Arquivo para quebrando tudo

| Se Eu Ficar | Crítica

Posted in Críticas de 2014, Drama, DVD, Romance with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18 de dezembro de 2014 by Lucas Nascimento

1.0

IfIStay
Chloe Grace Moretz corre pelo hospital. Muito.

O que reside além da vida é o mistério definitivo desta. Só de se pensar nas infinitas possibilidades e as questões éticas, morais, metafísicas e sobrenaturais já é empolgante. Como o assunto consegue ser tão entediante e sub como este Se Eu Ficar, é algo digno de reconhecimento.

A trama é baseada no livro homônimo de Gayle Forman, centrando-se na vida de Mia Hall (Chloe Grace Moretz), uma jovem aprendiz que sonha em ser uma grande violocentista. Quando um acidente de carro a coloca em um coma, seu espírito vagueia pelas lembranças de sua vida, relações amorosas e familiares – enquanto decide se seguirá em frente ou permanecerá no mundo mortal.

É uma premissa que já vimos inúmeras vezes, a diferença é que no filme de RJ. Cutter é muito mais sem graça e sem inspiração. Os eventos que a jovem protagonista enfrenta são todos clichês (“devo ir à faculdade ou ficar com o namorado? Ele gosta de rock, eu de música clássica…”), idealizados e com apego barato ao espectador, que é forçado a engolir uma história de amor patética e sonolenta. O roteiro de Shauna Cross até consegue ser pontualmente envolvente quando traz referências musicais interessantes, mas falha ao fornecer força à sua mensagem: nos enche de frases feitas e recorre à colagens de flashbacks da família de Mia, só para atingir uma catarse que falha em decorrência de sua abrupta cena final.

E Chloe Grace Moretz, outrora tão promissora em filmes como Kick-Ass: Quebrando Tudo e Deixe-me Entrar parece estar se acomodando ao ordinário. Sua performance como Mia é boa e tem seus momentos – e a jovem realmente parece ter aprendido a tocar violoncelo, o que é impressionante – mas nada realmente incrível, além de ficar correndo o tempo todo por corredores do hospital. Outra que também prometia muito, Liana Liberato sai de sua performance corajosa e memorável em Confiar para a “melhor amiga” mais desinteressante da História. Só se salva Mireille Enos (da série The Killing), atriz cada vez mais forte em personagens coadjuvantes (você deve tê-la visto como “a esposa” em Guerra Mundial ZCaça aos Gângsteres) e que precisa urgentemente ganhar um papel de protagonista no cinema.

Se Eu Ficar é um drama melancólico, sem graça e tão sem vida quanto sua protagonista desinteressante. Constantemente tenta provocar uma catarse no espectador, mas a única reflexão que me fez enquanto assistia ao filme é se eu iria aguentar ficar até o final.

Anúncios

Primeiro pôster e trailer de KINGSMAN: THE SECRET SERVICE

Posted in Notícias with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 20 de maio de 2014 by Lucas Nascimento

The-Secret-Service-EW-20mai2014-07

Você pode não ter ouvido falar ainda, mas é melhor ficar de olho. Depois de Kick-Ass: Quebrando Tudo e X-Men: Primeira Classe, o cineasta Matthew Vaughn prepara Kingsman: The Secret Service, adaptação dos quadrinhos de Mark Millar (o mesmo de Kick-Ass e O Procurado) que envolve um jovem rebelde sendo treinado por seu tio para ser um espião. Ah, e a história se passa na Inglaterra.

James Bond feelings? Vaughn já havia brincado com o conceito com seu Magneto no prequel dos X-Men, e tudo indica que teremos mais um divertidíssimo filme aqui. Confira o primeiro pôster:

kingsman_p1

O elenco traz ainda Colin Firth, Michael Cane, Mark Strong Adele e Samuel L. Jackson.

Kingsman: The Secret Service estreia em 17 de Outubro no Reino Unido.

ATUALIZAÇÃO: Agora com o primeiro trailer:

KICK-ASS 2 é oficializado

Posted in Notícias with tags , , , , , on 8 de maio de 2012 by Lucas Nascimento

Ninguém esperava, hein? A continuação do divertidíssimo Kick-Ass: Quebrando Tudo foi oficializada e suas filmagens devem começar em Agosto. A direção fica a cargo de Jeff Wadlow (que substitui Matthew Vaughn, ocupado com a sequência de X-Men: Primeira Classe) e as negociações com o elenco original já foram iniciadas.

Mas já aviso: sem Chloe Grace Moretz como Hit-Girl, o filme não será a mesma coisa!

Sangue no Gelo: Especial DEIXE-ME ENTRAR

Posted in Especiais with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25 de janeiro de 2011 by Lucas Nascimento

O remake do melhor filme sobre vampiros já feito enfim chega no Brasil, depois de quase 4 meses de atraso. Anseio muito pelo longa, acompanhem abaixo o primeiro especial do ano:

Desde que o projeto foi anunciado, foi massacrado e mal encorajado; principalmente pela já existente qualidade do original (pra quê refazer?) e o medo de transformá-lo em um Crepúsculo da vida. Felizmente, o diretor Matt Reeves não queria mudar nada da história, apenas dar seu toque pessoal e homenagear o original.

O remake foi desaprovado por Tomas Anderson (diretor de Deixe Ela Entrar), consistindo em como era uma refilmagem desnecessária. Entretanto, os direitos foram adquiridos e Reeves começou as filmagens, movendo a trama de Estocolmo para o Novo México. O cineasta também pediu para o elenco principal não assistisse ao original, para que sua versão não fosse uma mera cópia do filme sueco.

Apesar de manter fidelidade à obra e ao filme original, Reeves comentou em entrevistas sobre alguns elementos acrescentados na trama e detalhes visuais. A fotografia por exemplo, é mais escura e quente do que a gelada e branca paisagem sueca. A sombria trilha sonora ficou sob cargo do vencedor do Oscar do ano passado Michael Giacchino.

Deixe-Me Entrar estreou nos EUA em 1º de Outubro, rendendo muito pouco e ficando em 8º lugar no ranking de bilheteria da semana. Apesar disso, o longa foi incrivelmente bem recebido pela crítica, que duvidava da qualidade do filme.

O autor do livro em que se baseiam ambos os filmes, John Ajvide Lindqvist, ficou muito orgulhoso e aprovou os dois filmes, afirmando que possuem similaridades mas também características próprias.

 

Abby (Chloe Moretz)

 Com mais de 250 anos de idade, a vampira Abby se muda com seu servo para o Novo México, onde procura fazer mais vítimas. Ela se torna amiga do tímido Owen e logo se interessa nele. Mas suas intenções nunca são claras.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Owen (Kodi Smith-McPhee)

 Solitário e distante de seus pais, o frágil Owen sofre com o bullying cruel em sua escola, sempre imaginando uma vingança cruel contra os agressores. Tudo muda quando ele conhece Abby e se apaixona, sem saber que ela é uma vampira assassina.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Pai (Richard Jenkins)

 Misterioso guardião de Abby, nunca têm seu nome ou origem revelada, apesar de muitos o confundirem como pai da jovem. A noite, sai para matar estranhos e coletar sangue para sua protegida.

 

 


Bullying e suas consequências

A história de Abby e Owen/ Eli e Oskar não limita-se a um simples conto de vampiros, mas também retrata de maneira realista e cruel o bullying e suas consequências nas vítimas.

As cenas em Deixa ela Entrar são muito fortes e frias e o cineasta também mostra o medo de Oskar em relatar para sua mãe – sempre distante – as agressões sofridas. A consequência é o interesse do menino em violência e assassinatos, recortando manchetes de jornais e jurando falsas ameaças com uma faca, sempre imaginando vingança. Sutil, mas muito eficiente, como Matt Reeves acrescentou elementos como a máscara (acima, na foto) e o voyerismo, visto no trailer.


Amor, interesse ou ambos?

E (spoiler se você não viu o filme original!) isso é ótimo para a vampira Eli, que encontra nesse frágil garoto, um futuro serial killer que possa substituir seu cansado guardião e continuar matando para ela, para sempre. Essa é uma das interpretações que o fim do longa apresenta; a outra, seria simplesmente o amor entre os protagonistas ou até mesmo, ambas.

As principais características do vampiro clássico:

Sangue

Você deve achar meio óbvio mas, vampiros se alimentam de sangue..! Isso mesmo, sem esse milagroso tecido líquido que corre pelo sistema vascular de todos os vertebrados, os dentuços não podem sobreviver.

Presas

Que saudade das icônicas presas! Nem Crepúsculo nem Deixa ela Entrar preservou a principal ferramenta para extração de sangue, que também era a assinatura dos vampiros. Só a série True Blood parece ter se lembrado delas.

Idade

Acho que essa serve para praticamente todas as caracterizações vampirescas já produzidas; as criaturas não envelhecem e nunca morrem de causas naturais. Possuem a aparência que tinham ao se tornar vampiros.

Luz do Sol

Eu acho a invenção da Stephanie Meyer ridícula. Vampiros clássicos não brilham na luz da sol, eles pegam fogo; o que é a principal justificativa de serem considerados criaturas noturnas.

Deixe-me entrar

Não sou muito expert no assunto, por isso não sei se o elemento que nomeia tanto Deixa ela Entrar quanto Deixe-Me Entrar já fazia parte das “tradições vampirescas”, mas acho genial. Se o vampiro entrar em algum lugar sem permissão, o resultado não é nada agradável

Estaca

A maneira mais famosa de liquidar um vampiro curiosamente não aparece em nenhuma das adaptações atuais sobre as criaturas. Muito sutil: uma estacada no coração acaba com o sanguessuga.

Alho

Pode parecer absurdo e bobagem, mas o alho é acolhido por muitas obras de ficção e literatura como uma arma eficáz contra vampiros, ajudando a repeli-los.

O grande trunfo de Deixa ela Entrar – e ele deve ser respeitado no remake – é a atmosfera, o tom criado pelo diretor. É um longa quieto, mas com uma crescente sensação de perigo se alastra sobre os personagens. Alguns exemplos de outros filmes com esse genial elemento:

Sinais

Grande parte do mérito vai para a inquietante trilha sonora de James Newton Howard, que tempera de maneira sombria esse silencioso filme de alienígenas. É um filme silencioso, os personagens sempre acompanham os eventos da invasão (que nunca é detalhada) pela televisão, o que faz o espectador imaginar como estaria o mundo fora desta pequena fazenda.

Janela Indiscreta

Mesmo sendo mais divertido do que a maioria de seus representantes no assunto, o clássico de Hitchcock é um eficáz suspense que consegue formar o tom apropriado por dois motivos básicos: o fato de o filme inteiro se passar no apartamento de James Stuart e a premissa; um vizinho assassino, que ajuda a criar a sensação de perigo em todo lugar.

Zodíaco

Reforçando a sensação de perigo de Janela, o retrato do serial killer que aterrorizou São Francisco nos anos 60 é inquietante por a) se tratar de um caso policial verídico que nunca teve o culpado capturado; b) pela fotografia escura e a direção de David Fincher, especialmente no ataque do taxi que começa com uma pessoa qualquer chamando-o e passa para um longo plano-sequência do taxi percorrendo a cidade. Brilhante.

Sem dúvida a mais talentosa atriz mirim da atualidade, a jovem Chloe Grace Moretz encara um papel mais interessante do que o outro, sempre interpretando personagens fortes e memoráveis.

Nascida em Fevereiro de 1997, começou com papeis pequenos na televisão, em seriados e telefilmes, até chamar a atenção em 2005 no remake Horror em Amityville, onde foi indicada ao Young Artist Awards. Depois de papeis de mais destaque em filmes maiores (porém mais fracos), Moretz contracenou com Joseph Gordon Levitt em (500) Dias com Ela, fazendo o papel da irmã do protagonista.


Hit-Girl: Até agora, sua performance mais memorável

Mas a bomba estourou em 2010, quando a atriz estrelou Kick-Ass: Quebrando Tudo, no papel da polêmica vigilante de 12 anos Hit-Girl. Grande performance, carismática e natural, foi elogiada por todos que assistiram o filme. E também, Deixe-Me Entrar, mais um grande papel e sua atuação foi muito bem recebida.

Confira abaixo seu teste para a vampira Abby:

Fiquem de olho nessa menina, têm talento e carisma e promete ser um dos grandes nomes de Hollywood no futuro.

Confiram abaixo o vídeo sobre o filme que montei já faz uns dois meses. Aproveitem.

Bem, o especial acaba aqui, mas não deixe de ler a crítica, que deve ser publicada na Sexta-Feira.

2010: Os Melhores e os Piores

Posted in Melhores do Ano with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 20 de dezembro de 2010 by Lucas Nascimento

 

Mais um ano chega ao fim e, novamente, chega aquele glorioso período de escolher quais foram os melhores e os piores filmes do ano. Vamos lá:

30 – O Último Mestre do Ar

 E será esse o último prego no caixão de M. Night Shyamalan? Sua adaptação para o cinema do desenho da Nickelodeon é um filme terrível, mal executado e completamente desinteressante. Quanto menos dizer, melhor. Ficha técnica

Melhor Cena: Os créditos finais.

29 – Premonição 4

Bem, aí está mais um filme que não deveria existir. Assim como Jogos Mortais, a franquia sobre adolescentes babacas que fogem da Morte já deveria ter acabado. As mortes já deixaram de ser criativas, só o 3D ajuda (um pouco). Ficha técnica

Melhor Cena: SPOILER: Quando os insuportáveis protagonistas morrem na cena final.

28- O Aprendiz de Feiticeiro

 Aqui, mais uma tentativa ridícula de Jerry Bruckheimer iniciar uma franquia de sucesso. Limita-se a alguns efeitos visuais bacanas, mas de resto, copia descaradamente Harry Potter e acrescenta elementos de Dragonball. Ficha técnica

Melhor Cena: A perseguição de carros.

27- Resident Evil 4: Recomeço

 O que vale a pena aqui é o 3D do James Cameron; de resto, a franquia baseada nos videogames de zumbi não caminha pra frente, é arrastada e cansativa. Apesar de algumas cenas de ação (cópias de Matrix), não vale muito a pena. Ficha técnica

Melhor Cena: A luta contra o Executor.

26 – O Lobisomem

Prometendo devolver os dias de glória à clássica criatura (enquanto Crepúsculo brinca com seus conceitos), O Lobisomem capricha na maquiagem e na fotografia, mas erra na narrativa pedestre e no clímax ridículo. E por favor, chega de briga de lobisomens! Ficha técnica

Melhor Cena: A fuga do Lobisomem do Parlamento.

25 – Alice no País das Maravilhas

Grande decepção do ano, mostra que Tim Burton se perdeu completamente nos visuais – magníficos – da nova versão do livro de Lewis Carrol. O problema aqui é o roteiro, que simplesmente não empolga e soa muito incoerente. Mas vale a descoberta da carismática Mia Wasikowska. Ficha técnica.

Melhor Cena: O flashback que mostra a primeira visita de Alice.

24- Fúria de Titãs

 As boas cenas de ação falam mais alto do que a história fraca. Além disso, o elenco promissor é muito mal aproveitado e seus personagens completamente sem afinidade ou apego ao público. Ficha técnica.

Melhor cena: A luta contra Medusa.

23 – Demônio

Partindo de uma excelente premissa, o suspense idealizado por M. Night Shyamalan é um longa razoável e assistível, mas deveria ousar, evitar clichês e contratar um elenco mais talentoso. Ficha técnica.

Melhor cena: Quando um eletricista tenta descer no poço do elevador. Bem arrepiante.

22 – Shrek Para Sempre

 Decepcionante para um “capítulo final”, não alcançando a qualidade dos dois primeiros filmes, mas ainda assim, diverte e entretem. Ficha técnica

Melhor cena: O flashback no começo do filme.

21- A Saga Crepúsculo – Eclipse

 

 A maioria acha que a franquia fica melhor aqui. Eu discordo, ela anda pra trás; ou melhor, não anda. Nada demais acontece em Eclipse, mas aprecio como o diretor David Slade deu um toque mais sombrio e mais ação. Ficha técnica

Melhor Cena: A batalha dos Recém-Transformados contra os Lobos.

20- Piranha 3D

 Olha só que surpresa; não só eu não esperava assistir Piranha, eu não esperava gostar do filme. Trash assumido, é muito vulgar, superficial e divertido, não se levando a sério em nenhum momento. É uma porcaria boa. Ficha técnica

Melhor Cena: O “balé aquático”.

19 – Predadores

 

Partindo de uma ótima premissa, o retorno dos Predadores ao cinema deveria ter resultado em um filme melhor, limitando-se a fracas cenas de ação e um roteiro muito fraco. Os personagens e os atores, porém tornam o filme suportável durante sua curta projeção. Ficha técnica

Melhor cena: A cena em que os três predadores aparecem pela primeira vez é icônica.

18 – Tron: O Legado

Provando ser mais um Alice o novo Tron sacrifica história e personagens pelo espetacular visual e ótimos efeitos visuais (com exceção do Clu, claro), rendendo um filme mediano, falho, mas assistível. Destaca-se aqui a belíssima e talentosa Olivia Wilde. Ficha técnica

Melhor Cena: A radical corrida de motos luminosas.

17- Esquadrão Classe-A

O que torna essa adaptação de série de TV tão memorável e divertida é o fato de ela não se levar a sério em momento algum, resultando em cenas de ação improváveis e estúpidas. O elenco principal e seu entrosamento em cena é excelente, mas o longa precisava de uma trama melhor. Ficha técnica.

Melhor Cena: O tanque voador é de ficar na memória.

16- A Ressaca

Com 2010 fraco em comédias, o non-sense toma conta dessa aventura-ficção científica que mostra um grupo de amigos viajando no tempo em uma banheira. As piadas são muito boas, as situações envolvendo os costumes dos anos 80 são divertidas e nostálgicas. Ficha técnica

Melhor Cena: Quando a aposta envolvendo o resultado de um jogo de futebol americano dá errado e dois amigos têm que pagar o preço…

15 – Homem-de-Ferro 2

Na minha opinião a grande decepção do ano. Homem-de-Ferro 2 não é um filme ruim, mas é quase incomparável com o primeiro filme em muitos aspectos; cenas de ação, personagens – aqui há pouco tempo para o grande elenco – e história, que tenta ser madura mas desiquilibra nas doses de piadas espirituosas (o roteirista pensou que isso era uma comédia, só pode ser) e reviravoltas desconexas. Robert Downey Jr. segura o filme e rouba a cena mais uma vez. Ficha técnica

Melhor Cena: O confronto com Ivan Vanko em Mônaco.

14- A Hora do Pesadelo

Odiado por quase 90% dos críticos do mundo todo, o remake de A Hora do Pesadelo funciona pra mim. Alterando o tom para um thriller mais adulto e sério – mas nunca esquecendo-se do longa original -, o serial killer que ataca nos sonhos ganha um retrato digno, apesar de seu potencial não ter sido explorado ao máximo. Ficha técnica

Melhor Cena: A cena final, homenageia bem o original.

13 – Atividade Paranormal 2

A fórmula de [REC]² pode ser aplicada aqui também; aprimora os elementos do original, mas ao contrário da franquia espanhola, o segundo filme supera infinitamente o primeiro. Elenco melhor, estética e visuais melhores e um roteiro esperto que une de forma dinâmica os dois filmes. Ficha técnica

Melhor Cena: É um susto, se eu revelar qual é, perde a graça certo?

12- REC 2: Possuídos

Continuação de um dos melhores filmes de terror da década, [Rec]2 transforma o medo e a simplicidade de seu antecessor em um longa de ação sobrenatural que aprimora os elementos visuais e técnicos de produção, resultando em um excelente filme que é quase imprevisível. Ficha técnica

Melhor Cena: Quando um dos policiais, Larra, encara sozinho alguns dos infectados.

11 – Machete

Viva grindhouse! Provando que filmes trash podem ser a nova onda, Robert Rodriguez dá vida ao trailer falso de Machete, em um filme repleto de violência gore, exageros e nudez; tudo com muito bom humor e uma trama que, surpreendentemente, é coesa e sustentável, abordando temas como a imigração ilegal. Ficha técnica

Melhor Cena: A fuga do hospital, com destaque para a “corda” usada pelo personagem título para pular de uma janela.

10 – Sherlock Holmes

Depois de divertir plateias e a sim próprio em Homem-de-Ferro, Robert Downey Jr. encarna o detetive mais famoso do mundo, em uma aventura instigante, tecnicamente impecável e com a esperta direção de Guy Ritchie, é o ínicio de uma promissora franquia. Ficha técnica

Melhor Cena: Holmes calculando seus movimentos em uma luta de bar.

9 – Zumbilândia

Assumindo-se como uma éspecie de Todo Mundo Quase Morto americano, a paródia ao popular gênero dos mortos-vivos é extremamente divertida, agradável e conta com um entrosamento de elenco sensacional, com destaque para o Talhahassee de Woody Harelson. A sequência, aliás, os roteiristas estão devendo… Ficha técnica

Melhor Cena: “God Damn it! Bill fucking Murray!”

8 – Ilha do Medo

Um raro suspense na carreira de Scorsese, o sombrio e perturbador Ilha do Medo é um trabalho excepcional de direção, roteiro, fotografia (sensacional) e uma performance brilhante de Leonardo DiCaprio, que protagoniza uma das maiores reviravoltas do ano. Ficha técnica

Melhor Cena: O final, quando Teddy descobre a assustadora verdade sobre a Ilha Shutter.

7- Toy Story 3

Arriscando-se em fazer uma segunda continuação para a saga dos brinquedos, a Pixar um de seus melhores e mais emocionantes trabalhos, que equilibra perfeitamente fortes emoções e piadas divertidíssimas em uma trama honesta e memorável. Ficha técnica

Melhor Cena: A cena da fornalha, de dar nó na garganta…

6 – Tropa de Elite 2 – O Inimigo agora é Outro

Grande ápice do cinema nacional desde… Tropa de Elite. A equipe do filme anterior trabalha dobrado e gera um filme impressionante que faz um poderoso retrato do Brasil atual, política e ainda entretém com um excelente diálogo e a sempre espetacular performance de Wagner Moura como o icônico Coronel-capitão Nascimento. Ficha técnica

Melhor Cena: A emboscada sofrida por Nascimento.

5 – Kick-Ass: Quebrando Tudo

Finalmente chega às telas uma amostra do que seria se tornar um super-herói na vida real. Claro, da metade para o fim o longa se transforma em uma saga exageradamente divertida de ação e violência (vide a icônica Hit-Girl), mas os momentos iniciais do filme são puro brilhantismo na desconstrução do super-herói. Ficha técnica

Melhor Cena: Kick-Ass enfrentando uma gangue em sua primeira aparição pública.

4 – Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1

Dizer que Harry Potter está cada vez mais sombrio e adulto é clichê, mas é a pura verdade. O diretor David Yates presta um serviço memorável à primeira parte da conclusão da franquia do bruxo adolescente, fornecendo ao filme uma direção ousada, artística e performances intensas do trio principal; fazendo do longa mais do que um prelúdio. Ficha técnica

Melhor Cena: A armadilha em Godric’s Hollow.

3 – Scott Pilgrim contra o Mundo

Provavelmente a adaptação de quadrinhos mais fiel já feita e também uma das mais divertidas e satisfatórias. Scott Pilgrim é uma aventura clássica e com emoção genuína, cuja estrutura de videogame, visual onírico dinâmico, roteiro pop e elenco perfeito compõe uma obra perfeita que dá um “K.O.” no espectador. Ficha técnica

Melhor Cena: Poucas vezes o cinema conseguiu traduzir para as telas uma cena de quadrinhos de maneira tão autêntica e divertida como a luta de Scott contra o Primeiro Ex-Namorado do Mal.

2 – A Rede Social

O filme que faz uma crítica poderosa da sociedade internet ao contar a história sobre a rede social Facebook é impressionante. Seu roteiro ágil repleto de diálogos estrondosos é impecável, o elenco jovem é sensacional e David Fincher comanda todos esses elementos com grande talento e habilidade, que podem lhe render seu primeiro (e merecido) Oscar. Ficha técnica

Melhor Cena: O antológico discurso de Eduardo Saverin ao descobrir que foi traído por Mark.

1 – A Origem

O filme mais comentado e discutido de 2010. Comprovando mais uma vez o imenso talento do grande Christopher Nolan, A Origem quebra barreiras e apresenta o roteiro mais original e complexo da década, mesclando conceitos inteligentes com espetaculares cenas de ação, efeitos visuais versáteis e um final ambíguo que ficará plantado na memória do espectador, assim como o magnífico filme. Ficha técnica

Melhor Cena: Ariadne escapando pelos chutes sincronizados é uma das cenas mais espetaculares que o cinema recente já produziu.

Melhor Ator do ano: Jesse Eisenberg (A Rede Social)

No papel de Mark Zuckerberg, o jovem Jesse Eisenberg mostra seu imenso talento para personagens dramáticos, conseguindo passar mais do que a imagem de “ator de comédia”. Sempre sério, nunca demonstra suas reais intenções ou sentimentos, tornando Zuckerberg um sujeito imprevisível e praticamente isolado de confraternizações sociais.

Cena essencial: Sua reação por telefone ao saber o que acontece com Sean Parker no fim do filme.

Melhor Atriz do ano: Chloe Moretz (Kick-Ass)

O manto de Hit-Girl, assassina letal de 11 anos de idade não poderia ser assumido por alguém além de Chloe Moretz. Sempre carismática, divertindo-se em cena, também domina os poucos momentos dramáticos. Eu não tenho dúvidas, Moretz é a melhor atriz mirim da atualidade. 

Cena essencial: SPOILERS! Na morte de Big Daddy, a atriz mostra que também tem grande potencial dramático.

Os 5 Melhores em Vídeo

Confira aqui a edição que fiz com os 5 melhores filmes do ano! Deu muito trabalho e espero que gostem:

Bem, esses foram os filmes do ano; em 2011 tem mais, por isso não percam o Preview 2011, que será lançado no começo de Janeiro. Fiquem ligados, estarei publicando posts até o Natal. Até!

Análise Blu-ray: KICK-ASS: QUEBRANDO TUDO

Posted in Análise Blu-ray with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 14 de novembro de 2010 by Lucas Nascimento

Sessão nova! Aqui é simples: uma análise sobre alguns filmes em blu-ray, levando em consideração os extras disponíveis. Na primeira análise, teremos o grande:

O Filme:

imagem de blu-ray.com

 

Nem preciso comentar o quanto gostei de Kick-Ass: Quebrando Tudo, mas assisti-lo no HD do Blu-ray é ainda melhor; o som é ótimo, a imagem é excelente (as cenas noturnas perdem alguns pontos, no entanto) e o filme espetacular. Crítica.

Extras:

Comentário em Áudio de Matthew Vaughn

Mesmo não sendo dos mais animados, o diretor Matthew Vaughn comenta vários detalhes sobre o filme enquanto ele passa, sua obsessão pela estética e elementos secundários que passam despercebidos (como a cor laranja sempre presente no personagem de Mark Strong).

Um Novo tipo de Super-Herói: Os Bastidores de Kick-Ass

imagem de blu-ray.com

Dividido em 4 partes, esse longo documentário acompanha desde o desenvolvimento da ideia do personagem até o lançamento do filme em Londres. Ótima abordagem, muitos detalhes e entrevistas favoráveis, que mostram como a ausência de um estúdio foi boa para a liberdade criativa, mas limitou algumas ideias.

Vale também o treinamento físico dos atores, principalmente a exaustiva preparação de Chloe Grace Moretz para o papel de Hit-Girl. O making-of ainda mostra a montagem do filme, o trabalho dos 4 compositores da trilha sonora e conturbada mixagem de som. Mas o resultado, vale a pena.

Chegou! A Origem da História em Quadrinhos de Kick-Ass

Com grande foco no bem humorado Mark Millar, o autor da HQ Kick-Ass explica as inspirações para a história – Big Daddy e Hit-Girl seriam os únicos personagens – e sua empolgação com o projeto. Chama atenção também o trabalho do ilustrador John Rommita Jr. e dos coloristas.

A Arte de Kick-Ass

Aqui temos 5 galerias que mostram storyboards, fotos do set, de figurinos e alguns designs de produção. Good Stuff.

Nota Geral:

O Blu-ray ainda não está disponível para venda, apenas locação. O lançamento acontece em Janeiro de 2011 e custará R$ 79,90. Indispensável.

Sequência de Kick-Ass confirmada nos cinemas

Posted in Notícias with tags , , , , , , , , , on 1 de setembro de 2010 by Lucas Nascimento

  Preview que mostra Hit-Girl treinando Kick-Ass

É com grande prazer que anuncio para vocês leitores, que a sequência de Kick-Ass: Quebrando Tudo já está confirmada nos cinemas. O filme arrecadou 100 milhões de dólares mundialmente, mas rendeu uma impressionante quantia com a venda dos DVDs (obrigado à aqueles que contribuíram).

 A HQ entitulada Balls to the Wall começa a ter suas edições lançadas este mês; o criador Mark Millar disse que a produção do filme deve começar em breve, já que os atores não podem envelhecer demais, após Matthew Vaughn terminar X-Men: First Class.

A sequência envolverá equipes de super-heróis, uma Hit-Girl “domada” treinando o herói principal e um plano de vingança de Red Mist.