| A Árvore da Vida | Uma peculiar reflexão filosófica sobre a vida humana


A Origem: Brad Pitt brilha no novo filme de Terrence Malick

A Árvore da Vida é o filme mais peculiar e estranho que você assistirá este ano. É uma tarefa difícil embarcar em sua complexa experiência e absorver seus profundos significados em apenas uma visita. O novo de Terrence Malick é simplesmente difícil.

A trama gira (pelo menos nos momentos em que estabelece-se um enredo) na relação entre uma família texana dos anos cinquenta, focando no rígido pai e seus três filhos. Há também um incompreensível paralelo com a criação do Universo.

Começar um filme no Big-Bang e avançar até os tempos atuais é um projeto ambicioso (e corajoso), isso sim. E não há dúvidas ou receios no que diz respeito ao talento de Terrence Malick quando este pega numa câmera; seus enquadramentos e movimentos são belíssimos. Mas é muito difícil receber e interpretar as (belas) imagens do filme.

Logo no começo, uma tremenda montagem sobre a origem do planeta (embalada por uma ópera magnífica), incluindo cachoeiras e dinossauros e vamos nos encontrando com os humanos. Com Brad Pitt em ótima forma e absurdamente expressivo como o sr. O’Brian, Malick começa uma reflexão cansativa e (pelo menos na minha opinião) incompreensível sobre as escolhas e o comportamento humano, especialmente em relação ao amadurecimento.

Outro grande ponto é a religião. O filme em si apresenta pouquíssimos diálogos, mas apenas frases profundas e complexas sobre aceitação e filosofia de vida, inserindo  também um discurso existencialista sobre o destino e uma abordagem sobre como o homem é pequeno em relação ao Universo e a Deus. A montagem insere imagens das mais diversas, e que muitas vezes não apresentam um motivo concreto ou justificado para estarem lá, mas que são espetaculares, são.

O elenco vem para ajudar o filme. Além do ótimo Brad Pitt, temos Jessica Chastain como a mãe da família, que esbanja serenidade e uma relação bem mais suave com seus filhos e também a natureza. As crianças do filme também são excelentes, e Sean Penn trabalha bem sua melancolia através de suas habituais expressões.

É difícil falar de A Árvore da Vida. Com certeza o filme tem um significado que vai além de religião e relações familiares mas, no meio das imagens sem nexo de Malick, eu não consegui compreender.

Anúncios

3 Respostas to “| A Árvore da Vida | Uma peculiar reflexão filosófica sobre a vida humana”

  1. […] mais: | A Árvore da Vida | Uma peculiar reflexão … – Lucas Filmes Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag árvore, filmes, lucas, peculiar, […]

  2. […] “De verdade, eu não gostei de A Árvore da Vida. Acho suas imagens belíssimas, direção maravilhosa e seu elenco esplêndido, mas sua narrativa complexa e quase sem coerência não foi capaz de me prender, o que tornou a experiência cansativa. Não é um filme para todos, e certamente agradará aos fãs de Terrence Malick, mas não vejo nada de espetacular que possa justificar a indicação para Melhor Filme.” Crítica […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: