Arquivo para sinopse

Novo trailer de O DESTINO DE JÚPITER

Posted in Trailers with tags , , , , , , , , on 26 de março de 2014 by Lucas Nascimento

JUPITER ASCENDING

A nova ficção científica de Andy e Lana Wachowski (primeiro trabalho original da dupla desde a trilogia Matrix) acaba de ganhar seu segundo trailer. O Destino de Júpiter aposta em uma trama excessivamente fantasiosa e povoada por figuras bizarras, protagonizado por Channing Tatum e Mila Kunis. Confira:

A sinopse gigante é a seguinte:

“Na trama, Jupiter Jones (Mila Kunis) nasceu sob um céu noturno, com sinais que previam grandes acontecimentos em sua vida. Já crescida, a mulher sonha com as estrelas, mas tem que despertar para a realidade fria de seu trabalho como limpadora de banheiros. É só quando Caine (Channing Tatum), um ex-militar geneticamente modificado, chega à Terra para caçá-la que Jupiter começa a ter uma ideia do destino que a esperava o tempo todo – sua assinatura genética a marca como a legítima herdeira da Rainha do Universo, o que pode alterar o equilíbrio do cosmos.”

O Destino de Júpiter estreia no Brasil em 7 de Agosto.

Primeiro trailer de JUPITER ASCENDING

Posted in Trailers with tags , , , , , , , , , on 9 de dezembro de 2013 by Lucas Nascimento

jupiter

Depois de acertar em cheio com Matrix, os irmãos Andy e Lana Wachowski nunca mais conseguiram provocar o mesmo barulho. Se dedicaram à adaptações de materiais já existentes, mas pela primeira vez desde o fim da trilogia de Neo, os Wachowski apresentam uma ficção científica original. A sinopse oficial é a seguinte:

“Na trama, Jupiter Jones (Mila Kunis) nasceu sob um céu noturno, com sinais que previam grandes acontecimentos em sua vida. Já crescida, a mulher sonha com as estrelas, mas tem que despertar para a realidade fria de seu trabalho como limpadora de banheiros. É só quando Caine (Channing Tatum), um ex-militar geneticamente modificado, chega à Terra para caçá-la que Jupiter começa a ter uma ideia do destino que a esperava o tempo todo – sua assinatura genética a marca como a legítima herdeira da Rainha do Universo, o que pode alterar o equilíbrio do cosmos.”

Será que vai prestar? Confira o trailer:

Jupiter Ascending estreia em 25 de Julho nos EUA.

| Elysium | Não faltam boas ideias ao diretor de Distrito 9. Falta organização

Posted in Ação, Cinema, Críticas de 2013, Ficção Científica with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 19 de setembro de 2013 by Lucas Nascimento

3.0

ely
Ouvi dizer que o Homem de Ferro está em Elysium…

Em 2009, o diretor sul-africano Neil Blomkamp surpreendeu o mundo com seu Distrito 9. Bem pensada e repleta de comentários sociais, a ficção científica de orçamento modesto foi indicada ao Oscar de Melhor Filme e garantiu ao diretor a oportunidade de nos impressionar novamente com suas ideias; agora com muito mais dinheiro. O problema com Elysium certamente não é a falta de ideias, mas a abundância destas.

A trama é ambientada na Los Angeles de 2154, onde os humanos estão divididos em duas classes: os menos afortunados vivem em uma desolada e morimbunda Terra, já os ricos e poderosos habitam a estação espacial que dá nome ao filme. Nesse cenário, o pacato Max (Matt Damon, sempre carismático) é forçado a invadir o local para encontrar a salvação, após ser exposto a uma radiação mortal que lhe tirará a vida em 5 dias.

É sempre bom quando um blockbuster resolve trazer um pouco de conteúdo em meio a explosões e efeitos visuais. Da mesma forma como elaborou uma criativa alegoria com o Apartheid em seu longa anterior, Blomkamp acerta ao trazer a questão sócio-econômica para um contexto de ficção científica que lhe permite brincar com diferentes situações e visuais: o design de produção acerta ao diferenciar a tecnologia clean e “estilo Apple” dos armamentos, próteses e aparelhos quase orgânicos que encontramos nas favelas terrestres. Os efeitos visuais também são de uma qualidade ímpar e que funcionam muitíssimo bem para gerar paisagens (a vista da Terra em Elysium é linda) ou para dar vida aos ciborgues que funcionam como uma espécie de polícia do planeta.

O problema é o excesso. O primeiro ato do filme é intrigante por nos apresentar a diversos elementos narrativos e, após tantos cortes e flashbacks intrusivos, o espectador se pergunta qual será o tratamento para lidar com essas histórias tão diferentes. Temos lá o dilema de Max, as intrigas internas dentro da administração de Elysium (onde sua chefe militar ganha um retrato impecável de Jodie Foster e de seu trabalhado sotaque francês), um clichê completamente descartável que envolve uma mãe (Alice Braga, cada vez mais habituada ao idioma e o gênero) lutando para salvar a filha doente e um vilão homicida com segundas intenções no meio. Quando vai chegando o fim, tudo se colide de forma absurda e cansativa – e a montagem de Julian Clarke e Lee Smith até tenta, mas não impede que o filme tenha a sensação de ser muito mais longo do que realmente é (quase não acreditei quando olhei no relógio e percebi que haviam se passado apenas 110 minutos).

Tamanhos esses problemas que fico triste ao ver as coisas excelentes do filme e desejar que o projeto tivesse um destino melhor. Os brasileiros certamente estão curiosos quanto ao desempenho de Wagner Moura e basta dizer que o intérprete do Capitão Nascimento está completamente surtado na pele do contrabandista Spider (cujo andar manco e perna robótica quase o tornam um “pirata espacial”). Mas quem rouba o filme todo é o Kruger de Sharlto Copley, um dos antagonistas mais fascinantes dos últimos anos: robô, espada samurai, metralhadora, armadura, pode falar que ele tem… A cada piração do personagem em cena, a vontade é de abraçar Blomkamp e Copley por essa criação maleficamente inspirada. O único problema é que suas cenas de luta com Max são prejudicadas pela câmera incompreensível e os cortes excessivos.

É triste ver Elysium alcançando um resultado mediano. Com ideias excelentes, elenco de primeira e uma produção impecável, o filme de Neil Blomkamp tinha potencial para se tornar um grande filme. Vamos torcer para que o diretor mude o quadro em seu próximo projeto.

Primeiro trailer de ELYSIUM, novo filme do diretor de DISTRITO 9

Posted in Trailers with tags , , , , , , , , on 9 de abril de 2013 by Lucas Nascimento

elysium

Lembram daquela maravilha que foi Distrito 9? Pois é, o diretor Neil Blomkamp promete mais uma ficção científica original e repleta de comentários sociais, Elysium. A trama retrata um futuro em que os humanos bem-sucedidos vivem em outro planeta (Elysium) deixando os pobres em uma decadente Terra. Nesse cenário, um homem (Matt Damon) tentará invadir Elysium e… Não se sabe muito mais além disso, e o trailer divulgado agora a pouco não vai além.

O que é bom, que as surpresas fiquem para o promissor filme. Confira (e reparem na participação do grande Wagner Moura):

Elysium estreia no Brasil em 20 de Setembro.

KICK-ASS 2 ganha trailer!

Posted in Trailers with tags , , , , , , on 13 de março de 2013 by Lucas Nascimento

561x4017

Um dos filmes mais aguardados por mim, Kick-Ass 2 enfim ganhou seu primeiro trailer! A sequência mostrará o personagem-título (Aaron Johnson) se aliando a uma organização nerd que combate o crime e reencontrando a mortal Hit-Girl (Chloe Grace Moretz), ao mesmo tempo em que o antigo inimigo Red Mist (Christopher Mintz-Plasse) retorna para uma cruel vingança.

A prévia traz pancadarias, palavrões e um cachorro mordendo os genitais de um homem – logo, é para maiores de 18 anos. Confira:

Músicas no trailer: “Infinity Guitars” do Sleigh Bells, “War” do Caspa e “Order in the Chaos” de Paul Leonard-Morgan

Kick-Ass 2 estreia no Brasil em 13 de Setembro.

| Moonrise Kingdom | Wes Anderson e a ingênua perda da inocência

Posted in Cinema, Comédia, Críticas de 2012, Drama, Indicados ao Oscar with tags , , , , , , , , , , , , on 12 de outubro de 2012 by Lucas Nascimento


Um Sonho de Liberdade: Na esperta referência, Edward Norton e seus escoteiros descobrem o sumiço de Sam

Nunca havia assistido a um filme de Wes Anderson antes deste Moonrise Kingdom. E só pela experiência deste longa sem título nacional, é possível notar no estilo único que o cineasta apresenta, como uma abordagem que beira o cartunesco em alguns momentos e  chama a atenção por sua bizarrice. Choque pela estética do diretor à parte, seu belo novo filme conseguiu surpreender a este que vos escreve.

A trama é ambientada em uma ilha da Nova Inglaterra em 1965, onde um jovem casal resolve fugir de suas famílias e abandonar as vidas infelizes que suportam. Em uma jornada por bosques e ilhas, eles descobrirão o amor verdadeiro.

Moonrise Kingdom não é um filme fácil de se vender. Levando em consideração a breve sinopse no parágrafo acima, não é de esperar grande (ou nova) coisa de tal premissa – afinal, já acompanhamos esse tipo de história incontáveis vezes. O diferencial é realmente o trabalho de Wes Anderson atrás das câmeras. Dotado de uma meticulosa estética visual, o diretor estabelece uma série de características que ajudam a tornar a trama interessante: longos travellings que apresentam os personagens, planos-detalhes que servem como sutil fonte de humor (reparem naquele que traz Bill Murray sentado à uma árvore) e outras gags com função dinamista – como a divertidíssima leitura de cartas.

É também de se observar as cores fortes que a fotografia de Robert D. Yeoman traz em grande parte da projeção. Dominada por tons ensolarados e suaves, a paleta confere verossimilhança ao universo criado a partir do roteiro de Roman Coppola e do próprio Anderson – repleto de casinhas com formas e cores bem definidas- e é justamente por estabelecer uma aura semi-infantil ao projeto que uma chocante concessão surge quando nos deparamos com um cão morto à flechadas, a chegada de uma assistente social (onde o tom quente é substituído por um mais azul mais frio) ou uma sequência consideravelmente forte envolvendo o casal protagonista.

O que nos leva ao principal tema abordado pelo longa: a perda da inocência. Sam e Suzy (os ótimos Jared Gilman e Kara Hayward, respectivamente) são duas crianças problemáticas nos quesitos de família e amizades e, envoltos em uma paixão inusitada, resolvem fugir, se esconder em uma floresta e se casar. Tudo isso, e ambos têm pouco mais de uma década de vida. Não é difícil encontrar as insinuações de descobrimento sexual aqui (Sam fura a orelha de Suzy com um anzol, e esta pede que faça o mesmo com a outra), mas essas são novamente bem camufladas pela direção de Anderson. Outro belo exemplo é o retrato do adultério, simbolizado aqui na forma de um cigarro.

Trazendo um impecável elenco cheio de rostos conhecidos (dentre os quais, Edward Norton e Bruce Willis se destacam), Moonrise Kingdom oferece uma bela reflexão e uma experiência única e difícil de se rotular. Humor e drama se misturam em uma narrativa dinâmica e fora do comum, características que devem se aplicar a todos os trabalhos de Wes Anderson.

Bem, ele acaba de ganhar mais um admirador de seu trabalho.

Primeira Olhada | DJANGO LIVRE

Posted in Primeira Olhada with tags , , , , , , , , , , , on 10 de junho de 2012 by Lucas Nascimento

O novo filme de Quentin Tarantino ganhou seu primeiro trailer. Django Livre é sua entrada no gênero de faroeste, em uma trama que envolve a parceria entre um caçador de recompensas e um escravo recém-libertado, enquanto cruzam o Sul dos EUA atrás de criminosos destestáveis. Se isso não é suficiente para empolgar, o trailer faz um bom trabalho nesse quesito:


O primeiro encontro entre Schultz e Django

Ao som de “Ain’t no Grave” de John Cash e “The Payback” de James Brown, acompanhamos um grupo de escravos sendo transportado. É quando Schultz (Christoph “Landa” Woltz, barbudo) encontra e liberta Django (Jamie Foxx, que promete sair do buraco) e ambos formam uma aliança para encontrar os irmãos Brittle. O diálogo é afiadíssimo, como de costume nos filmes de Tarantino, e o visual é muito bonito (Robert Richardson retorna como diretor de fotografia).


Yes! Leonardo DiCaprio encarna o maléfico Calvin Candie

Mas o grande destaque do trailer, em minha opinião, é o Calvin Candie de Leonardo DiCaprio. Primeiro vilão na carreira do ator, o colecionador de escravos surge urrando de felicidade, com um cavanhaque bizarro e soltando belos bordões (“vocês já tinham minha curiosidade, agora têm minha atenção” já se fixou na memória), e certamente promete roubar o filme. É muito cedo para especular, mas aposto no primeiro Oscar para o ator, como coadjuvante.


Schultz e Django na pose ‘bad-ass’

Django Livre promete muito. Não tenho tanto o que comentar, gostei muito do trailer e ele consegue impressionar por si próprio. O foda vai ser esperar até 18 de Janeiro de 2013…

DJANGO LIVRE ganha pôster

Posted in Notícias with tags , , , , on 12 de abril de 2012 by Lucas Nascimento

O novo filme de Quentin Tarantino, Django Livre, ganhou hoje seu primeiro pôster. A arte é inteligentemente inspirada no trabalho de Saul Bass, confira:

A sinopse oficial, liberada pela Sony Pictures:

Ambientado no sul dos Estados Unidos dois anos antes da Guerra Civil, Django Livre  é estrelado pelo vencedor do Oscar, Jamie Foxx, como Django, um escravo cujo histórico brutal com seus ex-senhores o coloca cara a cara com o caçador de recompensas alemão, Dr. King Schultz (o vencedor do Oscar, Christoph Waltz). Schultz está no encalço dos sanguinários irmãos Brittle, e Django é o único que pode levá-lo à sua recompensa. Heterodoxo, Schultz compra Django com a promessa de alforriá-lo assim que capturar os Brittle – mortos ou vivos.

O sucesso leva Schultz a libertar Django, embora os dois optem por não seguirem caminhos separados. Em vez disso, Schultz caça os criminosos mais perigosos do sul dos EUA tendo Django ao seu lado. Aperfeiçoando suas habilidades vitais de caça, Django permanece focado em um único objetivo: encontrar e resgatar Broomhilda (Kerry Washington), a esposa que ele havia perdido para o tráfico de escravos há muito tempo. A busca de Django e Schultz acaba levando-os até Calvin Candie (Leonardo DiCaprio), o proprietário de “Candyland”, uma fazenda abominável onde os escravos são preparados pelo treinador Ace Woody (Kurt Russell) para lutarem entre si por esporte.

Explorando a fazenda sob falsos pretextos, Django e Schultz despertam a desconfiança de Stephen (Samuel L. Jackson), o fiel escravo doméstico de Candie. Suas manobras são percebidas, e uma organização traiçoeira fecha um cerco ao seu redor. Se Django e Schultz quiserem escapar levando Broomhilda, eles precisam escolher entre a independência e a solidariedade, entre o sacrifício e a sobrevivência…

Sem palavras. Preciso. Assistir. O. Mais. Rápido. Possível.

Django Livre estreia no Brasil em 18 de Janeiro.

Esta semana nos cinemas… (06/04)

Posted in Esta Semana nos cinemas with tags , , , , , , , , on 5 de abril de 2012 by Lucas Nascimento

Uma bruxa narcisista, uma jovem adulta, e um grupo de ambientalistas marcam as estreias desta semana nos cinemas do Brasil. Confira:

ESPELHO, ESPELHO MEU

Sinopse: Lily Collins vive a princesa exilada Branca de Neve e é perseguida pela Rainha Má, que governa o reino sem piedade. Na sua luta para conquistar o trono a que tem direito e também para ganhar o coração do príncipe encantado, Branca de Neve contará com a ajuda dos leais e destemidos sete anões nessa aventura fantástica cheia de romance, rivalidade e muito humor.

Censura: Livre

Vontade de ver: 1/5

JOVENS ADULTOS

Sinopse: Logo após o divórcio, uma escritora retorna para a casa em uma pequena cidade de Minnesota. Na cidade, ela reencontra um antigo namorado que agora está casado e com filhos.

Censura: 12 anos

Vontade de ver: 4/5

XINGU

Sinopse: Xingu conta a incrível história dos irmãos Villas Bôas e a aventura da criação do primeiro parque indígena de grandes proporções no Brasil. Uma parte esquecida e dramática da nossa história que permanece atual e urgente.

Censura: 12 anos

Vontade de ver: 3/5

Bem, essas são suas opções de Páscoa! Boa sessão!

Esta semana nos cinemas… (30/03)

Posted in Esta Semana nos cinemas with tags , , , , , , , , , on 29 de março de 2012 by Lucas Nascimento

Uma prostituta sonolenta, titãs enfurecidos, um controverso jogador de futebol, mais um personagem do dr. Seuss, duas das maiores mentes da psicanálise e os bastidores de uma novela são as estreias deste fim de semana nos cinemas do Brasil. Confira:

BELEZA ADORMECIDA

Sinopse: Lucy é uma estudante que decide prostituir-se, juntando-se ao programa Bela Adormecida, que envolve deixá-la desacordada para que seus clientes a possuam nesse estado. As sessões começam a perturbá-la quando ela começa a questionar o que acontece enquanto ela dorme.

Censura: 16 anos

Vontade de ver:4/5

FÚRIA DE TITÃS 2

Sinopse: Dez anos após o primeiro filme, o semideus Perseus leva uma vida pacata de pescador enquanto cria seu filho. É claro que nem tudo ficará tranquilo por muito tempo e uma guerra entre os deuses irá exigir a presença do herói para, mais uma vez, salvar o dia. Perseus terá a missão de invadir o submundo para resgatar seu pai Zeus, que foi sequestrado por Cronos, Hades e Ares.

Censura: 12 anos

Vontade de ver: 3.5/5

HELENO

Sinopse: Heleno de Freitas era o príncipe da era de ouro do Rio de Janeiro, os anos 40, quando a cidade era um cenário de sonho, cheio de glamour e promessas. Bonito, charmoso e refinado nos salões elegantes, era um gênio explosivo e apaixonado nos campos de futebol. Heleno tinha certeza de que seria o maior jogador brasileiro de todos os tempos. Mas a guerra, a sífilis e as desventuras de sua vida desviaram seu destino, numa jornada de glória e tragédia.

Censura: 14 anos

Vontade de ver: 3/5

O LORAX : EM BUSCA DA TRÚFULA PERDIDA

Sinopse: O filme é uma adaptação do conto clássico do Dr. Seuss de uma criatura da floresta que compartilha o eterno poder da esperança. A aventura animada conta a jornada de um rapaz que procura pela única coisa que poderá fazer com que ele conquiste a afeição da garota de seus sonhos. Para encontrá-la, ele terá que descobrir a história do Lorax, a zangada porém charmosa criatura que luta para proteger seu mundo.

Censura: Livre

Vontade de ver: 1/5

UM MÉTODO PERIGOSO

Sinopse: O jovem psicanalista Carl Jung começa um tratamento inovador na histérica Sabina Spielrein sob orientação de seu mestre, Sigmund Freud. Disposto a penetrar mais afundo nos mistérios da mente humana, Jung verá algumas de suas ideias se chocarem com as teorias de Freud ao mesmo tempo em que se entrega a um romance alucinante e perigoso com a bela Sabina.

Censura: 14 anos

Vontade de ver: 4/5

A NOVELA DAS 8

Sinopse: Em 1978, em plena Ditadura, o Brasil sucumbe à discoteca graças ao  sucesso da novela Dancin’ Days. Amanda, uma prostituta viciada no drama televisivo, e sua empregada, Dora, são obrigadas a fugir de São Paulo depois de um incidente fatal e partem para o Rio de Janeiro, com o policial federal Brandão em seu encalço. O destino de ambas cruza o caminho de João Paulo, um diplomata que se sente estrangeiro em seu próprio país; de Vicente, líder de um grupo revolucionário e seu irmão Pedro; e do adolescente Caio que, criado pelos avôs, conta com a ajuda apenas de sua melhor amiga Mônica na luta para ser aceito como gay.

Censura: 14 anos

Vontade de ver: 3/5

Bem, essas são suas opções da semana. Boa sessão!