Arquivo para os mercenarios

| Os Mercenários 3 | Crítica

Posted in Ação, Cinema, Críticas de 2014 with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 22 de agosto de 2014 by Lucas Nascimento

2.5

TheExpendables3
Escalação 3.0 traz o velho e o novo

É só dar uma vislumbrada no pôster principal de Os Mercenários 3 , onde todos os membros do elenco sorriem e posam para uma foto casual, para perceber que tudo isso é uma mera piada travestida de filme de ação. A proposta de reunir astros icônicos do gênero era interessante em 2010, e funcionou na medida certa na meta continuação de 2012. O novo filme explora ainda mais a metalinguagem e aposta em mais piadas e referências a seu grandioso elenco, mas é fácil notar o esgotamento.

Na trama, Barney Ross (Sylvester Stallone) e seu grupo de mercenários estão à mercê de um perigoso inimigo, que outrora foi um de seus grandes aliados: Stonebanks (Mel Gibson), agora comerciante de armas de destruição em massa. Quando Stonebanks sequestra a porção jovem da equipe, Ross parte para resgatá-los.

Como os antecessores, é a mínima história possível que só está ali como desculpa para reunir novamente o elenco de ação. Entram nesta terceira parte Wesley Snipes, Kelsey Grammer, Harrison Ford, Antonio Banderas e o já mencionado Gibson. Temos também um elenco mais desconhecido que forma a “geração 2.o” dos Mercenários, mas nem precisa dizer que nem de longe são tão interessantes quanto o elenco principal – e o roteiro de Stallone, Creighton Rothenberger e Katrin Benedikt erra ao fazer o público passar tanto tempo com eles. Ford, por exemplo, é o personagem mais mal aproveitado, e tendo em vista que o cara é Han Solo e Indiana Jones, era de se esperar mais do que o ator agindo como um mero piloto (papel que substitui o de Bruce Willis, que recusou voltar).

Mas o que realmente me interessa nessa franquia, é o esculacho. Não ligo para a historinha boba, nem para a ação nada impressionante que o novato Patrick Hughes tenta problematicamente conduzir. Estou aqui pelas piadas, e elas realmente funcionam. Arnold Schwarzenegger tem menos destaque aqui do que no anterior, mas já empolga quando solta o icônico “Get to the chopper” em seu inconfundível sotaque austríaco, ou as diversas referências a acontecimentos reais, como Stallone dizendo para o personagem de Snipes o quanto foi imbecil de ir para a cadeia – e caso a referência tenha sido muito sutil, há toda uma sequência com os Mercenários libertando-o de uma prisão móvel. Mas a grande surpresa é Antonio Banderas. Se você, como eu, achava estranha a presença do ator que não é tão conhecido pelo trabalho no gênero, vai se surpreender ao ver o quão divertida e agradavelmente irritante é sua participação, de longe o ponto alto da produção.

Como filme em si, já traz a direção problemática citada acima. Hughes não é o melhor dos condutores de ação, mas ao menos faz um trabalho superior ao de Stallone no primeiro filme. Mas isso não é grande coisa, já que o australiano insiste nos cortes rápidos, num desenho de som preguiçoso e cisma com enquadramentos plongeé completamente deslocados. É raro encontrar ação que entedia. E pior, o filme faz um grande retrocesso no quesito efeitos visuais, apresentando o para-quedas mais artificial da História do Cinema e alguns usos de tela verde realmente constrangedores. Não será difícil percebê-los.

Os Mercenários 3 provavelmente vai agradar aos fãs dos filmes de ação dos anos 80, especialmente pelas doses de nostalgia e auto referência. Pra quem não for dessa praia, dificilmente vai agradar. Eu pessoalmente me diverti com o ridículo, mas acho que já é hora de parar.

Anúncios

Saem os indicados ao Visual Effects Society Awards 2011

Posted in Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10 de janeiro de 2011 by Lucas Nascimento

Vamos deixar uma coisa bem clara: esses indicados não são para o Oscar, e sim para o prêmio do Visual Effects Society Awards, cujo foco é no trabalho de efeitos visuais, por isso não estranhe se o post parecer meio repetitivo. Confira abaixo os indicados (apenas na parte de cinema):

Melhores Efeitos Visuais (Usados em filmes de forma constante)

Alice no País das Maravilhas

A Origem

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1

Homem-de-Ferro 2

Tron: O Legado

Melhores Efeitos Visuais Coadjuvantes (usados sutilmente, vamos assim dizer…)

Além da Vida

Cisne Negro

Salt

Robin Hood

Zona Verde

Melhores Efeitos Visuais em Filme de Animação

Como Treinar o seu Dragão

Enrolados

A Lenda dos Guardiões

Shrek para Sempre

Toy Story 3

Melhor personagem digital em um Longa Metragem

Como Cães e Gatos 2 – A Vingança de Kitty Galore (Kitty Galore)

As Crônicas de Nárnia – A Viagem do Peregrino da Alvorada (Reepicheeb)

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1 (Dobby)

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1 (Monstro)

Melhor Personagem digital em uma Animação

Como treinar o seu Dragão (Toothless)

Enrolados (Rapunzel)

A Lenda dos Guardiões (Digger)

Megamente (Minions)

Melhor Ambiente Digital criado em um Longa Metragem

A Origem (Sonho em Paris)

Homem-de-Ferro 2 (Stark Expo)

Príncipe da Pérsia – As Areias do Tempo (Sala da Areia)

Tron – O Legado (Sala de Discos)

Melhores Modelos e Miniaturas usados em um Longa Metragem

A Origem (Destruição do Hospital)

Homem-de-Ferro 2 (Drones das Indústrias Hammer)

Ilha do Medo (Ala C, ext/int; Farol, ext/int)

Os Mercenários (Explosão do Palácio)

Melhor Composição em Longa Metragem

Além da Vida

Alice no País das Maravilhas

A Origem

Tron – O Legado

Interessantes essas categorias, não? Os vencedores serão anunciados em 1º de Fevereiro. Aguardem…

| Os Mercenários | Precisava mesmo de tanto sangue digital?

Posted in Ação, Críticas de 2010, DVD with tags , , , , , , , , , , , , , on 8 de dezembro de 2010 by Lucas Nascimento

A promessa de Os Mercenários era entregar um filme de ação old school, à moda dos “clássicos” dos anos 80, onde as cenas de ação são a única coisa que importa, com astros do gênero da atualidade. Stallone lidera o grupo de valentões em uma trama simples e medíocre e também dirige o longa; talvez o erro esteja por aí.

Não sei vocês, mas no meu conceito, uma boa cena de ação é aquela em que você consegue entender o que está acontecendo, tenha uma trilha sonora empolgante e, claro, o espectador se importe com os personagens. O roteiro do filme até consegue arrancar uma ou duas boas tiradas ou frases de efeito, mas falha miseravelmente na tentativa de conseguir afeto com algum deles, claro isso é um filme de ação, mas convenhamos, se você não gosta dos personagens, as cenas de adrenalina são irrelevantes.

E mesmo que as sequências de perseguições, tiroteios ou lutas não se importem com os personagens, elas poderiam no mínimo ser bem feitas; a montagem rápida e a câmera inquieta simplesmente não funciona com esse tipo de cena e os efeitos visuais são usados de maneira exagerada e tosca (sem comentários à cena em que um personagem é incinerado), destruindo o “espírito dos 80”.

É exigir demais boas atuações nesse tipo de filme, mas elas estão presentes, de certa forma. Stallone faz o típico valentão, só que com carisma e seu entrosamento com Jason Statham é divertido. Os outros astros são meros figurantes, mas o encontro de Bruce Willis e Arnold Schwarzenegger é muito engraçado e Mickey Rourke faz sozinho valer o ingresso na pele tatuada de Tool, antigo mercenário com muitas mágoas do passado – um de seus monólgos sobre o passado é sensacional, por mostrar como a vida de assassino o afetou – e muito bom humor.

Divertido e bem-humorado em alguns bons diálogos, mas completamente imcompreendível nas medianas cenas de ação, Os Mercenários pode vangloriar-se por ter um excelente elenco de pancadaria, mas seu objetivo de alcançar o espírito de uma aventura oitentisa é fracassado. Mas convenhamos, precisava de tanto sangue digital? Isso não é anos 80, naquela época se usavam galões de sangue falso. Isso sim, é cinema de ação.

Qualidade X Bilheteria

Posted in Artigos with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 24 de agosto de 2010 by Lucas Nascimento

Semana passada, Scott Pilgrim contra o Mundo estreou nos cinemas norte-americanos, rendendo um resultado decepcionante nas bilheterias – que neste momento, estão lideradas por Os Mercenários – e, pior, a possibilidade de o longa não ver a luz do dia aqui nos cinemas do Brasil.


Vampiros que se Mordam: Sem comentários

Bons filmes fazem, sim, uma boa arrecadação, mas obviamente não são todos que possuem uma qualidade decente e um bom resultado monetário. Veja por exemplo, uma das estreias da semana nos EUA: a sátira Os Vampiros que se Mordam, que provavelmente é tão ruim e estúpido quanto os filmes anteriores da dupla de diretores (Espartalhões, Deu a Louca em Hollywood e outras “obras de arte”…), mas mesmo assim garantiu segundo lugar nas bilheterias. Talvez seja pelo fato de que Crepúsculo tenha uma legião de inimigos ( e estes tenham comparecido em massa nas exibições) ou, simplesmente,  o mau gosto de certos espectadores.

Sou completamente contra esse tipo de paródias e me deixa frustrado o fato de que essas porcarias até mesmo cheguem nos cinemas; a estreia do filme já está garantida no Brasil e não duvido de que fará um bom resultado por aqui. Aliás, por aqui as bilheterias também são decepcionantes. Caso você não saiba, O último Mestre do Ar lidera essa semana e nem vou comentar a injustiça de que A Origem não tenha ficado no topo sequer uma vez.


Inception: Qualidade e bilheterias caminham juntas

A Origem é o exemplo perfeito do ano de “qualidade e bilheteria”. Não só é o melhor filme de 2010, mas também já arrecadou mais de 500 milhões de dólares pelo mundo; isso sem precisar da potencial ajuda dos óculos 3D e suas conversões baratas, apenas um ótimo roteiro. E mesmo assim, o filme teve sua estreia adiada aqui no Brasil, fazendo com que a expectativa dos brasileiros aumentasse demais. Resultado? Recepção morna pela (maioria) dos críticos daqui.

Outra consequência desagradável do adiamento da estreia é o resultado pobre nas bilheterias. Veja o caso de Kick-Ass: Quebrando Tudo; o longa não se saiu bem nos EUA – em parte, devido a sua censura alta – e demorou quase dois meses para ser lançado no Brasil e foi um fracasso de arrecadação. Isso se deu por diversos motivos; falta de conhecimento no material original, censura alta, pouquíssima divulgação e, é claro, o download que a maioria já tinha feito.


Scott Pilgrim: Futuro apenas nos DVDs?

Voltando ao caso de Scott Pilgrim, parece que seguirá o caminho de Kick-Ass, isso é claro, se chegar a ser exibido por aqui. O filme recebeu boas críticas e a HQ é sensacional. Meu conselho às distribuidoras nacionais: deem uma chance aos filmes menos conhecidos e ignorem as porcarias que lhe são jogadas no colo.

Concorda? Discorda? Comente.

Esta semana nos cinemas… (13/08)

Posted in Esta Semana nos cinemas with tags , , , , , , , , , on 12 de agosto de 2010 by Lucas Nascimento

Confira abaixo as principais estreias dessa semana nos cinemas brasileiros:

Aprendiz de Feiticeiro

Seria essa mais uma tentativa desesperada da Disney de iniciar uma franquia? Aparentemente sim, já que o filme é vendido como ” do mesmo produtor de A Lenda do Tesouro Perdido“. Na trama, um feiticeiro em Nova York recruta um jovem como seu novo aprendiz. Censura: 12 anos

Os Mercenários

Para o deleite de todo bom fã de ação, chega a tropa de astros do gênero, liderada por Stallone. Na trama, um grupo de mercenários precisa derrubar um maligno ditador sulamericano do poder. Censura: 16 anos

Bem, essas suas opções; escolha bem e aproveite seu fim de semana!

Luz, Câmera… Porrada! | Especial OS MERCENÁRIOS

Posted in Especiais with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 9 de agosto de 2010 by Lucas Nascimento

O aguardado filme de ação de Sylvester Stallone chega nos cinemas, sendo marcado por um elenco de sonhos de todo fã de ação, filmagens no Brasil e algumas polêmicas. Acompanhe esse especial:

Making Of

A intenção de Sly (apelido popular de Sylvester Stallone), era reunir um grande elenco de astros de pancadaria para um filme de ação à moda antiga, ou seja, não haverão inovações e sim muitos clichês; mas pra um fã de ação, quem vai ligar, certo?

Parte das filmagens do filme aconteceram no Brasil, no Rio de Janeiro, em Março do ano passado; o cenário do filme é um país fictício. Houve uma polêmica recentemente depois de uma brincadeira sem graça levada a sério demais por aqui. Esquentando a chapa, a O2 Filmes acusou a produtora Millenium de ter deixado uma dívida de 3 milhões. A produção desmentiu a acusação; resta escolher em quem você acredita.

Personagens

Conheça os principais valentões de Os Mercenários:

1. Dan Pine (Steve Austin): Guarda costas do agente da CIA James Monroe.

2. Toll Road (Randy Couture): Especialista em demolições do grupo.

3. Gunnar Jensen (Dolph Lundgren): Atirador sniper da Suécia. Já encarou Stallone em Rocky IV, como o lutador soviético Ivan Drago.

4. Yin Yang (Jet Li): Expert em artes marciais, Yin Yang sempre se aproveita de sua vantagem de ser “pequeno”.

5. Barney “The Schizo” Ross (Sylvester Stallone): Veterano de Operações Especiais dos EUA, Barney é o líder da equipe e especialista em qualquer tipo de combate.

6. Lee Christmas (Jason Statham): Ex-Membro da Cavalaria Aérea americana, Lee é o segundo no comando na equipe; sendo grande amigo de Barney e especialista em combates corpo-a-corpo e com facas.

7. Hale Caesar (Terry Crews): Melhor amigo de Yin, é o alívio cômico da equipe (basta olhar a carreira do comediante) e especialista em armas pesadas.

8. Tool (Mickey Rourke): Ex-Mercenário (Expendable) da equipe de Barney, Tool passa seus dias de aposentadoria vendendo armas de fogo e fazendo tatuagens em seu próprio negócio.

9. Sr. Church (Bruce Willis): Misterioso sujeito que contrata os Mercenários para sua missão. Só possuí uma cena, que dividirá com Sly e Arnold Schwarzennegger.

10. Trench (Arnold Schwarzenneger): Não está na foto, mas vamos contar com sua presença “em espírito”. Trench é um antigo rival de Barney, e ex-líder da equipe original.

Medidor de pancadaria

Uma pequena análise sobre alguns filmes da carreira do trio principal de Os Mercenários:

Boom: Grandes cenas de ação

Confira abaixo algumas cenas de ação que eu acho espetaculares!

Perseguição na via expressa (Matrix Reloaded) 

Sem dúvida uma das melhores perseguições de carros de todos os tempos. Os heróis Morpheus e Trinity tentam fugir com o Chaveiro dos enigmáticos personagens Gêmeos. Atraem a atenção da polícia com tiros, destroem carros, roubam motos e terminam com uma espetacular colisão entre dois gigantescos caminhões. Excelente, sem mencionar a empolgante trilha sonora.

Sonhos dentro de sonhos (A Origem)

Podem me criticar por ser recente demais, mas a missão da equipe de Cobb encara três sonhos em três ambientes completamente diferentes; um hotel que perde sua gravidade, ruas castigadas por uma chuva forte e uma invasão a uma fortaleza na neve. Detalhe; tudo ao mesmo tempo. Coisa de gênio.

O Dia-D ( O Resgate do Soldado Ryan)

Nunca uma batalha de guerra havia ganho um tratamento assim. O realismo cru e frio da abertura do filmaço de Steven Spielberg é perturbador, as mortes violentas e o som é ensurdecedor. Um caprichado trabalho de montagem e de direção, que nos dá uma ideia do quão aterrorizante deve ter sido esse ataque. Nunca haverá uma cena como essa na história dos filmes de guerra.

Perseguição em Madagascar (007 – Cassino Royale)

Não foram carros velozes ou bugigangas bizarras que provaram a competência física de Daniel Craig como James Bond em sua reinvenção; foi uma sensacional perseguição a pé. Atravessando construções, guindastes e hotéis; o agente não mede esforços para capturar um fabricante de bombas (vivido pelo free runner profissional Sebastien Foucan). Um verdadeiro balé de manobras e saltos.

Os Últimos Grande Heróis

John McClane

Protagonizando quatro filmes da série Duro de Matar, o policial vivido por Bruce Willis é com certeza um dos melhores heróis de ação de todos os tempos. Têm muito senso de humor, bordões memoráveis e sabe o que fazer quando tem uma arma.

James Bond

Tendo sido interpretado por seis atores, o melhor e mais famoso espião de todos os tempos é o tipo “mulheres querem transar com ele e homens querems ser igual a ele”. Protagonizou a maior franquia da história do cinema; até agora são 22 filmes, e a série ainda está longe de acabar.

Indiana Jones

Suas aventuras atrás dos maiores tesouros da civilização são as melhores do gênero. O chapéu e o chicote são marcas registradas, Harrison Ford interpreta  o arqueólogo cheio de personalidade e senso de humor. Clique aqui para entender como o herói encara uma ameaça.

Rocky Balboa

Não é o único personagem memorável vivido por Stallone (há também John Rambo), mas é o mais crível e realista, sendo muito mais fácil de se identificar. Lutando nas ruas e nos ringues, encarando lutadores egocêntricos e, até mesmo artificiais, Rocky pode não ter matado ninguém, mas é ícone do cinema de ação.

O Exterminador

De vilão no primeiro filme para herói no segundo, o robô quase indestrutível é meu personagem favorito de Schwarzenegger. Acerta por conseguir dar humanidade a uma máquina, desenvolvendo-o e, é claro, chutando bundas em ótimas cenas de ação. Desculpe, eu tenho de dizer isso: Hasta la vista, Baby.

Bem, o especial vai ficando por aqui, mas pretendo assistir a Os Mercenários essa semana. Aguarde pela crítica!

Novo Trailer de Os Mercenários (ATUALIZADO)

Posted in Trailers with tags , , , , , on 31 de março de 2010 by Lucas Nascimento

Foi lançado hoje o novo trailer de Os Mercenários, filme com um dos melhores elencos de astros de ação, que vão de Stallone até Schwarzenegger. O trailer é bem bacana, mas fica o destaque para o encontro entre Stallone, Bruce Willis e Schwarzenegger. Confira abaixo:

ATUALIZAÇÃO: O trailer está legendado. Foi difícil, mas decifrei o que o Stallone diz com seu vozeirão.