Arquivo para oscar isaac

O primeiro trailer de X-MEN: APOCALIPSE

Posted in Trailers with tags , , , , , , , , , , on 11 de dezembro de 2015 by Lucas Nascimento

apocalipse_02

O grande vilão dos X-Men enfim revela sua cara. Confira o primeiro trailer de X-Men: Apocalipse, onde James McAvoy une todos os mutantes para combater o poderoso vilão de Oscar Isaac.

Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Nicholas Hoult, Rose Byrne, Lucas Till e Evan Peters retornam para o elenco, que acrescenta Sophie Turner, Olivia Munn, Tye Sheridan, Kodi Smith-McPhee, Alexandra Shipp e Lana Condor. Bryan Singer dirige.

X-Men: Apocalipse estreia em 19 de Maio de 2016.

Anúncios

O trailer final de STAR WARS: O DESPERTAR DA FORÇA

Posted in Trailers with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19 de outubro de 2015 by Lucas Nascimento

STARWA

Finalmente, o primeiro trailer completo de Star Wars: O Despertar da Força finalmente chegou.

Confira:

O novo filme se passa 30 anos após os eventos de O Retorno de Jedi. O elenco original formado por Harrison Ford (Han Solo), Mark Hamill (Luke Skywalker) e Carrie Fisher (Leia Organa) retorna, além de Peter Mayhew (Chewbacca), Anthony Daniels (C-3PO) e Kenny Baker (R2-D2). O sangue novo inclui John Boyega (Finn), Daisy Ridley (Rey), Oscar Isaac (Poe Dameron), Adam Driver (Kylo Ren), Lupita Nyong’o (Maz Kanata), Gwendoline Christie (Capitã Phasma), Domhnall Gleeson (General Hux), Andy Serkis (Supremo Comandante Snoke) e o veterano Max Von Sydow (Quem será?).

J.J. Abrams dirige a partir de roteiro dele mesmo, Lawrence Kasdan e ideias de Michael Arndt, sem influência de George Lucas. John Williams retorna para a trilha sonora.

Star Wars: O Despertar da Força estreia em 17 de Dezembro.

Os ingressos já estão à venda!

| Ex Machina: Instinto Artificial | Crítica

Posted in Críticas de 2015, Drama, Ficção Científica, Home Video with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 26 de agosto de 2015 by Lucas Nascimento

4.5

ExMachina
Alicia Vikander estreia como a hipnotizante Eva

Escrevi em meu texto sobre Ela que as relações humanas vêm se transformando com o advento da tecnologia, seja no desenvolvimento de recursos quanto ao convívio do Homem em sociedade. O cinema de ficção científica vinha prevendo diversos tipos de distopias e utopias, e a inteligência artificial sempre esteve ligada a uma imagem mais antagonista, certamente um fruto da paranóia da Guerra Fria dos anos 50 ou a antecipação pelo Bug do Milênio no ano 2000. Mas numa época em que smartphones se transformaram nos nossos melhores amigos, o Cinema tem brincado com a ideia de uma relação afetiva entre Homem e máquina, notavelmente no romântico filme de Spike Jonze e agora no excelente Ex Machina: Instinto Artificial, imperdível sci-fi lançado diretamente para DVD.

A trama começa quando o programador Caleb (Domhnall Gleeson) é selecionado para trabalhar num projeto especial de sua empresa. Movido para a reclusa e luxuosa moradia do CEO Nathan (Oscar Isaac), Caleb descobre que seu chefe criou uma avançada forma de inteligência artificial: a andróide Eva (Alicia Vikander). Ali, o jovem deverá testar a capacidade da máquina de se passar por um humano (como no Teste de Turing) sendo lançado num perigoso jogo de duplas intenções.

Este é o filme de estreia do diretor Alex Garland, que já havia cuidado de roteiros como O ExtermínioSunshineNão Me Abandone JamaisDredd, além de também ser o responsável pelo texto original de Ex Machina. E é admirável ver uma ficção científica tão desafiadora em sua temática. As sessões entre Caleb e Eva são fascinantes de se observar, graças à habilidade de Eva de demonstrar ideias e pensamentos tão complexos para uma máquina, e vê-la subvertendo os papéis com o programador humano é instigante. A revelação de que Eva tem instalada em si uma certa sexualidade é o aspecto mais interessante (“Como um mágico que usa uma assistente gostosa para distrair o público?”, questiona Caleb para Nathan), e o que move a relação entre Caleb e a máquina para algo mais complexo. Se Ela era de fato um romance que abusava do lirismo para ilustrar o afeto do homem pela máquina, Ex Machina é ficção científica na veia, sendo muito mais eficiente na forma com que lida com o tema.

Garland cria imagens altamente memoráveis aqui, especialmente ao fazer robôs sensuais sem parecer que estamos assistindo a uma paródia pornô. A novata atriz sueca Alicia Vikander domina cada minuto de cena, não só por sua hipnotizante performance que traz os sutis indícios de humanidade, mas também pela construção de seu corpo; cuja mistura de materiais e ausência de membros indica uma criação ainda incompleta. O design de produção também acerta na criação da casa de Nathan, dominada pelo cinza e por uma arquitetura que parece sugerir mais um laboratório ilegal ou uma prisão experimental, literalmente confinando o confuso Caleb em suas paredes de vidro.

Outro grande destaque fica com Oscar Isaac, que vem rapidamente se mostrando como um dos atores mais talentosos da atualidade. Quando pensamos em um ricaço cientista inventor de robôs inteligentes, não é a imagem de um barbudo atlético e de fala jovinal como o Nathan de Isaac, que em sua primeira aparição já surge praticando boxe, revelando que o exercício físico é tão importante quanto o mental para Nathan. Seu alcoolismo também é lidado de forma sutil, como seu silêncio confuso quando Caleb pergunta “como teria sido a festa”, a fim de justificar a ressaca que tenta curar – além de ser um importante detalhe que servirá para uma das reviravoltas.

Ex Machina: Instinto Artificial é uma inteligente e questionadora ficção científica, capaz de iniciar um instigante debate sobre a evolução da inteligência artificial e sua relação com o Homem. Um baita começo para Alex Garland, que desde já mostra-se uma aposta promissora.

As primeiras imagens de X-MEN: APOCALIPSE

Posted in Notícias with tags , , , , , , , , , , , , on 16 de julho de 2015 by Lucas Nascimento

x-men-apocalypse-logo-143867

A revista Entertainment Weakly trouxe em sua capa as primeiras imagens de X-Men: Apocalipse! Estas apresentam as novas caras de Ciclope (Tye Sheridan), Tempestade (Alexandra Shipp), Noturno (Kodi Smith McPhee) e Jean Grey (Sophie Turner), ao mesmo tempo em que apresentam os mutantes Psylocke (Olivia Munn), Jubileu (Lana Condor) e o monstruoso Apocalipse, vivido por um irreconhecível Oscar Isaac.

Confira:

xapo

xapo2

xapo3

xapo4

xapo5

xapo6

x-men-apocalypse-image-entertainment-weekly-storm-jubilee-cyclops

X-Men: Apocalipse estreia em 26 de Maio de 2016.

 

Kodi Smith-McPhee como Noturno em X-MEN: APOCALYPSE

Posted in Notícias with tags , , , , , , , , , , , , on 27 de abril de 2015 by Lucas Nascimento

As gravações de X-Men: Apocalypse estão para começar, e o diretor Bryan Singer soltou a primeira imagem de Kodi Smith-McPhee como o mutante Noturno, que fora interpretado por Alan Cunning no filme de 2003. Confira:

night

Lembrando que o filme seguirá os eventos de Dias de um Futuro Esquecido, ambientando-se em 1983. Michael Fassbender (Magneto), James McAvoy (Charles Xavier), Jennifer Lawrence (Mística), Nicholas Hoult (Fera), Rose Byrne (Moira MacTaggert), Lucas Till (Destrutor) e Evan Peters (Mercúrio) retornam. Não foi confirmada a presença de Hugh Jackman como Wolverine.

Oscar Isaac (Apocalipse), Olivia Munn (Psylocke), Sophie Turner (Jean Grey), Tye Sheridan (Ciclope), Alexandra Shipp (Tempestade), Lana Condor (Jubilee) e Ben Hardy (Anjo) são as novas adições. Há rumores sobre uma aparição de Channing Tantum como Gambit.

X-Men: Apocalypse estreia em 19 de Maio de 2016.

O Ano Mais Violento | Crítica

Posted in Cinema, Críticas de 2015, Drama with tags , , , , , , , , , , , , on 2 de abril de 2015 by Lucas Nascimento

3.0

AMostViolentYear
Oscar Isaac e Jessica Chastain

Eu já assisti a muitos filmes de gângsteres, e certamente o melhor tipo da variação no gênero é aquele em que o protagonista sucumbe ao caminho perigoso. Seja por lealdade a família, como retratada na imortal trilogia do Poderoso Chefão, a necessidade de sobrevivência e até auto satisfação, na excelente série Breaking Bad, ou pela simples diversão do negócio, vide o também imortal Os Bons Companheiros, é uma metamorfose das mais fascinantes. Então temos algo relativamente inédito: o “quase-gângster”, ao qual J.C. Chandor nos apresenta em O Ano Mais Violento.

Roteirizada pelo próprio Chandor, a trama gira em torno de Abel Morales (Oscar Isaac), um comerciante de gasolina que mantém seu negócio com a esposa Anna (Jessica Chastain) na Nova York de 1981. Ansioso por expandir seu negócio a níveis grandiosos, ele negocia a compra de uma propriedade judaica, justamente quando começa a ser atacado por criminosos e competidores, que almejam quebrá-lo financeiramente.

Primeiramente, aplausos a toda a equipe de Chandor pela construção visual absolutamente impecável. O design de produção recria com sutileza o início da década de 80, enquanto o figurino de Kasia Walicka-Maimone concentra-se na elegância (evitando o estilão mais bizarro, vulgo cabelos de Linda Hamilton) e na necessidade de proteger seus personagens do inverno pesado que assola Nova York. O diretor de fotografia Bradford Young vem se destacando (ele também é responsável pelo ótimo trabalho em Selma) como um profissional nato, adotando uma paleta de cor alaranjada que se aproxima muito do estilo de Gordon Wilis na trilogia do Poderoso Chefão, impressionando também com seu jogo de luz e os planos abertíssimos comandados por Chandor. Tecnicamente, é magnífico.

Meu problema com o filme é que a história simplesmente não empolga, e não traz muito de original. O Abel Morales de Isaac é um sujeito que luta para caminhar “no caminho certo”, como o próprio define, e é justamente o oposto que torna o gênero tão apetitoso. Chandor cria um jogo interessante entre Abel e a esposa, funcionando principalmente pelas excelentes performances de Isaac e Chastain, e sobre a resistência deste para não ceder “ao lado sombrio”, rendendo duas sequências inspiradas em que o personagem luta para controlar seus instintos violentos. Para um filme com um título desses, O Ano Mais Violento é surpreendentemente otimista.

Demora para encantar o espectador, mesmo que os personagens sejam bem representados. Até mesmo a decisão de ambientar o longa em 1981 (que como nos dizem as estatísticas, o ano mais violento da cidade de Nova York) surge desperdiçada, já que a narrativa fica presa a seu próprio mundo, sendo irrelevante qual o ano específico da história – ainda que seja interessante ver algumas locuções de rádio constantemente relatando crimes, como se este fosse uma espécie de fantasma que assombra o protagonista, tentando-o.

O Ano Mais Violento é um brilhante feito técnico e visual, trazendo boas metáforas e interpretações, mas que infelizmente não são o suficientes para carregar a trama arrastada e pouco estimulante que J.C. Chandor. Às vezes, o lado sombrio é o mais fascinante.

Leia esta crítica em inglês.

Os novos X-Men de APOCALYPSE

Posted in Notícias with tags , , , , , , , , , , , , on 23 de janeiro de 2015 by Lucas Nascimento

A pré-produção de X-Men: Apocalypse vai rolando a todo vapor, e o diretor Bryan Singer divulgou em seu Twitter os novos integrantes – ou versões jovens – do grupo mutante:

Sophie Turner é Jean Grey

tu

Alexandra Shipp é Tempestade

sjipp

Tye Sheridan é Ciclope

tye-sheridan-70th-venice-film-festival-06

Escolhas interessantes… A trama do filme se ambientará nos anos 80, e trará a equipe de Charles Xavier (James McAvoy) enfrentando o mutante Apocalypse (papel de Oscar Isaac). Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Hugh Jackman, Nicholas Hoult, Channing Tatum e Evan Peters estão no elenco.

X-Men: Apocalypse estreia em 27 de Maio de 2016.