fortes das chamas engolindo silhuetas e o gigante polvo que se agarra à pistolas e pernas de dançarinas voluptuosas.

Missão: Impossível – Nação Secreta

O Agente da U.N.C.L.E.

Vingadores: Era de Ultron

SURPRESA

O Agente da U.N.C.L.E.

surp

Realmente, eu não esperava nada. De trailers pouco chamativos e uma proposta um tanto fora de seu tempo, O Agente da U.N.C.L.E. acabou por firmar-se como um dos filmes mais divertidos de 2015, graças às performances certeiras de Henry Cavill e Armie Hammer e a consciência de Guy Ritchie de estar realizando um filme assumidamente exdrúxulo e que mira alto na nostalgia dos anos 60. Se Kingsman é uma ode ao Bond de Roger Moore, U.N.C.L.E. reverencia a era de Sean Connery.

DECEPÇÃO

Quarteto Fantástico

decep

Eu queria acreditar. Mesmo com uma recepção ruim ao casting e a assustadora ausência de marketing da Fox, eu queria acreditar que o novo Quarteto Fantástico seria a reinvenção que o grupo da Marvel precisa, apostando na atmosfera dark e a influência de ficção científica realista. Em partes, o filme de Josh Trank, mas é no geral uma grande decepção; pelo elenco desperdiçado e o fracasso em atingir o que prometia.

MELHORES TRAILERS

007 contra Spectre | Teaser

Batman vs Superman: A Origem da Justiça | Trailer da Comic Con

A Colina Escarlate | Teaser

Creed: Nascido para Lutar | Trailer 1

Esquadrão Suicida | Trailer da Comic Con

Perdido em Marte | Trailer 2

Quarteto Fantástico | Teaser

O Regresso | Teaser

Star Wars: O Despertar da Força | Teaser 2

Star Wars: O Despertar da Força | Trailer Oficial

Steve Jobs | Trailer 1

A Travessia | Trailer 2

MELHORES PÔSTERES

hateful_p2

macbeth_p6

bvs_p2

apocalypse_p1

revenant_p1

antman_p6

furyroad_p8

episodevii_p2

esperanca2_p3

MAIS AGUARDADOS PARA 2016

Animais Fantásticos & Onde Habitam

Batman vs Superman: A Origem da Justiça

Capitão América: Guerra Civil

Deadpool

Doutor Estranho

Esquadrão Suicida

Rogue One: A Star Wars Story

X-Men: Apocalipse

Os pré-selecionados para o Oscar de Efeitos Visuais

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , on 7 de dezembro de 2015 by Lucas Nascimento

the-walk-behind-the-scenes-ss02

Todo ano sai aquela tradicional listinha dos filmes que poderão disputar uma das 5 vagas na categoria de efeitos visuais no Oscar. Confira abaixo, junto com minhas apostas em negrito:

007 Contra Spectre

Chappie

O Destino de Júpiter

O Exterminador do Futuro: Gênesis

Evereste

Ex Machina – Instinto Artificial

Homem-Formiga

Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros

Mad Max: Estrada da Fúria

Missão: Impossível – Nação Secreta

No Coração do Mar

Perdido em Marte

Ponte dos Espiões

O Regresso

Star Wars: O Despertar da Força

Tomorrowland: Um Lugar onde nada é Impossível

A Travessia

Velozes & Furiosos 7

Vingadores: Era de Ultron

Os indicados ao Oscar serão anunciados em Janeiro!

| Expresso do Amanhã | Crítica

Posted in Ação, Cinema, Críticas de 2015, Drama, Ficção Científica with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 30 de agosto de 2015 by Lucas Nascimento

4.0

Snowpiercer
Multiverso: Chris Evans e Jamie Bell se aliam 

Alguns filmes lançados recentemente parecem ter sido feitos com um espírito dos anos 80, como se seus realizadores fossem apaixonados pelos divertidos e cults daquele período glorioso. Mad Max: Estrada da Fúria é um belíssimo exemplo visto este ano, assim como a pérola infinitamente adiada e mantida mofando na geladeira da Playarte Pictures: O Expresso do Amanhã, uma obra forte, empolgante e reflexiva.

A trama é adaptada da graphic novel francesa Perfura-Neve, de Jaques Lob, Benjamin Legrand e Jean -Marc Rochette, onde a Terra é condenada a uma segunda era do gelo após uma tentativa frustrada do governo em acabar com o aquecimento global. Nessa distopia congelante, os sobreviventes vivem num grande trem que roda toda a superfície do planeta: o Snowpiercer. Dentro, a luta de classes começa a incitar uma rebelião, liderada pelo idealista Curtis (Chris Evans).

É uma ideia fantástica que só fica melhor com a presença do diretor sul-coreano (que nação, que nação…) Joon-ho Bong, que já nos presenteou com Mother – A Busca pela VerdadeO Hospedeiro, agora embarcando em seu primeiro filme de língua inglesa. Bong também assina o roteiro ao lado de Kelly Masterson, tecendo uma narrativa intensa e fortemente baseada na sátira política, especialmente quanto à luta de classes que já se estabelece na divisão dos vagões do Snowpiercer: os pobres e operários viajam no último, enquanto os mais ricos e importantes vão habitando os dianteiros.

Dessa forma, Expresso do Amanhã é um filme completamente dependente do excepcional design de produção de Odrej Nekvasil, que fornece a cada compartimento do grande trem uma personalidade distinta, que também se reflete em cores, fotografia e arquitetura: o vagão dos operários é sujo e obscuro, enquanto a “escolinha” é colorida e vibrante, passando também por uma balada e um grande aquário. Visualmente, é maravilhoso, e revoltante que Nekvasil tenha sido completamente ignorado pela Academia.

Chris Evans também se sai muito bem no protagonismo da trama, criando um sujeito visionário e de intenções nobres, mas nem por isso menos violento e sanguinário; o confronto entre o grupo de Curtis e a segurança do trem num apertado corredor sombrio é memorável. Tilda Swinton surge irreconhecível como a burocrata Mason, abusando de cartunescos dentes falsos e perucas exageradas para criar uma debochada representante da alta classe, cujo figurino também contrasta radicalmente com o grupo de Curtis. Estruturalmente, o silencioso personagem de Kang-ho Song rende uma subtrama não muito envolvente  quanto a principal, mas que revela-se decisiva para o surpreendente clímax.

Expresso do Amanhã é uma empolgante e inteligente sátira política, digna de algumas das melhores distopias já apresentadas no cinema, com um forte espírito dos anos 80.

Obs: Sério, Playarte, como deixar esse filme atrasar tanto?